Rolinho primavera fresco com shitake, rúcula e pistache

Comprei outro dia uma massa de arroz para rolinho primavera fresco. A diferença é que esse não vai ao fogo, fica bem mais saudável e light que o outro. A massa é bem estranha, transparente, tem uma textura de plástico e não tem gosto de nada! rsrs Mas usando um recheio bacana e um molho bem forte, fica uma delícia!

Vou tentar outras combinações para posts seguintes. A receita de hoje é uma adaptação de um dos meus blogs favoritos, o VeganYumYum, que tem pratos mais que inspiradores com fotos idem!

Ingredientes:

  • 20 folhas de massa de arroz (fácil de achar em lojas de produtos orientais)
  • 1 xícara de pistaches torrados e salgados
  • 1 maço de rúcula
  • 100g de shitake desidratado
  • shoyu
  • sal e alho
  • vinagre balsâmico
  • azeite

Esquente uma chaleira de água e deixe o shitake de molho por meia hora, até hidratar bem. Enquanto isso, lave bem a rúcula e pique os pistaches em pedaços pequenos. O pacote que comprei não veio com eles torrados, é bom verificar antes de usar. Se esse for o seu caso, passe-os rapidamente por uma frigideira com sal.

Retire o shitake da água (aperte para retirar o excesso), pique e refogue em uma frigideira com azeite, alho (esse é por minha conta, não vivo sem!), sal, vinagre balsâmico e shoyu a gosto. Reserve.

Ordene os ingredientes para facilitar a sua vida na hora de enrolar.

Aqueça um pouco de água em uma frigideira, até que fique morna. A massa de arroz é mergulhada na água por alguns segundos (aprox 5”), só até amolecer. Se ficar por muito tempo, vai começar a rasgar. Se ficar muito pouco, vai continuar dura e quebradiça. Vá tentando até pegar o jeito. O meu assistente/namorado fez certinho, ó!

Com a massa hidratada, comece a rechear os rolinhos com um pouco de shitake, rúcula e polvilhe com os pistaches.

A massa costuma vir redonda e para enrolar, junte as beiradas até o centro e enrole o topo por cima do recheio, até o fim. É simples, mas difícil de explicar. Essa figura que eu achei ajuda a entender mais claramente (o recheio vai no “x”).

Pronto!

Ingredientes para o molho:

  • suco de 1 limão
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 5 colheres de sopa de shoyu
  • 1 colher de sopa de pistache picado

Simples assim, só misturar tudo. Usei um shoyu mais espesso e doce, é uma boa ir medindo os ingredientes a gosto.

Agora é só mergulhar! :-D

Serve 6 pessoas.

Só pra dar água na boca, segue o prato completo, contando inclusive com a próxima receita, um curry tailandês. Nham!

Anúncios

Risoto de shitake

Adoro risotos. Além de serem deliciosos, são aquele tipo de receita fácil, mas que impressiona, sabe? Muito difícil fazer um ruim! Outra coisa bacana é a variedade de receitas. Já fiz com cogumelos, aspargos, ervilha e a combinação clássica de maçã, gorgonzola e nozes. Todos viciantes!

O risoto desse post é o favorito da minha mãe. Como ela pira no shitake, é um prato que eu repito sempre quando cozinho pra ela. Vamos a ele!

Ingredientes:

  • 1 cebola picada
  • sal e alho
  • 500g de arroz arbóreo
  • 100g de shitake desidratado
  • 1 xícara de vinho branco
  • 100g de manteiga
  • 150g de queijo parmesão ralado
  • 1 litro de caldo de legumes (ou não!)
  • azeite

Ferva um litro de água de deixe o shitake de molho por pelo menos 15′ (não jogue fora a água usada para hidratar o cogumelo!).

Pique em tirinhas. Leve a uma frigideira com azeite, alho e sal e cozinhe por uns 5′.

Em uma panela, cozinhe a cebola e o alho.

Adicione o arroz e deixe fritar, até que fique translúcido. Adicione o vinho e mexa até evaporar.

Agora vem a parte polêmica, pelo menos para mim. Que caldo usar? Tenho pavor dos caldos quadradinhos, cheios de conservantes e flavorizantes. Mas cozinhar legumes só pra isso? O que eu costumo fazer é usar a água do cogumelo, quando uso o desidratado. Claro que não é a mesma coisa, mas eu simplesmente não vejo outra opção, já que não tenho paciência de fazer o meu próprio caldo. Se puderem fazer, vai ficar uma delícia e eu vou aplaudir de pé a disposição!

Aqui abro parênteses e acrescento uma nota. O meu amigo Rafa, que também é viciado em risoto, arrumou uma solução prática que é GENIAL!!

“O dia que tô na disposição, preparo o caldo de legumes em quantidade grande, bem concentrado (só reduzir bastante durante o preparo), e diluo quando for cozinhar o risoto. Daí congelo em porções individuais. O caldo em si fica baratíssimo de fazer, geralmente pego os legumes que tão dando sopa na geladeira, tempero ao meu gosto, deixo apurar, côo os legumes (aproveito e faço purê com as partes sólidas) e pronto. Dá pra fazer uns 5 risotos depois! Vale a pena, quanto mais “carinho” vc tiver enquanto faz o caldo, melhor fica o risoto, e claro, com mais “personalidade”, mais a cara de quem cozinhou.”

Isso dito, seja qual for a sua solução, deixe o fogo médio e vá adicionando o caldo aos poucos, mexendo sempre o risoto. É importante misturar bem, para que o amido de solte e a consistência fique cremosa.

O arroz deve ficar cozido, mas al dente. Quando chegar a esse ponto, adicione os cogumelos e cozinhe por uns 2′.

Desligue o fogo e adicione a manteiga e o queijo.

Misture, tampe e deixe descansar por mais 2′. Isso é muito importante pra cremosidade do risoto :-) Sirva em seguida!

Nham! Serve 6 pessoas.

Macarrão oriental com shitake e molho de laranja

O nome que eu usei não faz jus ao prato. É tão mais do que isso! Exótico, reconfortante e delicioso! Adaptei uma receita que encontrei de acordo com os ingredientes que consegui achar para comprar.

Ingredientes:

  • óleo de gergelim (encontrado em lojas de produtos orientais)
  • 1 cabeça de alho picada
  • 2 colheres de sopa de gengibre ralado
  • 2 xícaras de suco de laranja (de preferência, espremido na hora)
  • 4 colheres de sopa de shoyu
  • 2 colheres de sopa de pimenta em flocos (cuidado com isso, não precisa usar tudo. pode usar pimenta fresca, caso tenha. mas não use aqueles molhos de pimenta com vinagre!)
  • 4 colheres de sopa de gergelim
  • sal a gosto
  • 1 pacote de macarrão oriental (aquele usado para yakisoba)
  • 300g de ervilha chata lavada e cortada ao meio
  • 1 molho de espinafre picado fino
  • 1 pacote de 100g cogumelo shitake cortado em fatias (caso use o cogumelo seco, deixe em água morna por alguns minutos. e aproveite a água mais tarde em um risoto!). Usei um pouco de cogumelo paris também, pois acho que funghi nunca é demais!

Torre o gergelim em um frigideira até dourar, mexendo sempre. Reserve.

Aqueça o óleo de gergelim e acrescente o alho, gengibre e pimenta. Misture e deixe fritar por alguns segundos. Acrescente o suco de laranja e o shoyu e deixe ferver. Cozinhe até que o molho reduza de volume pela metade.

Cozinhe o macarrão enquanto o molho reduz e refogue os cogumelos e ervilhas em azeite e alho.

Junte os cogumelos e ervilhas ao molho de laranja e deixe cozinhar por alguns minutos. Acrescente o macarrão e o espinafre (cru mesmo) e mexa até que ele fique tenro.

Adapte a quantidade de pimenta à coragem de quem for comer. As duas colheres sugeridas são para os bem corajosos! Sirva salpicado com gergelim. Bom apetite!

Serve 8 pessoas.