Sete grãos ao leite de coco e shimeji

Dia desses eu estava pensando no tanto de blogs de culinária que leio e como cada pessoa dá seu toque às receitas que posta. Costumo alterar algumas coisas e facilitar outras, mas me deu vontade de criar algo diferente, gostoso e surpreendente. E foi o que saiu! Espero que gostem! :-)

Aliás, todas as fotos desse post foram tiradas pelo Luiz Ramos. Obrigada, tamarindo!

Ingredientes

  • 1 xícara de 7 grãos (caso prefira, use arroz integral ou quinoa)
  • 1 vidro de leite de coco
  • 1 pedaço de gengibre (de aproximadamente 2cm) ralado
  • 400g de shimeji
  • suco de 1 limão
  • tomilho fresco (usei uns 6 raminhos)
  • azeite
  • alho e sal

Em uma panela, coloque o gengibre, alho, sal, azeite e os 7 grãos. Deixe fritar por alguns segundos e acrescente o leite de coco. Complete com água (aproximadamente 3 xícaras) e deixe ferver. O pacote diz que fica pronto em 30′, mas comigo demorou um pouco mais que isso. Cozinhe até os grãos ficarem tenros.

Enquanto os grãos cozinham, passe uma água no shimeji e separe os talos até a base, sem descartar nada. Leve a uma frigideira quente com azeite, alho e sal e refogue por uns 10′. Acrescente o suco de limão (talvez precise de mais, fique à vontade para seguir o seu gosto!).

shimeji

shimeji

eu, sem jeito

Junte o shimeij com os grãos e o tomilho e sirva quente. E aí, curtiram? :-D

quase lá!

Nham!

pronto!

Essa receita serve umas 4 pessoas.

Anúncios

Rolinho de primavera fresco com abobrinha, brócolis e molho de amendoim

Depois do último post de rolinho primavera, sobrou um pouco da massa de arroz. Resolvi inovar, ou usar tudo que achei na geladeira.. rs Ficou bom! Usei o mesmo molho de amendoim que fiz  para o Pad Thai, é viciante :-)

Ingredientes:

  • 6 massas de arroz para rolinho primavera
  • 1 maço de brócolis (usei só as flores. Guardei as folhas e talos para um refogado)
  • 1 abobrinha
  • óleo
  • alho e sal

Ingredientes para o molho:

  • óleo
  • 1 tomate picado em cubinhos
  • 1/4 vidro de leite de coco
  • 1 punhado de amendoim torrado e batido
  • shoyu
  • 1 colher de chá de açúcar de açúcar mascavo
  • 1 colher de café de pasta de chili (use pimenta, se não tiver)
  • 1 colher de café de suco de limão

Recomendo começar pelo molho, que é servido frio. Como eu disse, a receita é a mesma usada no Pad Thai, mas vou repetir aqui para facilitar a sua vida ;-) Coloque os tomates em uma frigideira com um pouco de óleo quente e deixe que eles derretam. Se usar a pasta de chili, coloque em um canto da frigideira e mexa até desfazer. Adicione o limão, o açúcar, o amendoim, o shoyu e o leite de coco e cozinhe até ferver. Reserve.

Para o rolinho, comece picando as flores do brócolis e refogue-as com um pouco de alho e sal.

Corte a abobrinha em palitos finos, sem usar muito das sementes. O ideal é deixar os pedaços bem fininhos, já que não precisa cozinhar.

Passe um pouco de alho e sal na a abobrinha. Aqueça um pouco de água em uma frigideira. Passe cada massa pela água por alguns segundos, para que amoleça, mas sem começar a rasgar. Junte os ingredientes para começar a montar os rolinhos. Coloque a massa em uma superfície e o recheio na parte de cima.

Dobre as laterais para cobrir a parte do meio.

Enrole em direção à ponta que sobrou. Pressione para vedar bem, tomando cuidado para não deixar o recheio sair.

Pronto! Só mergulhar no molho!

Serve uma pessoa gulosa!

Thai Curry

Esse prato veio de um livro de receitas tailandesas que um amigo me deu. Ficou uma delícia, mas eu faria algumas modificações. Vou explicando aos poucos.

Ingredientes:

  • 2 cenouras
  • 7 vagens
  • 1 brócolis
  • 1 couve-flor
  • 1 cebola picada
  • 1 tofu (aproximadamente 1 xícara de tofu picado em cubos)
  • alho
  • sal
  • shoyu
  • óleo
  • 2 vidros de leite de coco
  • 1 colher de chá de pasta de curry vermelha (essa pasta tailandesa é diferente do curry indiano. Não sei se é fácil achar, a minha veio de presente. Caso não encontre, use uma mistura de páprica, pimenta dedo de moça picada, sementes de coentro e cominho e alho. Um ingrediente que nunca acho para comida tailandesa é capim limão..)

Pique os legumes e reserve. Fazendo uma segunda vez, eu deixaria as cenouras um pouco maiores do que a foto, para que continuem crocantes.

Leve a cebola a uma frigideira com óleo, alho, sal, shoyu e a pasta de curry. Acrescente o tofu e deixe dourar.

Junte os legumes ao tofu e acrescente o leite de coco. Bom, essa é a instrução da receita. O problema é que o tofu que eu costumo encontrar é muito macio e quebradiço. Não resiste a todo o processo de cozimento e muito menos à mistura dos ingredientes. O que eu recomendo é usar uma nova panela com um pouco de óleo e sal e juntar os legumes (a vagem vai primeiro, uns 5′ antes do resto) e o leite de coco. O tofu entraria somente ao final, deixando o prato bem mais bonito.

Como podem ver, o tofu quebrou em mil pedacinhos. Mas convenhamos, um prato gostoso é mais interessante que um só bonito. E esse ficou uma delícia!

Usei como acompanhamentos arroz e o rolinho primavera do último post.

Serve 6 pessoas.

Rolinho primavera fresco com shitake, rúcula e pistache

Comprei outro dia uma massa de arroz para rolinho primavera fresco. A diferença é que esse não vai ao fogo, fica bem mais saudável e light que o outro. A massa é bem estranha, transparente, tem uma textura de plástico e não tem gosto de nada! rsrs Mas usando um recheio bacana e um molho bem forte, fica uma delícia!

Vou tentar outras combinações para posts seguintes. A receita de hoje é uma adaptação de um dos meus blogs favoritos, o VeganYumYum, que tem pratos mais que inspiradores com fotos idem!

Ingredientes:

  • 20 folhas de massa de arroz (fácil de achar em lojas de produtos orientais)
  • 1 xícara de pistaches torrados e salgados
  • 1 maço de rúcula
  • 100g de shitake desidratado
  • shoyu
  • sal e alho
  • vinagre balsâmico
  • azeite

Esquente uma chaleira de água e deixe o shitake de molho por meia hora, até hidratar bem. Enquanto isso, lave bem a rúcula e pique os pistaches em pedaços pequenos. O pacote que comprei não veio com eles torrados, é bom verificar antes de usar. Se esse for o seu caso, passe-os rapidamente por uma frigideira com sal.

Retire o shitake da água (aperte para retirar o excesso), pique e refogue em uma frigideira com azeite, alho (esse é por minha conta, não vivo sem!), sal, vinagre balsâmico e shoyu a gosto. Reserve.

Ordene os ingredientes para facilitar a sua vida na hora de enrolar.

Aqueça um pouco de água em uma frigideira, até que fique morna. A massa de arroz é mergulhada na água por alguns segundos (aprox 5”), só até amolecer. Se ficar por muito tempo, vai começar a rasgar. Se ficar muito pouco, vai continuar dura e quebradiça. Vá tentando até pegar o jeito. O meu assistente/namorado fez certinho, ó!

Com a massa hidratada, comece a rechear os rolinhos com um pouco de shitake, rúcula e polvilhe com os pistaches.

A massa costuma vir redonda e para enrolar, junte as beiradas até o centro e enrole o topo por cima do recheio, até o fim. É simples, mas difícil de explicar. Essa figura que eu achei ajuda a entender mais claramente (o recheio vai no “x”).

Pronto!

Ingredientes para o molho:

  • suco de 1 limão
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 5 colheres de sopa de shoyu
  • 1 colher de sopa de pistache picado

Simples assim, só misturar tudo. Usei um shoyu mais espesso e doce, é uma boa ir medindo os ingredientes a gosto.

Agora é só mergulhar! :-D

Serve 6 pessoas.

Só pra dar água na boca, segue o prato completo, contando inclusive com a próxima receita, um curry tailandês. Nham!

Lassi de manga – Independência da Índia – parte III

Lassi é uma bebida refrescante e deliciosa. Existem versões salgadas e doces, mas essa doce de manga é a minha favorita. E incrivelmente fácil de fazer!

Ingredientes:

  • 3 mangas descascadas e picadas
  • 2 copos de iogurte natural
  • 1 copo de leite (ou água)
  • cardamomo em pó
  • gelo
  • açúcar (opcional)

Não há segredos aqui. A ideia é bater o iogurte com a manga, o cardamomo (cuidado para não exagerar. Comece com uma colher de sopa e prove) e açúcar, se necessário. Use água ou leite para evitar que a bebida fique muito grossa. Depende muito da manga usada, mas caso seja necessário, coe antes de servir. Adicione o gelo no final.

Serve 4 pessoas.

Chapati – Independência da Índia – parte II

Chapati é um pão muito tradicional na Índia e em todo o sul asiático. Muito simples de fazer e com um sabor muito suave, ele pode acompanhar praticamente qualquer prato.

Ingredientes:

  • 2 xícaras de farinha de trigo integral
  • água
  • 2 pitadas de sal
  • 4 colheres de óleo

Coloque a farinha e o sal em uma vasilha e acrescente a água aos poucos. O segredo do chapati é sovar bastante. Junte água até que a massa fique macia, mas sem grudar muito na mão. Alguns vídeos do youtube mostram esse ponto. Quando terminar de sovar, coloque o óleo e mexa mais um pouco. Cubra e deixe descansar por aproximadamente 15′.

Faça bolinhas de 5cm de diâmetro com a massa. Forre uma superfície com farinha e abra a bolinha com a ajuda de um rolo. Deixe o pão bem fino. Não é fácil fazer um círculo certinho, mas todo mundo que faz com frequência me garante que é só questão de prática. Gosto de acreditar nisso! ;-)

Aqueça bastante uma chapa de ferro ou frigideira e coloque um pão aberto, um por um. Normalmente, como a superfície é muito quente, bolhas vão surgir na massa. Assim que isso acontecer, gire o pão e toste do outro lado. Para quem tem uma grade de metal, coloque-a sobre o fogo e deixe o chapati no fogo por poucos segundos de cada lado. Ele deve inchar e terminar de cozinhar (não se preocupe se isso não acontecer).

Sim, era para ser redondo. Mas dá para ter uma ideia ;-)

É muito comum servir chapati com ghee (pronuncia “gui”), ou manteiga clarificada. Se quiser fazer em casa, leve um tablete de manteiga sem sal ao fogo e deixe derreter. Quando começar a ouvir um barulho suave de chuva, retire a espuma que se formou em cima. O que restou em baixo já é o ghee, que pode ser armazenado e usado para regar pratos e como uma manteiga normal, para cozinhar.

Essa receita de chapati serve 6 pessoas.

Palak Paneer – Independência da Índia – parte I

No dia 15 de agosto é comemorada a independência da Índia. Passei um tempo por lá ainda muito nova, mas nunca superei a paixão. Sempre amei a cultura e especialmente a comida do país. Esse ano resolvemos comemorar a sua independência com um almoço indiano. Segue uma foto de tudo  pronto :-)

Esse será o primeiro post da série. Divirtam-se!

Comi o palak paneer pela primeira vez em um restaurante indiano aqui em BH e me apaixonei. Não sei como demorei tanto pra experimentar, gostando tanto de comida indiana como eu gosto. É muito simples de fazer, mas tem um detalhe. Ele consiste basicamente de um creme de espinafre e tomate com pedaços de queijo. A questão é que esse queijo não é encontrado por aqui. Já achei várias receitas e não me parece difícil de fazer, mas quem tem tempo e paciência? rs

Bom, já vi o paneer (pronuncia “panir”) substituído por ricota. Costumo usar queijo frescal também, que tem uma consistência parecida. Mas é só isso. O resto é manha!

Ingredientes:

  • 5 tomates picados
  • 1 espinafre
  • 1 queijo frescal ou ricota cortado em cubos
  • 1 cebola picada
  • garam masala a gosto
  • coentro em pó a gosto
  • sal a gosto

Caso use a ricota, vale à pena dar uma refogada com alho e sal e tentar dar uma douradinha nela. O frescal costuma derreter.

Frescal com páprica, só para ficar bonito!

Lave e pique o espinafre, removendo as partes mais duras. Refogue e bata no liquidificador. Reserve.

Refogue a cebola até dourar e acrescente os tomates e o sal. Deixe que eles cozinhem bem, até começarem a derreter.

Adicione a garam masala, o coentro e o espinafre e confira o tempero. Junte com o queijo. Misture bem. Deixe no fogo só por uns dois minutos, para manter a cor verde. Está pronto!

Algumas receitas levam outros temperos, como chili, cominho e alguns outros mais difíceis de encontrar. Adaptei ao que encontro no dia a dia, em uma versão bem básica, mas que funciona muito bem. É comum também adicionar leite ou  creme de leite ao final do cozimento. Eu não sinto a menor falta, então prefiro fazer uma versão mais light ;-)

Costuma vir acompanhado de arroz ou um pão indiano (a receita do chapati vem no próximo post).

Serve 4 pessoas.

Macarrão oriental com shitake e molho de laranja

O nome que eu usei não faz jus ao prato. É tão mais do que isso! Exótico, reconfortante e delicioso! Adaptei uma receita que encontrei de acordo com os ingredientes que consegui achar para comprar.

Ingredientes:

  • óleo de gergelim (encontrado em lojas de produtos orientais)
  • 1 cabeça de alho picada
  • 2 colheres de sopa de gengibre ralado
  • 2 xícaras de suco de laranja (de preferência, espremido na hora)
  • 4 colheres de sopa de shoyu
  • 2 colheres de sopa de pimenta em flocos (cuidado com isso, não precisa usar tudo. pode usar pimenta fresca, caso tenha. mas não use aqueles molhos de pimenta com vinagre!)
  • 4 colheres de sopa de gergelim
  • sal a gosto
  • 1 pacote de macarrão oriental (aquele usado para yakisoba)
  • 300g de ervilha chata lavada e cortada ao meio
  • 1 molho de espinafre picado fino
  • 1 pacote de 100g cogumelo shitake cortado em fatias (caso use o cogumelo seco, deixe em água morna por alguns minutos. e aproveite a água mais tarde em um risoto!). Usei um pouco de cogumelo paris também, pois acho que funghi nunca é demais!

Torre o gergelim em um frigideira até dourar, mexendo sempre. Reserve.

Aqueça o óleo de gergelim e acrescente o alho, gengibre e pimenta. Misture e deixe fritar por alguns segundos. Acrescente o suco de laranja e o shoyu e deixe ferver. Cozinhe até que o molho reduza de volume pela metade.

Cozinhe o macarrão enquanto o molho reduz e refogue os cogumelos e ervilhas em azeite e alho.

Junte os cogumelos e ervilhas ao molho de laranja e deixe cozinhar por alguns minutos. Acrescente o macarrão e o espinafre (cru mesmo) e mexa até que ele fique tenro.

Adapte a quantidade de pimenta à coragem de quem for comer. As duas colheres sugeridas são para os bem corajosos! Sirva salpicado com gergelim. Bom apetite!

Serve 8 pessoas.

Sopa de abóbora com leite de coco, curry e gengibre

Essa sopa é um sucesso para quem gosta de temperos exóticos. É também uma boa forma de seduzir aqueles que têm preconceito com a pobre abóbora, tão mal vista. Fiz como entrada do almoço tailandês. Caso sirva dessa forma, use porções pequenas, já que ela enche bastante. Essa receita serve umas 12 pessoas.

Ingredientes:

  • 1/2 abóbora
  • 2 vidros de leite de coco
  • curry
  • 5cm de gengibre ralado
  • 2 cebolas
  • sal a gosto
  • óleo

Corte a abóbora em cubos e cozinhe com água. Não há necessidade de tirar a casca, já que o gosto e a cor ficam quase iguais. Passe num mixer ou liquidificador, até formar um purê. Em uma panela grande, doure as cebolas em um pouco de óleo. Despeje a abóbora e acrescente o leite de coco, o gengibre ralado e o curry.

Sopa

É muito difícil determinar a quantidade, já que curry realmente não é para todos. Ele já vem apimentado e pode assustar alguns. O gengibre também é bem forte, mas não desagrada. Ainda mais em um dia frio!

Pad Thai

*scroll down for English version!

Essa semana foi aniversário da minha mãe. Como saí de casa há algum tempo, ela sente falta da minha comida (rs) e pediu um almoço de presente. Eis a mesa posta.

Almoço tailandês

Nesse post, vai o prato principal, o pad thai. Muito fácil de fazer, saudável e muito bom! Segue a receita, que serve umas 12 pessoas esfomeadas.

Ingredientes:

  • 1 pimentão verde picado em tiras
  • 1 pimentão vermelho picado em tiras
  • 3 cenouras picadas em tiras
  • 1 brócolis picado em pedaços
  • 1 punhado de broto de feijão
  • 1 punhado de ervilhas chatas picadas
  • 1/2 abacaxi picado em cubos
  • 1 cebola picada em pedacinhos
  • shoyu
  • sal com alho
  • 1 pacote de macarrão para yakisoba (use espaguete, se tiver dificuldade de encontrar)

Para o molho:

  • óleo
  • 4 tomates picados em cubinhos
  • 1 1/2 vidro de leite de coco
  • 150g amendoim torrado e batido
  • shoyu
  • 1 colher de sopa de açúcar mascavo
  • 1 colher de chá de pasta de chili (use pimenta, se não tiver)
  • 1 colher de chá de suco de limão

Refogue os legumes e verduras até que fiquem cozidos, mas crocantes. Eu passei cada um separadamente pela panela, para que não passassem do ponto (com exceção do broto e do abacaxi, que podem entrar crus e da cebola, que pode cozinhar por mais tempo). Cozinhando pouco, eles ficam mais gostosos, mais saudáveis e mantém a cor.

Cores

Misture os ingredientes numa panela grande e vá colocando shoyu a gosto. Cozinhe o macarrão ao mesmo tempo em que refoga os últimos legumes, para que ele não fique muito cozido. Acrescente à panela.

Pad Thai - quase lá

Para o molho, coloque os tomates em uma frigideira com um pouco de óleo quente e deixe que eles derretam.

Tomate

Junte todos os outros ingredientes e cozinhe até ferver. Se usar a pasta de chili, coloque em um canto da frigideira e mexa até desfazer.

Sirva o molho separadamente. Os acompanhamentos vão nos posts seguintes.

Pad Thai

Todas as fotos foram tiradas pelo Luiz com o meu celular. Na próxima vez que eu cozinhar, vamos usar a câmera!

 
This week was my mother’s birthday. As I moved from her house some time ago, she misses my cooking and asked for a birthday lunch.
In this post, I’m describing the main dish, Pad Thai. Very easy to make, healthy and delicious! Here goes the recipe, which serves about 12 people.
Ingredients:
  • 1 green bell pepper cut into stripes
  • 1 red bell pepper cut into stripes
  • 3 carrots cut into stripes
  • 1 broccoli with florets separated
  • 1 handful of bean sprouts
  • 1 handful of snow peas
  • ½ a pineapple cut to cubes
  • 1 onion cut to very small cubes
  • Soy sauce to taste
  • Smashed garlic and salt
  • 1 package of yakisoba noodles

Ingredients for the sauce:

  • Oil
  • 4 tomatoes cut to cubes
  • 1 ½ jar of coconut milk (about 300mL)
  • 150g of toasted crushed peanuts
  • Soy sauce to taste
  • 1 tbsp of brown sugar
  • 1 tsp of red chili paste
  • 1 tsp of lemon juice

For the sauce, put the tomatoes in a frying pan with a little bit of hot oil and cook until they melt. Add the other ingredients and cook until it boils. Mix the chili paste well until it disappears.

Cook the vegetables until tender, but still crunchy. I stir fried them individually so they wouldn’t overcook. Keeping them slightly raw makes them taste and look better besides being healthier. The exceptions are the sprouts and the pineapple, that should be raw and the onion, that can cook for some more time.

Mix all the cooked ingredients in a big pot and add the soy sauce. Start cooking the noodles at the same time you add the last vegetables, so the pasta doesn’t overcook. Add the noodles to the pot.

Serve the sauce separately. The side dishes are in the following posts.

All the pictures were taken by Luiz Ramos in my cell phone. Next time I cook, we’ll use the camera!