Assado de couve-flor, alho-poró e queijo de cabra / Cauliflower gratin with leek and goat’s cheese

* Scroll down for the English version!

Não sei se vocês já perceberam, mas eu tenho obsessões que vêm em fases. Talvez “obsessão” seja uma palavra pesada demais. Eu diria que se trata de um tipo de paixão. Daquela bem intensa mas fugaz, que dura alguns meses. Quase como um início de namoro que não vai pra frente.

Os alvos dessa minha paixão variam, tão volúvel é o meu apetite. Certa época, estou completamente apaixonada por gorgonzola e em outro momento, enjoo e fico meses sem comer. Outra vezes é com tomate seco, ervilha ou massas. Os mais recentes queridos são queijo de cabra e couve-flor. Os dois abundam por aqui e ainda não chegaram no limbo terrível dos ingredientes dos quais enjoei. Mas tudo passa, não é? O jeito é aproveitar a fase ;-)

Esse prato é bem completo e delicioso. Existem muitas formas de fazer. Eu preferi cozinhar a couve-flor no forno, já que morro de dó de ferver vegetais em água e perder todos os nutrientes na hora de coar. Fiquem à vontade para inventar!

Adaptei a receita do blog Virtually Homemade.

Ingredientes:

  • 1 couve-flor lavada e cortada em pedaços
  • 1 alho poró
  • Sal a gosto
  • 150g de cream cheese
  • 150g de queijo de cabra (de preferência, cremoso)
  • Azeite

Ligue o forno a 200ᵒC. Espalhe a couve-flor em um tabuleiro com um pouco de sal e azeite. Asse por 30 minutos ou até ficar tenra.

Enquanto isso, lave o alho poró e pique em pedaços pequenos. É importante fazer cortes longitudinais e lavar de cabeça para baixo, com bastante água. Isso evita aqueles montinhos de terra entre as folhas. Cozinhe o alho poró até tenro com um pouco de sal e azeite.

Retire a couve-flor do forno e junte com o alho poró.

Misture os vegetais com os queijos e espalhe em um pirex ou vários potinhos. Asse até que o topo fique dourado.

Sirva quente! Essa receita serve 4 a 6 pessoas.

I don’t know if you have noticed, but I get obsessed sometimes. Perhaps “obsession” is too strong a word. I could call it infatuation or passion. That kind of passion that intense but fleeting, that only lasts a few months. Almost like the beginning of a relationship that doesn’t go forward for long.

The “targets” of my passion vary a lot, since my appetite is so fickle. At times, I’m completely in love with blue cheese and some time later I’m sick of it and it takes months before I eat it again. This has happened to sundried tomato, peas and pasta. My most recent darlings are goat’s cheese and cauliflower. You might have noticed that they appear here often and haven’t yet reached the dark pit of forgotten ingredients. But things change, right? I might as well enjoy while I can ;-)

This dish is quite complete and delicious. There are several ways to do it. I chose to cook the cauliflower in the oven, since it breaks my heart to boil vegetables in water and lose all the nutrients after draining them. So feel free to experiment!

I adapted this recipe from Virtually Homemade.

Ingredients:

  • 1 cauliflower – washed and chopped into small florets
  • 1 leek
  • Salt to taste
  • 150g of cream cheese
  • 150g of goat’s cheese (preferably creamy)
  • Olive oil

Turn the oven on at 200ᵒC. Spread the cauliflower on a tray with a little olive oil and salt. Bake for about 30 minutes or the cauliflower is tender.

Meanwhile, wash the leek and chop into small pieces. It’s important to make lengthwise slashes and wash it upside down with lots of water. This helps getting most of the dirt out. Cook the leek until tender with some olive oil and salt.

Remove the cauliflower from the oven and mix with the leek.

Add the two types of cheese and assemble it on a nice baking tray or several ramekins. Bake until golden on top.

Serve warm. This recipe serves 4 to 6 people.

Anúncios

Pizza de couve-flor / Cauliflower crust pizza

* Scroll down for the English version!

Nunca liguei pra moda. Na verdade, nunca entendi a ideia de alguém que dita “tendências”. Mas eu tenho que admitir que em relação à comida, eu sempre procuro saber das novidades. Talvez por não ser tão criativa assim para criar algo do nada (ou por preguiça de reinventar a roda), muitas vezes eu pesquiso pela web para ver o que há de mais bacana no mundo culinário. Nada chique, só aquilo que as pessoas normais têm feito em casa aí pelo mundo :-) E, claro, tento colocar meu toque pessoal e dicas que aprendo ao fazer.

Pizza com base de vegetais é uma dessas coisas da moda da cozinha. Muita gente faz dieta para emagrecer ou prefere comer menos glúten por questões de saúde, e usar vegetais é uma opção incrível para quem não abre mão de uma pizza. A couve-flor é a preferida e funciona super bem.

Já tive alguns problemas com a base, que grudou no papel manteiga. O ideal é extrair a umidade natural da couve-flor, tirando a água depois de cozinhar (aprendi isso no iFOODreal).

Descrevi uma cobertura simples de tomate e muçarela, mas sintam-se à vontade para inventar! Essa é a parte mais bacana!

Fiz uma pizza pequena, mas os ingredientes da lista são suficientes para fazer uma média.

Ingredientes:

  • 1 couve-flor grande
  • 2 ovos
  • ½ xícara de queijo parmesão ralado
  • Orégano a gosto
  • 1 pitada de sal
  • Rodelas de tomate (ou molho)
  • 1 xícara de muçarela ralada

Ligue o forno a 180°C. Lave a couve-flor e corte-a em pedaços médios. Bata em um processador de alimentos ou liquidificador, até que os pedaços fiquem pequenos como grãos.

Leve ao forno em um tabuleiro ou pirex, por 15 minutos.

Retire do forno e despeje em um pano de prato limpo. Junte as pontas e aperte, até que toda a água tenha escorrido (talvez você precise deixar esfriar um pouco antes de começar). Isso é importante para que a pizza não grude na forma.

Cubra uma forma redonda com papel manteiga e regue com azeite. Misture a couve-flor com os ovos, o parmesão, o orégano e a pitada de sal. Espalhe a mistura por cima do papel, fazendo a base da pizza. Deixe uma espessura de aproximadamente 6mm. Leve ao forno por 20 minutos.

Retire do forno e cubra com a muçarela, o tomate e mais um pouco de orégano. Leve ao forno novamente por 5 minutos ou até que o queijo esteja derretido.

Prontinho! Coma ainda quente!

Essa receita serve 2 pessoas.

I don’t really dig fashion. I never really understood the idea of someone who creates trends for other people. But I have to admit that when it comes to food, I’m always after the new thing. Perhaps because I’m not so creative as to keep coming up with something new out of thin air (or because I’m too lazy to invent the wheel again), I often search the web to see what is cool and new in the culinary world. And I don’t mean anything fancy, just what normal people have been cooking at home around the world :-) And of course, I try to add a personal touch or tips that I learn while making the dishes.

Vegetable crust pizza is one of these cooking trends. So many people try to lose weight or to eat less gluten for health reasons and using vegetables is a great option when you crave that delicious pizza. Cauliflower is a favorite and works really well.

I had some trouble with the base, which got stuck in the paper. The best thing to do is to extract most of the natural moist of the cauliflower, removing the water after cooking it (I learned that neat trick with iFOODreal).

I described a simple tomato and cheese topping, but feel free to use whatever you want! That is the best part!

I made a small pizza, but the ingredients in the list are enough for a medium one.

Ingredients:

  • 1 large cauliflower
  • 2 eggs
  • ½ cup of grated parmesan cheese
  • Oregano to taste
  • 1 pinch of salt
  • Tomato slices (or sauce)
  • 1 cup of grated mozzarella cheese

Turn the oven on at 180°C. Wash the cauliflower and cut it into medium pieces. Grind it using a blender or food processor, until the pieces are small as grains.

Take it to the oven on a baking tray for 15 minutes.

Remove it from the oven and dip it on a clean cheesecloth. Grab the tips and squeeze until all the water has drained (you may need to let it cool a little before starting). This is important so that the pizza won’t stick to the tray.

Cover a round baking tray with parchment paper and drizzle the paper with olive oil. Mix the cauliflower with the eggs, the parmesan cheese, oregano and pinch of salt. Spread the mixture on top of the paper, making the pizza crust. It should be about 6mm thick. Bake for about 20 minutes.

Take it out of the oven and cover it with mozzarella, tomato and a bit more of oregano. Bake for another 5 minutes or until the cheese has melted.

And it’s done! Eat it while it’s hot!

This recipe serves 2 people.

Galette de abóbora e queijo de cabra / Pumpkin and goat’s cheese galette

*Scroll down for the English version!

Eu nem sempre gostei de abóbora. Isso pode parecer um sacrilégio, especialmente vindo de uma vegetariana. Mas como eu já disse antes, isso tem muito a ver com a forma como o vegetal é cozido. Abobrinha derretida, beterraba cozida demais, e qualquer vegetal fervido até perder a cor e os nutrientes não agradam a ninguém. Pelo menos até onde eu entendo ;-)

Fui descobrir o potencial da abóbora depois de adulta. Nunca fui de recusar comida e sempre comi o que estava na mesa, mas comer com prazer mesmo, nem sempre. Mas hoje em dia, quando cozinho, as minhas formas favoritas são abóbora bem doce em alguma sobremesa, uma sopa bem saborosa ou se o prato é salgado, combinando com um queijo forte ou algo de sabor bem distinto.

Desafio os odiadores de abóbora a não gostar dessa torta. A canela e o açúcar ajudam a abóbora a caramelizar e ficar docinha e deliciosa. Ela praticamente derrete na sua boca. O queijo é intenso e salgado dando ao prato um contraste perfeito.

Aliás, é bom dizer que galette é simplesmente uma torta achatada e meio sem formato. Ela não é moldada por um recipiente, mas acompanha a forma feita a mão pela(o) cozinheira(o). A massa que eu usei é um tipo de “shortcrust” chamado Pâte Brisée. Ele leva bastante manteiga e fica crocante e muito saboroso depois de assado. Adaptei uma receita linda que achei no Savory Simple para fazer esse post.

Ingredientes para a massa:

  • 170g de farinha
  • ½ colher de chá de sal
  • 100g de manteiga congelada – picada em cubos
  • ¼ xícara de água fria

Ingredientes para o recheio:

  • ½ abóbora moranga
  • 1 cebola picada em cubinhos
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 2 colheres de sopa de açúcar mascavo
  • 1 pitada de canela
  • ½ xícara de queijo de cabra (qualquer tipo) – picado em cubinhos ou esfarelado
  • Azeite
  • Sal a gosto

Ligue o forno a 200°C.

Misture a farinha, manteiga e sal em um processador de alimentos ou mexa com as mãos, quebrando a manteiga. O resultado final parece com farelos de pão. Eu gosto de deixar a manteiga bem fria, para que ela mantenha a consistência na hora de assar. Normalmente pico em cubinhos e levo ao congelador um pouco antes de começar a fazer a massa.

Adicione a água até dar liga. Talvez você não precise de usar toda. Quando estiver homogênea, faça um disco com a massa, enrole em plástico-filme e leve à geladeira por pelo menos meia-hora.

Pique a abóbora em pedaços grandes, espalhe-a em um tabuleiro e regue com azeite. Coloque um pouco de sal e leve ao forno. Assim que estiver macia (aproximadamente 40 minutos), retire a abóbora do forno e com cuidado, remova e descarte a casca. Pique em cubinhos.

Doure a cebola com a manteiga em uma frigideira. Junte a abóbora, o açúcar e a canela. Cozinhe por alguns minutos mexendo bem, deixando a abóbora caramelizar no açúcar. Reserve.

Retire a massa da geladeira e abra com um rolo em uma superfície coberta com farinha até ficar fina. Faça um círculo de aproximadamente 30cm de diâmetro. Cubra um tabuleiro grande com papel manteiga e transfira a massa até ele. Caso ela esteja quebradiça, apoie-a no rolo e desenrole em cima do papel.

Espalhe a abóbora por cima, deixando uma borda de 5cm. Cubra a abóbora com o queijo de cabra.

Dobre o excesso de massa em direção ao centro, formando um círculo menor. Refrigere por 15 minutos.

Retire da geladeira e asse a 200°C por aproximadamente 45 minutos ou até a massa ficar firme. Deixe esfriar um pouco antes de partir. Prontinho!

Essa receita serve 4 a 6 pessoas.

I didn’t always like pumpkin. That might sound like a blasphemy, especially coming from a vegetarian. But as I’ve said before, this has a lot to do with how the vegetable is cooked. Mushy zucchini, overcooked beetroot or any other vegetable that is boiled until all color and nutrients are removed are not appealing to anyone. Well, as far as I know, of course ;-)

I found out the whole potential of pumpkin and squash as an adult. I never really said no to food and always ate whatever was on the table, but not always enjoying it. So nowadays, when I cook, I usually like some very sweet dessert dish, a rich soup or a savory recipe, which combines a strong cheese or another intense ingredient with the vegetable.

I challenge the pumpkin haters not to like this pie. The cinnamon and sugar help the pumpkin to caramelize and turn sweet and delicious. It practically melts in your mouth. The cheese is intense and salty and gives the dish a perfect contrast.

By the way, it’s good to clarify that a galette is basically a flat and free-form pie. It’s not molded by a recipient, but follows the shape made by hand by the cook. I used a type of shortcrust called Pâte Brisée. It takes a lot of butter and gets wonderfully flaky and full of flavor after baked. I adapted a beautiful recipe from Savory Simple to make this post. I used kabocha, a Japanese pumpkin or squash, but the original recipe calls for butternut squash. So feel free to choose!

Ingredients for the crust:

  • 170g of flour
  • ½ teaspoon of salt
  • 100g frozen butter – chopped into cubes
  • ¼ cup of cold water

Ingredients for the filling:

  • ½ kabocha pumpkin or 1 small butternut squash
  • 1 onion chopped finely
  • 2 tablespoons of butter
  • 2 tablespoons of brown sugar
  • 1 pinch of cinnamon
  • ½ cup of goat’s cheese – crumbled or chopped into pieces
  • Olive oil
  • Salt to taste

Turn the oven on at 200°C.

Mix the flour, butter and salt in a food processor or break the pieces of butter with your hands. I like using very cold butter, so that it holds its shape when baking. I usually chop it into cubes and freeze for a while before starting the pastry.

Add the water until you can make a ball with the dough. You might not need all of it. Once it’s smooth, make a disk with the dough, wrap it in cling film and take it to the fridge for at least half an hour.

Chop the pumpkin into large pieces, spread them on a large tray and drizzle with olive oil. Add a little salt and put it to the oven. Once it’s soft (after about 40 minutes), take it from the oven and carefully remove and discard the peel. Chop into small cubes.

Cook the onion with the butter on a frying pan. Once the onion has turned golden, add the pumpkin, sugar and cinnamon. Cook for a few minutes, stirring often. The sugar will help the pumpkin to caramelize. Set aside.

Remove the dough from the fridge and roll it until thin on a flour-covered surface. Make a circle of about 30cm of diameter. Cover a baking tray or sheet with parchment paper and transfer the dough onto it. In case it’s not very firm, use the rolling for support and unroll it on the paper.

Spread the pumpkin on top, leaving 5cm of dough on the outside with nothing on it. Cover the pumpkin with the goat’s cheese.

Fold the excess dough towards the center, forming a smaller circle. Refrigerate for 15 minutes.

Remove it from the fridge and bake at 200°C for about 45 minutes or until the pastry is firm. Let it cool for a while before cutting a slice. And it’s done!

This recipe serves 4 to 6 people.

Bolo de chocolate e laranja / Chocolate and orange cake

* Scroll down for the English version!

Na semana passada eu falei que pera e gorgonzola são uma dupla infalível. Junto com eles na Liga da Cozinha (rs), estão chocolate e laranja. Já comi barras de chocolate com raspinhas de da casca e já fiz trufas deliciosas com o sabor intenso de conhaque e o aroma incrível de laranja (aliás, é um post para o futuro!). Esse bolo entra para o páreo e não faz feio.

Um pouco mais denso do que um bolo tradicional, molhadinho e delicioso!

Encontrei a receita no site da BBC. O bolo foi feito por um participante do meu programa querido, The Great British Bake Off. Não sei quem foi, já que não vi essa temporada, mas espero que tenha ganhado uma pontuação incrível!

Ingredientes para o bolo:

  • 50g de chocolate meio amargo picado
  • 200g de açúcar de confeiteiro
  • 200g de manteiga sem sal amolecida (mais um pouco para untar)
  • Raspa da casca de 2 laranjas
  • Suco de 1 laranja
  • 5 ovos
  • 200g de farinha com fermento
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • 150g de cacau em pó

Ingredientes para a calda:

  • 150g de açúcar
  • 150ml de água
  • 1 dose de licor de laranja (não encontrei um licor de laranja que não fosse caríssimo e acabei usando limoncello. Ficou uma delícia!)

Ingredientes para o ganache:

  • 200ml de creme de leite fresco
  • 200g de chocolate meio amargo picado
  • 1 dose de licor de laranja (ou limoncello)

Aqueça o forno a 180°C e unte duas formas de 20cm (eu não tinha duas iguais e acabei fazendo dois bolos finos, um maior que o outro).

Derreta o chocolate em uma vasilha, tomando cuidado para não queimar. Reserve.

Bata o açúcar e a manteiga em uma vasilha até que a mistura fique aerada. Adicione as raspas de laranja, o suco de laranja e o chocolate derretido.

Adicione os ovos, um de cada vez, batendo bem a massa.

Misture a farinha, o fermento e o cacau e peneire os três em cima da massa úmida (eu não costumo peneirar a farinha, mas como o cacau costuma empelotar, achei melhor seguir à risca). Bata bem até que a mistura fique homogênea. A textura é bem mais seca que um bolo comum.

Divida a massa entre as duas formas e asse por 25 a 30 minutos, até que os bolos estejam assados (espete com um palito para conferir. Eles estão prontos se o palito sai limpo).

Enquanto os bolos assam, faça a calda. Aqueça o açúcar e a água em uma panela até que o açúcar derreta e o volume diminua. Acrescente o licor.

Retire os bolos do forno e deixe esfriar por 10 minutos. Faça pequenos furos nos bolos e derrame a calda, deixando o líquido ser absorvido. Espere que eles estejam frios e retire-os das formas.

Aqueça o creme de leite em uma panela. Retire do fogo antes de ferver. Adicione o chocolate e mexa até derreter e o ganache ficar homogêneo. Acrescente o licor.

Coloque um dos bolos no prato em que você vai servi-lo e espalhe metade do ganache em cima. Com cuidado, posicione o outro bolo por cima e espalhe o restante da mistura de chocolate.

Esse bolo serve 10 pessoas como lanche e 20 como sobremesa.

Last week I talked about how pear and blue cheese are a winning duo. Along with them in the Kitchen League (lol), are chocolate and orange. I’ve eaten chocolate bars with zest and make delicious truffles with the intense flavor of cognac and the amazing aroma of orange (which, by the way is a post for the future!). This cake enters the list and does a remarkable job.

A little more dense than a regular cake, it is also moist and delicious!

I found this recipe at BBC’s website. The cake was made by a participant of my dear show, The Great British Bake Off. I don’t know who did it, since I never watched this specific season, but I hope they got amazing scores!

Ingredients for the cake:

  • 50g of chopped bittersweet chocolate
  • 200g of caster sugar
  • 200g of unsalted melted butter (plus a bit more to grease)
  • Zest of 2 oranges
  • Juice of 1 orange
  • 5 eggs
  • 200g of self-raising flour
  • 1 teaspoon of baking powder
  • 150g of cocoa powder

Ingredients for the syrup:

  • 150g of sugar
  • 150ml of water
  • 1 dose of orange liqueur (I couldn’t find anything that wasn’t really expensive, so I ended up using limoncello. It turned out great!)

Ingredients for the ganache:

  • 200ml of double cream
  • 200g of chopped bittersweet chocolate
  • 1 dose of orange liqueur (or limoncello)

Heat up the oven at 180°C and grease two 20cm tins (since I didn’t have matching ones, I made one cake bigger than the other. They were a bit too thin, but it worked).

Melt the chocolate in a bowl, being very careful not to burn it.

Whisk the sugar and butter in another bowl until it turns fluffy. Add the orange zest, the juice and melted chocolate.

Mix in the eggs one at a time.

Combine the flour, baking powder and cocoa powder and sift the three of them over the moist mixture (I usually don’t bother with sifting, but since the cocoa powder has a tendency to turn lumpy, I thought I might as well just do it). Whip until the batter turns smooth. The texture is much drier than a regular cake.

Divide the batter into the 2 tins and bake for 25 to 30 minutes, until the cakes are baked (stick a toothpick in one. If it comes out clean, they’re ready).

While the cakes bake, make the syrup. Heat up the sugar and water in a pan until the sugar melts and the volume of the liquid reduces. Add the liqueur.

Remove the cakes from the oven and let them cool for 10 minutes. Make small holes on them and pour the syrup, letting the liquid be absorbed. Wait until they’re cold and remove them from the tins.

Heat up the cream on a pan. Remove it from the fire before it starts boiling. Add the chocolate and stir until it melts and the ganache turns smooth. Add the liqueur.

Put one of the cakes on the plate in which you will serve it and spread half the ganache on top. Carefully, position the other cake right on top and spread the rest of the chocolate mixture.

This cake serves 10 people as a snack and about 20 as dessert.

Folhados de gorgonzola e pera / Blue cheese and pear puff pastry pillows

* Scroll down for the English version!

Sim, a combinação “gorgonzola e pera” é um tema recorrente aqui do blog. Mas é tão irresistivelmente viciante, que acho que vocês entendem…

Não é?

Além disso, minha mãe pira nos dois ingredientes também. Então no dia das mães, esse foi um dos pedidos dela. E como o prato principal já estava programado, pensei em fazer algo para a entrada. Ta-da! Almofadinhas de gorgonzola e pera em uma caminha de rúcula! Incrivelmente fáceis de fazer e tão deliciosas! Olha só essas coisinhas lindas!

Ingredientes:

  • 600g de massa folhada (comprei dois pacotes de 300g que vêm em uma folha grande)
  • 300g de gorgonzola
  • 2 peras maduras (as minhas não estavam muito doces, então adicionei 1 colher de sopa de mel)
  • 2 maços de rúcula hidropônica (eu gosto porque é mais delicada)
  • 1 ovo batido com uma colher de sopa de água

Ligue o forno a 200°C.

Esfarele ou pique o gorgonzola em pedaços pequenos. Pique as peras em cubos bem pequenos. Misture os dois ingredientes em uma vasilha.

Abra a folha de massa em uma superfície polvilhada com farinha. Coloque uma colher de sopa da mistura de queijo e pera em intervalos regulares da massa. Eu fiz fileiras de 4×7, deixando um espaço entre cada montinho de recheio.

Cubra com a outra folha de massa e ajuste os cantos para ficarem bem encaixadas. Suavemente, aperte a folha de cima até que ela encoste na debaixo, demarcando cada montinho. Faça isso em todas as direções, até que os quadradinhos estejam definidos.

Corte os quadrados com uma faca afiada. Com um garfo, sele as beiradas.

Espalhe as almofadinhas em formas. Usei formas antiaderentes e não precisei untar. Na verdade, acho que nem precisa untar, já que a massa é bem gordurosa.

Pincele a superfície de cada quadradinho com o ovo.

Leve as formas ao forno por aproximadamente 20 minutos ou até a massa inchar e ficar dourada.

Enquanto a massa está no forno, lave a rúcula e espalhe algumas folhas nos pratos em que vai servir a entrada.

Sirva os folhados ainda quentes, em cima da caminha de rúcula.

Essa receita rende 28 folhados.

Yes, the “blue cheese and pear” combo is a regular here at the blog. But it’s so irresistibly addictive, that I’m sure you’ll understand…

Right?

Besides, my mum also loves it. And since it was mother’s day, this was one of her requests. Since the main dish was already established, I thought of using it on an appetizer. Ta-da! Blue cheese and pear pillows served on an arugula bed! Incredibly easy to make and so delicious! Look at these beauties!

Ingredients:

  • 600g of puff pastry (I bought two 300g packages that came in large sheets)
  • 300g of blue cheese
  • 2 ripe pears (mine weren’t sweet enough, so I added 1 tablespoon of honey)
  • 2 bunches of arugula
  • 1 egg whisked with a tablespoon of water

Turn the heat on at 200°C.

Crumble or chop the blue cheese into small pieces. Chop the pears into tiny cubes. Mix both ingredients on a bowl.

Spread one of the pastry sheets on a flour-covered surface. Put a tablespoon of filling at regular of the sheet. I made 4 columns by 7 lines, leaving a bit of room between each little mount.

Cover it with the other pastry sheet and adjust the sides so they are right on top of each other. Gently squeeze the top sheet until it reaches the one on the bottom, making marks on the sides of each mount. Make this in all direction until all squares are visible.

Cut each little square with a sharp knife. With a fork, seal the edges.

Spread the pillows on baking trays. I used non-stick trays, but I suppose there’s no need to grease a regular tray, since the pastry is so rich in fat.

Egg wash each square using a brush.

Take the trays into the oven for about 20 minutes or until the pastry puffs and turns golden.

While the little pillows are still in the oven, wash the arugula leaves and spread some onto several plates (you’re making your appetizer ready).

Serve the squares still warm, on top of an arugula bed.

This recipe yields 28 puff pastry pillows.

Tortinhas de brócolis e queijo / Broccoli and cheese hand pies

* Scroll down for the English version!

Acho que já comentei por aqui que adoro tortas de todo tipo. Cresci com a torta de brócolis e milho da Nana. Coisa linda! Massa crocante, recheio cremoso e cheio de sabor (aliás, essa torta merece um post só pra ela).

Como parei de comer carne aos 7 anos e minha mãe já era vegetariana há algum tempo, os pratos principais por lá nunca eram a carne. No máximo um peitinho de frango grelhado lá no canto rs. A estrela da mesa era sempre uma massa, uma torta, um assado de vegetais.

A maravilha de tortas é poder escolher o tipo de massa, os ingredientes e suas combinações, a estrutura… Nada é impossível. O importante é não fazer o recheio úmido demais. Ninguém quer um fundo de torta empapado ;-)

Essas tortinhas da Lady and Pups são incríveis! Estou de olho nelas há meses. Resolvi experimentar, adaptando aos ingredientes que encontrei. E que resultado… Nham!

Eu imitei a Mandy e fiz o dobro do recheio. Gostei da ideia de usar como molho para macarrão! A receita abaixo usa somente o necessário para as tortas.

Ingredientes para a massa:

  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 200g de manteiga cortada em cubinhos – congelada
  • 1 colher de sopa de gorgonzola
  • 100g de queijo frescal (ou o que você preferir!)
  • 1 pitada de sal

Ingredientes para o recheio:

  • ½ brócolis
  • 1 colher de sopa de óleo
  • 2 colheres de sopa de gorgonzola
  • ¼ xícara de queijo parmesão
  • 75g de cream cheese
  • 1 dente de alho batido com sal
  • 1 ovo para pincelar (bata com uma colher de água)

Lave o brócolis e pique em pedaços. Refogue em uma frigideira com o alho, o sal e o óleo. Retire do fogo quando os talos começarem a ficar tenros.

Em um processador ou liquidificador, bata bem o brócolis e os queijos e confira o tempero. Coloque na geladeira e deixe por 1 hora.

Para fazer a massa, bata metade da farinha de trigo (1 xícara) com a manteiga e os queijos em um processador ou liquidificador (isso é muito mais fácil de fazer com o processador, mas não é todo mundo que tem um em casa, né?). Bata até atingir uma consistência mais homogênea. Junte o restante da farinha e misture novamente (fiz essa parte na mão mesmo. Meu liquidificador não ia aguentar). Caso seja necessário, coloque um pouco de água na massa para dar liga. Não coloque mais do que 2 colheres de sopa!

Sove a massa levemente e amasse, formando um disco. Enrole em plástico-filme e leve ao congelador por 30 minutos (caso não vá fazer a torta na hora, deixe a massa na geladeira).

Ligue o forno a 200°C.

Abra a massa em uma superfície coberta de farinha. Faça um retângulo, deixando a massa com a espessura aproximada de 4mm. Se você precisar cortar as beiradas, junte-as depois, abra e faça mais tortinhas.

Corte a massa em quadrados. Nessa hora você pode escolher o tamanho das suas tortinhas. Os meus quadrados tinham lados de aproximadamente 9cm. Coloque uma colher de sopa cheia de recheio em cada pedaço de massa.

Eu mudei o formato das tortinhas, que ficaram parecendo esfihas. Junte as quatro pontas de um quadrado no centro e cuidadosamente feche a torta. Repita em cada pedaço de massa.

Unte uma forma e espalhe farinha por cima. Espalhe as tortinhas na forma, deixando algum espaço entre elas (as minhas ficaram um pouco juntas demais). Leve a forma à geladeira por 1 hora ou ao freezer por 30 minutos.

Retire a forma e pincele cada tortinha com o ovo batido. Leve ao forno por 30 a 45 minutos, ou até a massa atingir uma cor dourada.

A Mandy polvilha açúcar de confeiteiro por cima e serve com mostarda. Fica a seu critério. O importante é servir as tortinhas ainda mornas. Aproveite!

Essa receita rende 15 tortinhas.

I think I already mentioned here that I love pies. I grew up eating a broccoli and corn pie that Nana makes. It’s beautiful. The crust is crunchy, the filling is creamy and full of flavor (by the way, this pie deserves its own post!).

Since I stopped eating meat at 7 and my mother was already a vegetarian, the main dishes at home were never the meat. At the most a chicken breast on the side. The star of the table was always a savory pie, some pasta or a vegetable roast.

The wonderful thing about pies is being able to choose the kind of pastry, the ingredients and combinations, the structure… Nothing is impossible. The important part is not making the filling too humid. Nobody likes a soggy bottom ;-)

These hand pies by Lady and Pups are amazing! I’ve had my eyes on them for months. I decided to give them a try using the ingredients that I found. And what a result… Yum!

I also copied Mandy and made the double amount of filling. I liked the idea of using it to eat with pasta! The recipe below gives you just enough for the pies.

Ingredients for the crust:

  • 2 cups of flour
  • 200g of butter cut into little cubes – frozen
  • 1 tablespoon of blue cheese
  • 100g of fresh minas cheese (or whatever type you want!)
  • 1 pinch of salt

Ingredients for the filling:

  • ½ broccoli
  • 1 tablespoon of oil
  • 2 tablespoons of blue cheese
  • ¼ cup of parmesan cheese
  • 75g of cream cheese
  • 1 garlic clove – smashed with salt
  • Egg wash (1 egg whisked with 1 tablespoon of water)

Wash the broccoli and chop it into pieces. Stir fry it on a pan with the garlic and salt and the oil. Remove from the heat once the stems start getting tender.

On a blender or food processor, ground the broccoli and 3 types of cheese. Check the seasoning. Leave it in the fridge for 1 hour.

To make the pastry, mix half the flour (1 cup) with the butter and 2 types of cheese using a food processor or blender (this is much easier to do on a food processor, but not everyone has one at home, right?). Mix until it reaches an almost smooth consistency. Add the rest of the flour and mix again (I did that part by hand. My blender was just not strong enough for that). In case the dough is too dry, add a little water. Don’t add more than 2 tablespoons of water!

Knead the dough slightly and flatten it, making a disk. Wrap it in cling film and take it to the freezer for 30 minutes (in case you’re not making the pie at the time, leave it in the fridge).

Turn the oven on at 200°C.

Roll out the dough on a clean surface covered with flour. Make a rectangle, leaving the dough with about 4mm thickness. You might need to cut the trimmings. Later, you can gather them, roll them out and make more pies.

Cut the dough into squares. Mine had about 9cm on each side. Put a tablespoon of filling on each square.

I changed the shape of the pies, which ended up looking like sfihas. Bring the four corners to the center and close the sides. Repeat that with each square.

Grease a baking tray and spread some flour on it. Place the pies on the tray, leaving some room to grow (mine were a bit too close to each other). Take the tray to the fridge for 1 hour or to the freezer or 30 minutes.

Remove the tray and brush each pie with the egg wash. Take them to the oven for 30 to 45 minutes or until golden on the sides.

Mandy dusts the hand pies with powder sugar and serves them with mustard. That is up to you. The important thing is to serve them still warm. Enjoy!

This recipe yields 15 hand pies.

Pão de queijo / Cheese bread

* Scroll down for the English version!

Pão de queijo é um símbolo fiel de Minas Gerais. Algumas pessoas de outros estados já me perguntaram se os mineiros curtem mesmo tanto assim o salgadinho. Não seria aquele tipo de comida típica que ninguém consegue mais ver na frente? Bom, tenho certeza de que existe gente que se sente assim. Mas a minha relação com pão de queijo vai muito bem, obrigada. É impossível resistir àquele exterior crocante, ao recheio macio, ao sabor intenso de queijo e ao aroma incrível. Um pão de queijo bem feito é delicioso e reconfortante. Tomado com um cafezinho, é um ritual quase espiritual.

Há alguns anos, comecei a trabalhar em uma empresa que serve vasilhas enormes de pão de queijo nas reuniões mais longas. E que pão de queijo… atribuo a ele vários dos meus recém adquiridos quilinhos a mais ;-)

Devido a essa paixão descontrolada, decidi que tinha passado da hora de aprender a fazer esses pãezinhos em casa. Escolhi usar polvilhos doce e azedo, já que um ajuda a dar a consistência crocante do exterior e o outro, o macio do miolo. A primeira tentativa foi um desastre. As proporções estavam erradas e o tanto de queijo que eu usei não deu nada além de um cheirinho. Tentei de novo, usando uma receita diferente. Bem mais queijo e proporção diferente dos polvilhos. E aí, sim! Texturas certas, sabor bem mais intenso e aquele aroma. Aprendi essa versão com a Raiza do Dulce Delight, que, aliás, dá as dicas em português e inglês. Só acrescentaria um pouco mais de queijo. Segue então a receita com essa pequena alteração.

– Aliás, se você não conseguir encontrar os dois tipos de polvilho, use só um, sem problemas. O seu pão de queijo ainda vai ficar bom. A Raiza também peneira os polvilhos, mas eu sou simplesmente preguiçosa demais pra ter esse cuidado todo ;-)

Ingredientes:

  • 150g de polvilho azedo
  • 250g de polvilho doce
  • 2 pitadas de sal
  • 20g de manteiga com sal
  • 55ml de óleo (mais um pouco para untar suas mãos)
  • 300ml de leite
  • 2 ovos
  • 250g de queijo minas ralado (a Raiza sugere substituir por queijo cotija ou monterey jack caso você não esteja no Brasil)
  • 150g de queijo parmesão ralado

Ligue o forno a 180°C (o meu que é fraco, liguei a 200°C).

Junte o leite, a manteiga e o óleo e leve ao fogo médio. Desligue assim que ferver.

Enquanto os líquidos esquentam, junte os dois polvilhos e o sal em uma vasilha grande. Derrame os líquidos fervidos nos polvilhos e misture com um garfo. Agora é a hora de colocar a mão na massa. Sove a mistura até atingir uma consistência homogênea.

Acrescente os ovos e sove mais. Nessa hora, a massa vai deixar de ser linda e homogênea e vai começar a grudar na sua mão. Tenha paciência, pequeno padawan, é isso mesmo. Tudo vai dar certo!

Acrescente os queijos e misture de novo.

A massa está pronta para enrolar (essa é a única parte mais chatinha do processo). Como ela é muito grudenta, o ideal é passar óleo nas mãos para fazer as bolinhas (tive que lavar as mãos, tirar o excesso da massa e passar mais óleo umas duas vezes). Pegue um pouco de massa e enrole nas duas mãos (usei uma colher de sopa cheia como medida). Coloque em tabuleiros sem untar. Fiz pães de queijo pequenos e consegui 24 unidades.

Leve ao forno por 25 a 30 minutos ou até atingirem a coloração desejada. Sirva os pães de queijo quentinhos!

Cheese bread is the perfect symbol for Minas Gerais, the state where I live in Brazil. Some people from other states have asked me if we really dig it so much. Wouldn’t it be that kind of typical food that you just can’t stand anymore? Well, I’m sure there are people who feel like that. But my relationship with cheese bread goes very well, thank you very much. It’s impossible for me to resist to that crunchy crust, to the softness in the middle, to the intense cheese flavor and incredible aroma. Well-made cheese bread is delicious and comforting. And eaten while drinking coffee, makes it almost a spiritual ritual.
Some years ago I started working for a company which serves loads of cheese bread on huge bowls during the longs meetings. And what cheese bread that is… I blame it for several of my recently acquired extra kilos ;-)
Due to this uncontrollable passion, I decided that it was past time I learned how to make these buns at home. I chose to use “sour” and “sweet” manioc starch, since one helps achieve the crunchy consistency on the outside and the other makes the middle very soft. My first attempt was a disaster. The proportion was all wrong and the amount of cheese that I used was barely enough to make it smell like cheese bread. So I tried again with a different recipe. I used lots more cheese and different amount of starches. And there is was! Right texture, intense flavor and the right aroma. I learned this version from Raiza from Dulce Delight, who, by the way, also shares her recipes in Portuguese and English. I would only add a bit more cheese. So here goes the recipe with this little change.
– By the way, if you can’t find the two kinds of starches, don’t fret. You’ll still get good cheese bread using only one. Raiza also sieves her starch, but I just can’t be bothered, I’m just too lazy for that ;-)
Ingredients:
  • 150g of sour manioc starch
  • 250g regular (sweet) manioc starch
  • 2 pinches of salt
  • 20g of butter
  • 55ml of oil (plus some more for your hands)
  • 300ml of milk
  • 2 eggs
  • 250g of shredded “Minas” cheese (Raiza suggests replacing this with cotija cheese or monterey jack in case you’re not in Brazil)
  • 150g of shredded parmesan cheese
Turn the oven on at 180°C (since mine is not that awesome, I used it at 200°C).
Boil the milk, butter and oil together.
While the liquids heat up, assemble the two starches and the salt on a large bowl. Pour the boiling liquids over the starches and mix with a fork. Now it’s time to get your hands dirty. Knead the mixture until you get a smooth dough.
Add the eggs and knead some more. This is when your beautiful smooth dough will become a horrible sticky mess. Be patient, little padawan, that is how it goes. Everything will be all right.
Add the two types of cheese and mix in the dough.
Now all you need to do is make little balls. Ok, that’s the annoying part of the process, but it gets much easier if you grease your hands with oil. I had to wash my hands, remove the excess batter and use more oil twice. So all you need to do is spread some oil on your hands and roll bits of dough on it (about the size of a tablespoon). Place them on trays, no need to grease them. I made sort of small cheese breads and got 24 units.
Take them to the oven and bake for 25 to 30 minutes or until they reach the desired color (I like mine slightly brown on the sides). Serve them while still warm!

Baguete / Baguette

* Scroll down for the English version!

Baguete é aquele pão francês comprido e delicioso, com uma casca crocante e sabor suave. Perfeito para sanduíches, bruschettas ou para comer com manteiga.

São várias as receitas, mas há alguns pontos em comum:

– O preparo leva tempo. Dependendo da receita, os pães precisam descansar uma vez ou mais, mas sempre precisam de algumas horas.
– Umidade é essencial. Usar água ou gelo em um recipiente abaixo do tabuleiro no qual o pão é assado é importante para deixar a casca crocante.

Escolhi uma que demora umas 4 horas. Eu sei, não é algo que se faça no dia-a-dia, mas vale à pena. A casca é crocante e o miolo, macio. E o sabor suave combina com tudo! Mas o melhor é a sensação de criar um pão maravilhoso desses a partir de ingredientes tão simples.

Ingredientes:

  • 1 ½ xícara de água aquecida a aproximadamente 46°C
  • 1 colher de chá de fermento biológico seco instantâneo
  • 3 ¼ xícaras de farinha de trigo
  • 2 ½ colheres de chá de sal
  • Óleo para untar
  • ½ xícara de cubos de gelo

Junte a água morna e o fermento e reserve por 10 minutos. É importante não ultrapassar essa temperatura, ou as leveduras vão morrer queimadas, tadinhas. A água ficará turva.

Adicione a farinha e mexa com um garfo. Deixe a farinha hidratar por 20 minutos.

Junte o sal e transfira a massa para uma superfície coberta com farinha. Sove por 10 minutos, até que a massa fique homogênea.

Transfira a massa para uma vasilha grande, untada com óleo e cubra com plástico-filme. Deixe descansar e crescer por 45 minutos em um local escuro e sem vento (eu costumo colocar dentro do forno desligado).

Retire a massa da vasilha e abra em uma superfície coberta com farinha. Faça um retângulo de 20cm x 15cm. Dobre os lados até o centro, como se estivesse guardando uma camisa. Dobre os outros lados restantes. Coloque a massa na vasilha novamente, com a abertura para baixo. Cubra com plástico-filme e leve ao forno desligado novamente. A massa vai crescer ainda mais. Deixe descansar por 1 hora.

Retire a vasilha do forno. Coloque uma frigideira de ferro ou tabuleiro resistente na prateleira debaixo do forno. Você vai usar a prateleira do meio para assar o pão.

Ligue o forno a aproximadamente 245°C.

Retire a massa da vasilha e coloque novamente na superfície com farinha. Divida a massa em 3 ou 4 pedaços, dependendo do tamanho de baguete que você quer fazer. Eu dividi em 4 pedaços e rolei na farinha até atingir aquela forma comprida com aproximadamente 25cm.

Cubra um tabuleiro grande com papel manteiga e espalhe um pouco de farinha por cima. Coloque os 4 pães no tabuleiro, deixando um pouco de espaço entre eles. Levante o papel manteiga para que cada um possa crescer sem atrapalhar o outro. A receita pede também para deixar uma toalha em cada canto do tabuleiro, para evitar que os pães cresçam para os lados. Cubra levemente com plástico-filme e deixe descansar por mais 50 minutos.

Retire o plástico e as toalhas e estique o papel manteiga. Com uma tesoura, corte suavemente a superfície de cada baguete, deixando intervalos. Abaixe as pontinhas da massa com a tesoura (esqueci de fazer isso rs).

Leve o tabuleiro com as baguetes ao forno. Coloque os cubos de gelo na frigideira ou tabuleiro que está abaixo. Asse até atingir uma cor dourada bem escura (as minhas podiam ter ficado um pouco mais). Dependendo do forno, isso pode levar de 20 a 60 minutos.

Esfrie antes de servir. Comi os primeiros pedaços com manteiga e molho pesto e fiz sanduíches com o restante. Uma delícia!

Baguettes are those long delicious French bread with a crunchy crust and mild flavor. It is perfect for sandwiches, bruschettas or to simply eat with butter.
There are several different recipes, but all of them with some things in common:
– The preparation takes time. Depending on the recipe, the bread will rest once or twice, but it will always take a few hours to make it.
– Humidity is key. Using water or ice in a recipient underneath the tray in which the baguette is baking is important to make the crust really crunchy.
I chose a recipe that takes about 4 hours. I know, it’s not something you would do every day, but it’s so worth it. The crust is amazing and crunchy, the middle is soft. The flavor goes with everything! But best of all is the feeling of creating such incredible bread from such simple ingredients.
Ingredients:
  • 1 ½ cup of warm water (about 46°C)
  • 1 teaspoon of instant dry yeast
  • 3 ¼ cups of flour
  • 2 ½ teaspoons of salt
  • Oil – to grease
  • ½ cup of ice cubes
Combine the water and the yeast and set aside for 10 minutes. It’s important not to use water that is too hot, or the yeast will die, poor thing. That water will get misty.
Add the flour and mix everything in with a fork. Let the flour hydrate for about 20 minutes.
Mix in the salt and transfer the dough to a flour covered surface. Knead for about 10 minutes, until the dough is smooth.
Transfer the dough to a big bowl, greased with oil and cover with plastic wrap. Let it rest and grow for 45 minutes on a dark, windless spot (I usually use the oven, when it’s off).
Remove the dough from the bowl and open it on a flour covered surface. Make a 20cm x 15cm rectangle. Fold the sides to the center, as if you’re folding a shirt. Fold the other remaining sides. Put the dough back to the bowl, with the seam side down. Cover with plastic wrap and let it rest in the oven again. The dough will rise even more. Set it aside for 1 hour.
Remove the bowl from the oven. Put a cast iron skillet or a tray on the bottom rack of the oven. You will use the middle one for the bread.
Turn the oven on to about 245°C.
Remove the dough from the bowl and place it on the flour covered surface again. Divide the dough into 3 or 4 equal pieces, depending on the size of baguettes you want to make. I divided mine into 4 pieces and rolled them on the flour until reaching that long shape. They had about 25cm in length.
Cover a large tray with parchment paper and spread some flour on it. Put the 4 breads on it, leaving some space between them. Lift the paper that is between each loaf, so they can grow without disrupting each other. The recipe also asks to leave a folded towel on each corner of the tray, to avoid the bread to grow to the sides. Cover loosely with plastic wrap and let them rest for 50 more minutes.
Remove the plastic and the towels and smoothen the paper. With a scissor, cut lightly the surface of each baguette, leaving some space between each cut. Flatten the tips of the sides of each slash (I obviously forgot to do that..).
Take the tray with the baguettes to the oven. Put the ice cubes in the skillet or tray that is in the bottom of the oven. Bake until each bread reaches a strong golden color (mine could have been left a while longer). Depending on the oven, this might take from 20 to 60 minutes.
Let them cool before serving. I ate some with butter and pesto sauce and made sandwiches with the rest. So good!

Batata assada recheada com queijo e alho poró / Baked potato topped with leek and cheese

* Scroll down for the English version!

Quem não ama batata? Grande, pequena, vermelha, branca, ela pode não ser o vegetal mais nutritivo, mas são tantas as formas de cozinhar, fritar, assar e todas tão deliciosas, que é difícil resistir. E servindo com outros ingredientes mais completos, dá pra fazer um cardápio saudável, sim!

Sempre brinco que batatas são dos ingredientes mais importantes na culinária da Alemanha.
Para quem é vegetariano, já foi até lá e tentou comer em restaurantes, sabe como o tubérculo está por toda parte. Talvez pelo amor que os alemães têm à carne, as batatas acabem sendo a principal opção sem mil salsichas. E como são boas…

Batata recheada é comfort food ao extremo. Com aquela casca crocante, o recheio cremoso e o centro macio e quentinho, comer uma delícia dessas é uma das experiências mais relaxantes e sedutoras que existe! Segue a minha versão :-)

Ingredientes:

  • 2 batatas grandes
  • 1 xícara de queijo muçarela (ou minas) ralado ou picado em cubinhos
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 4 colheres de sopa de requeijão cremoso ou cream cheese
  • 1 alho poró
  • Azeite
  • Sal a gosto

Ligue o forno a 200°C.

Lave as batatas e faça furinhos na casca. Passe azeite por toda a superfície e espalhe um pouco de sal.

Leve ao forno por aproximadamente 1h30. Não se preocupe em usar um tabuleiro. Os furinhos vão evitar que a batata exploda (sério!) e o calor uniforme vai assá-las mais rapidamente. A casca deverá estar crocante e o interior, bastante macio.

Enquanto as batatas assam, pique ou rale o queijo e prepare o alho poró. Retire as folhas mais duras e muito escuras. Lave bem, com as folhas para baixo, deixando cair bastante água e tirando toda a terra. Corte em fatias finas e leve ao fogo com um pouco de azeite e sal. Deixe cozinhar, mexendo sempre. Retire do fogo quando cada pedaço esteja tenro. Reserve.

Retire as batatas do fogo com cuidado e coloque-as em um tabuleiro. Parta cada uma no meio e retire parte do interior. Eu usei esse miolo para fazer outro prato.

Coloque um pouco de manteiga e uma colher de requeijão em cada metade. Cubra com o queijo e o alho poró.

Leve ao forno por mais 15 minutos, até que o queijo esteja derretido.

Sirva quente!

Essa receita serve 2 pessoas.

Who doesn’t love potatoes? Big, small, red, white, it may not be the most nutritious of vegetables, but there are so many ways to cook, fry and bake and they are all so delicious, that it’s hard to resist! And serving it with other more complete ingredients, you can make a healthy menu!
I always joke about how potatoes are some of the most important ingredients in German culinary. Vegetarians who have been in Germany and tried eating at restaurants, know that this tuber is everywhere. Perhaps because of their love for meat, potatoes end up being the main option of a meatless dish. And how awesome are they!
Baked stuffed potatoes are comfort food at its best. The crunchy crust, the creamy filling and soft and warm center make eating one of these a relaxing, indulging experience. Here goes my version :-)
Ingredients:
  • 2 big potatoes
  • 1 cup of mozzarella cheese – shredded or cut into cubes
  • 1 tablespoon of butter
  • 4 tablespoons of cream cheese
  • 1 leek
  • Olive oil
  • Salt to taste
Preheat the oven at 200°C.
Wash the potatoes and make little holes on the skin. Spread olive oil all around and a bit of salt.
Bake for about 90 minutes. You don’t have to use a tray. The holes will avoid the potato to explode (I mean it!) and the even heat will bake it more quickly. The peel will become crunchy and the middle, quite soft.
While the potatoes bake, chop or grate the cheese and prepare the leek. Remove the tougher, darker leaves. Wash well, with the leaves down, letting lots of water all around, to remove all the dirt. Chop into thin slices and cook on a skillet with a bit of olive oil and salt. Let it cook for a while, stirring often. Remove from the fire when each slice is soft. Set aside.
Take the potatoes out of the oven carefully and put them on a tray. Cut each of them in half and remove part of the flesh from the middle. I used this to make another dish.
Add a little butter and a spoon of cream cheese to each half. Cover with the mozzarella and the leek.
Bake for another 15 minutes, until the cheese has melted.
Serve hot!
This recipe serves 2 people.

Bolo de chocolate e coco / Chocolate coconut cake

* Scroll down for the English recipe.

Fiz esse bolo em setembro e guardei o post para a época de festas. O bolo, é claro, acabou no dia seguinte. A ocasião era o aniversário da minha avó materna. A de origem libanesa, linda de morrer, lembra? A família dela veio para o Brasil há anos e se estabeleceu em Lavras, no interior de Minas Gerais. Desde cedo, quebrou barreiras. Teve uma carreira incrível, foi a primeira mulher da cidade a andar de bicicleta, viajava de jipe com os colegas de trabalho para cima e para baixo, derrubou um cara com um golpe de jiu jitsu (ela tem uma foto que prova isso) e pediu o meu avô em casamento. Não é sensacional?

Em homenagem a ela, escolhi fazer um bolo de coco e chocolate, duas paixões que ela nutre desde sempre. De bônus, olha a aniversariante soprando as velinhas ;-)

Usei uma receita linda do food52 e mudei uma coisinha ou outra.

Ingredientes:

  • 500g de chocolate meio amargo – picado
  • 2/3 xícara de manteiga
  • 4 ovos
  • 2 colheres de chá de essência de baunilha
  • 1 1/2 xícara de café forte
  • 3 1/3 xícaras de açúcar
  • 3 xícaras de farinha
  • 1 1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de sal
  • 250g de cream cheese (amolecido fora da geladeira)
  • 1 xícara de coco ralado (sem adoçar)
  • 1 xícara de creme de leite

Ligue o forno a 180°C. Derreta 250g do chocolate com a manteiga a fogo baixo (ou no microondas). Deixe esfriar.

Misture o cream cheese com 1 ovo, 1/2 colher de chá de baunilha, 1/3 xícara de açúcar e o coco. Reserve.

Em outra vasilha, junte o chocolate com manteiga, 3 ovos, 1 1/2 colher de chá de baunilha e o café.

Misture o açúcar, farinha, bicarbonato e sal. Adicione a mistura de chocolate até ficar homogêneo. Evite bater a massa nesse momento, misturando com cuidado.

Derrame a metade da massa em uma forma untada de 30cm. Coloque a mistura de coco e cream cheese por cima gentilmente e por cima, o restante do bolo.

Asse por 45’ a 65’ ou até conseguir enfiar um palito no centro e ele sair limpo. Deixe o bolo esfriar por pelo menos 10’ antes de tirar da forma e colocar no prato onde vai servir.

Enquanto o bolo esfria, leve o creme de leite ao fogo baixo com o restante do chocolate, mexendo sempre. Desligue quando o creme de leite ferver e misture até incorporar bem. Quando o bolo estiver frio, derrame o creme por cima.

Essa receita serve de 10 a 12 pessoas.


I made this cake in September and saved the post for the holiday season. The cake, of course, was over the next day. The occasion was my grandma’s birthday. The one from my mother’s side, the gorgeous lebanese descendant, remember? Her family came to Brazil years ago and settled in Lavras, a town in the countryside. From an early age, she broke barriers. She had and amazing carrier, she was the first woman of the town to ride a bike, she travelled by jeep with her male colleagues all over the place, she knocked a guy down with jiu jitsu (she has a picture of it as proof) and she proposed to my grandpa. How amazing is that?
In her honor, I decided to make a coconut chocolate cake, since both ingredientes have been a passion since forever. As a bonus, here is the birthday girl blowing up the candles ;-)
I used a beautiful recipe from food52 and changed a thing or two.
Ingredients:
  • 500g bittersweet chocolate – chopped
  • 2/3 cup of butter
  • 4 eggs
  • 2 teaspoons of vanilla essence
  • 1 1/2 cup of strong coffee
  • 3 1/3 cups of sugar
  • 3 cups of flour
  • 1 1/2 teaspoon of baking soda
  • 1 teaspoon of salt
  • 250g cream cheese (softened outside the fridge)
  • 1 cup of shredded coconut (unsweetened)
  • 1 cup of cream
Turn the oven on to 180°C. Melt 205g of chocolate with the butter at low heat (or use the microwave). Let it cool for a while.
Mix the cream cheese and 1 egg, 1/2 teaspoon of vanilla essence, 1/3 cup sugar and the coconut. Set aside.
In another bowl, add the chocolate mixture with 3 eggs, 1 1/2 teaspoon of vanilla and the coffee.
Mix the sugar, flour, baking soda and salt. Add the chocolate mixture until incorporated. Don’t whip, just mix the ingredients with care.
Pour half the dough on a 30cm greased tray. Spread the coconut with the cream cheese on top and then pour the rest of the cake.
Bake it for 45’ to 65’ or until you can insert a toothpick in the center and it comes out clean. Let the cake cool down for at least 10’ before removing it from the tray and putting it on the serving plate.
While it cools down, take the cream and rest of the chocolate to a pan on low heat, stirring often. When the cream starts boiling, turn it off and mix well until smooth. Once the cake has cooled, pour the frosting on top.
This recipe serves from 10 to 12 people.