Pão caseiro com açúcar mascavo, castanhas e canela / Homemade bread with brown sugar, nuts and cinnamon

* Scroll down for the English version!

Sempre tive medo de forno. Quando morava com a minha avó, era raro alguém usar, seja por economia ou por preguiça. A maioria das tortas e bolos era feita em formas específicas para fogão. Então comecei a me aventurar no campo dos “assados” bem tarde e de forma cautelosa. Mas atualmente ando menos medrosa e até um tanto aventureira. Até certo ponto, já que brincar com receitas desse tipo é sempre arriscado.

Uma das minhas séries favoritas chama-se “The Great British Bake Off”, que chama “padeiros” amadores da Grã-Bretanha para competir em um reality show. Não costumo gostar desse tipo de programa, que envolve muitos egos, brigas bem tensas e uma manipulação cruel. Mas eu tenho uma impressão completamente diferente desse programa. Os competidores são todos pessoas incríveis, super doces e suas experiências em assar tortas e pães vem de fornecer alimento à família e amigos. Me identifico demais. E aprendo muito também. Vejo o pessoal falando sobre o tipo de massa, o que pode dar errado e qual é resultado perfeito a ser alcançado. Coisa linda!

Resolvi começar uma série de pães e tortas. Essa é uma receita básica de pão branco que eu adaptei. Não tenho paciência pra pão branco. Acho muito sem personalidade. Como não tinha farinha integral em casa, usei linhaça, canela, açúcar mascavo e castanhas. Já diziam no meu show favorito que adicionar esse tanto de coisa em uma massa retarda o tempo de descanso da massa e o período no forno também. O jeito é ter paciência, pequeno padawan. Vale à pena!

Usei uma receita do Jamie Oliver e dividi, usando só a metade.

Ingredientes:

  • 2 xícaras de farinha de trigo (mais ½ xícara para polvilhar)
  • 2 colheres de chá de sal
  • 3 colheres de sopa de açúcar mascavo
  • 2 colheres de chá de fermento de pão
  • 300mL de água morna
  • 5 castanhas-do-Pará picadas
  • 7 amêndoas picadas
  • 1 colher de chá de canela em pó
  • 3 colheres de chá de linhaça

Use uma superfície limpa para começar a juntar a massa (caso prefira, use uma vasilha no início, para evitar muita bagunça). Faça uma montanha com a farinha e cave um buraco no meio, como um vulcão. Coloque metade da água dentro e adicione o fermento, açúcar e o sal e vá misturando com um utensílio. Vá adicionando o resto da água, misturando com a farinha ao redor. Se estiver usando a superfície lisa, tome cuidado para não destruir as paredes, ou a água vai escorrer para todos os lados.

Com as mãos cobertas em farinha, comece a misturar e sovar a massa. Use a almofadinha de trás das mãos e sove bastante, por uns 5’.

Deixe descansar por 30’ em uma vasilha coberta com plástico-filme.

Retire a massa da vasilha e acrescente os outros ingredientes. Sove a massa mais uma vez, até atingir o formato e textura desejados. Como eu disse, o Jamie faz o pão branco, mas eu resolvi dar um toque mais adocicado. Deixe descansar mais uma vez por pelo menos 45’ na vasilha coberta, até que a massa dobre de tamanho. Aqueça o forno a 180°C.

Depois de descansar, o pão deve ser manejado com muito cuidado, para não perder as bolhas de ar que vão deixá-lo macio por dentro. Coloque-o gentilmente em uma forma coberta de farinha e leve ao forno. Não bata a porta! Deixe assar por aproximadamente 1h ou até atingir uma cor dourada. O Jamie diz que ao bater no fundo, o som é oco. Acho esse um teste um tanto subjetivo rs… Tire do forno e deixe descansar e esfriar por mais meia hora.

O pão é grandinho e serve umas 4 pessoas gulosas. Fica uma delicia com manteiga, queijo ou geleia de morango. Nham!

I’ve been scared of the oven for as long as I can remember. When I still lived with my grandma, we rarely used it, whether for being cheap or lazy, I’m not sure. Most cakes and pies were made on the stove top, using special trays. So I started my experiences in the baking world quite late and carefully. But nowadays I’m much more fearless and almost a bit adventurous. To a certain degree, because there’s so much you can change in a recipe like this.
One of my favorite TV shows lately is called “The Great British Bake Off”, which involves British amateur bakers to compete in a reality show. I don’t usually go for that kind of thing, since it involves too much ego, horrible fights and cruel manipulation. But I have a totally different feeling about this one. The participants are all amazing people, super sweet and experienced in providing great baking good for their family and friends. I identify, of course. And I also learn a lot! They talk about different kinds of dough and batter, what can go wrong with each one and what the perfect result should be like. Beautiful stuff!
So I decided to start a series of bread and pies. This one is a basic recipe for white bread that I adapted. I have no much patience for white bread, there just no personality at all. Since I didn’t have whole-wheat flour at home, I used flax seeds, cinnamon, brown sugar and nuts. Everyone on my favorite show talks about how adding all this to a recipe makes the proving and baking time much longer. So we need to have patience, little padawan! It’s worth it!
I used a recipe by Jamie Oliver but made only half of it.
Ingredients:
  • 2 cups of flour (and ½ a cup to dust)
  • 2 teaspoons of salt
  • 3 tablespoons of brown sugar
  • 2 teaspoons of yeast
  • 300mL of warm water
  • 5 chopped Brazil nuts
  • 7 chopped almonds
  • 1 teaspoon of ground cinnamon
  • 3 teaspoons of ground flaxseeds
Use a clean surface to start making the dough (if you want, use a bowl in the beginning, to avoid making a mess). Make a pile of flour with a hole in the middle, like a volcano (Jamie calls it a well. Silly Jamie…). Pour half the water inside and add the yeast, 1 spoon of sugar and salt and mix it using a utensil. Add the rest of the water slowly, mixing the flour around. If you’re using the surface and not the bowl, be careful not to destroy the walls too quickly or the water will go everywhere.
Cover your hands in flour and start mixing and kneading the dough. Use the heel of your hands and knead for about 5’.
Once it’s smooth, let it rest on a bowl covered with cling film for 30’.
Remove the dough form the bowl and add the rest of the ingredients. Knead it once more, mixing everything up and reaching the shape and texture desired. Let the dough rest one more time for about 45’ in the covered bowl, until it doubles in size. Preheat the oven to 180°C.
After it’s rested, move the bread very carefully, doing your best not to let the air bubbles leave. They’re the ones that will make the bread soft. Transfer it gently to a flour-dusted tray and put it in the oven, being careful not to slam the door. Bake for about 1h or until reaching a golden color. Jamie says that if you tap on the bottom, the sound is hollow. I think it’s a kind of subjective test… Remove it from the oven and leave it to rest and cool for half an hour more.
The bread serves about 4 people. It tastes great with butter, cheese or strawberry jam. Yum!
Anúncios

Bolo de abobrinha e chocolate / Chocolate zucchini cake

* Scroll down for the English version!

Lembro da primeira vez em que ouvi falar em bolo ou pão com abobrinha. Minha mãe, que é louca com esse vegetal, me contou que comeu nos EUA há anos atrás e amou! A minha reação inicial foi achar beeem estranho, mas depois que tentei e aprovei, nunca mais parei! Já fiz algumas receitas e são todas surpreendentes e deliciosas! Não sei dizer quanto dos nutrientes permanece depois de assada a massa, mas garanto quanto à textura e gosto ;-)

Esse bolo eu fiz no aniversário da dita progenitora, como homenagem e agrado. Ficou lindo, parecendo um brownie dos mais carregados de manteiga, só por causa da gracinha da abobrinha! Rá!

Essa receita é do blog Chocolate & Zucchini, que aliás, recomendo! Mudei uma coisinha ou outra, mas o geral está lá.

Olha como ficou!

Ingredientes para o bolo:

  • 2 xícaras de farinha
  • ½ xícara de cacau
  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio
  • ½ colher de chá de fermento em pó
  • ½ colher de chá de sal
  • 1 xícara de açúcar mascavo
  • 100g de manteiga sem sal (em temperatura ambiente)
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • 1 colher de chá de café solúvel ou 2 colheres de sopa de café (frio)
  • ½ xícara de iogurte grego
  • 3 ovos
  • 2 xícaras de abobrinha ralada (mais ou menos 1 ½ abobrinha)
  • 1 xícara de chocolate meio-amargo picado em pedaços
  • 150g castanhas do Pará torradas e picadas

Ingredientes para a cobertura:

  • 1 caixa (200g) de creme de leite
  • 2 barras (340g) de chocolate meio amargo

Aqueça o forno a 180°C. Unte uma forma de 25cm.

Em uma vasilha, misture a farinha, o cacau, o bicarbonato, o fermento e o sal.

Em outra, junte o açúcar e a manteiga e bata até a consistência ficar mais cremosa. Adicione a baunilha, o café e os ovos, mexendo bem entre cada adição.

Misture a abobrinha, chocolate picado e um terço da farinha, mexendo bem.

Adicione o resto da farinha, as castanhas e o iogurte na massa de ovos (esqueci a castanha, que acabou indo por cima rs. Tolinha). Mexa bem.

Junte a mistura de abobrinha na massa e mexa sem bater. Despeje na forma e passe uma espátula para deixar a superfície lisa.

Asse por 40’-50’, até que um palito de dentes saia limpo do centro do bolo. Espere esfriar um pouco para desenformar.

Enquanto isso, prepare a cobertura. Em uma panela em fogo baixo, junte o chocolate em pedaços e o creme de leite. Mexa sempre e desligue assim que o chocolate derreter.

Cubra o bolo e sirva morno ou em temperatura ambiente (o bacana de servir morno é que os pedaços de chocolate estão derretidos… hmm).

Essa receita serve 12 pessoas muito sortudas!

I remember the fist time I heard about a zucchini cake or bread. My mother, who absolutely loves this vegetable, told me that she had it in the States years ago and loved it! My first reaction was thinking this was really weird, but after I tried and approved it, I never stopped! I’ve made some recipes and they’re all surprising and delicious! I can’t tell about how much of the nutrients survive to the baking process, but I do guarantee about texture and taste ;-)
I made this cake on the said parent’s birthday, as a tribute and endearment. It looked as amazing as a butter-loaded brownie, just because of the dearest zucchini. Yeah!
This recipe comes from the blog Chocolate & Zucchini, which I recommend! I changed a thing or other, but the main thing is here.
Take a look at it!
Ingredients for the cake:
  • 2 cups of flour
  • ½ cup of cacao powder
  • 1 teaspoon of baking soda
  • ½ teaspoon of baking powder
  • ½ teaspoon of salt
  • 1 cup of brown sugar
  • 100g of unsalted butter (at room temperature)
  • 1 teaspoon of granulated coffee or 2 tablespoons of cold coffee
  • ½ cups of greek yogurt
  • 3 eggs
  • 2 cups of shredded zucchini (about 1 ½ zucchini)
  • 1 cup of chopped bittersweet chocolate
  • 150g of brazil nuts (toasted and cut to pieces)
Ingredients for the icing:
  • 200g cream
  • 340g of bittersweet chocolate
Turn on the oven at 180°C. Grease a 25cm baking tin.
In a bowl, mix the flour, the cacao, baking soda, baking powder and salt.
In another bowl, beat the sugar and butter until fluffy. Add the vanilla, the coffee and eggs, mixing well between each addition.
Separately, mix the zucchini, chocolate and a third of the flour. Stir well.
Add the rest of the rest of the flour, the nuts and the yogurt to the egg mixture (I forgot the nuts, which ended up on top of the cake. Silly me).
Combine the zucchini to the mixture without beating it. Pour the batter in the tin and level the surface.
Bake for 40’-50’, until you can dip a toothpick in the center and remove it almost clean. Wait until it cools a bit before you take it of the tin.
Meanwhile, make the icing. On a pan on low heat, add the chocolate and cream and stir. Turn off as soon as the chocolate melts.
Cover the cake and serve it warm or at room temperature (the nice thing about the warm cake is that the chocolate pieces will be melted… yum).
This recipe serves 12 very lucky people!

Rolinho de abobrinha e ricota / Zucchini ricotta rolls

* Scroll down for English version!

Aprendi a comer abobrinha crua há poucos anos. Acho que já contei como na minha infância a abobrinha cozida demais e virava aquela coisa amorfa, sem cor, sem textura e com gosto estranho. Irc! Então quando aprendi o seu potencial, comecei a explorar as diversas formas de servir a essa coisinha linda. E não é que ela crua é realmente bacana? Já postei uma receita de algo como “linguine de abobrinha”, o rolinho primavera fresco, uma salada no pote e o sushi, todos sem cozinhá-la. Pode confiar, é bom!

Essa receita é do Gordon Ramsay, mais um chef inglês pra minha lista ;-) Sempre que faço esse prato, fico imaginando ele gritando na minha orelha, falando que eu to fazendo errado. Mas isso só deixa tudo mais divertido rs

Sempre faço como entrada para um prato mais pesado, já que ela é tão levinha. Vamos a ela!

Ingredientes:

  • 4 abobrinhas lavadas e sem as pontas
  • 4 colheres de sopa de azeite (mais um pouco para enfeitar)
  • 4 colheres de sopa de vinagre balsâmico
  • 250g de ricota
  • Suco de 1 limão
  • Sal a gosto
  • 1 punhado de folhas de manjericão picadas
  • 50g de pinoli torrado (usei castanha do Pará, que é mais barata. Pique e torre até dourar)
  • Pimenta-do-reino

Corte fatias das abobrinhas usando um “mandoline”, aquele ralador com uma lâmina só. O início e fim ficarão bem curtos, use-os para outro prato. As fatias para os rolinhos devem ser bem compridas. Faça 24 delas.

Espalhe o azeite e o vinagre em uma superfície e deixe as fatias por cima, marinando por 20’.

Esfarele a ricota e misture com o suco do limão, sal, manjericão e castanhas.

Coloque uma colher de sopa dessa mistura no fim de uma fatia de abobrinha e enrole (fechei cada uma com um palito de dente).

Repita com cada fatia e arrume os rolinhos em um prato. Fica mais bonito com a ricota para cima, mas às vezes é complicado fazer o rolinho ficar em pé. Apoie um no outro, regue com azeite, uma pitada de pimenta-do-reino e pronto! Divirta-se!

Essa receita dá uns 24 rolinhos e serve umas 8 pessoas.

I learned to eat raw zucchinis a few years ago. I think I’ve already mentioned how in my childhood zucchinis were overcooked and turned into that shapeless, colorless and tasteless thing. Ugh! So when I grasped its potential, I started to explore the several ways of serving this beautiful thing. And I can honestly say it’s great when raw! I’ve posted the zucchini linguini, the fresh spring roll, a salad in a jar e and sushi, all using it like this. So trust me, it’s pretty good!
This recipe is Gordon Ramsay’s, another British chef for my list ;-) Whenever I make this dish, I always imagine him screaming at my face, saying that I’m doing it wrong. But that just makes it all even more fun! Lol
I always use this recipe as a starter for a heavier main dish, since it’s very light. So let’s get started!
Ingredients:
  • 4 zucchinis washed and with the tips removed
  • 4 tablespoons of olive oil (and a bit more to drizzle)
  • 4 tablespoons of balsamic vinegar
  • 250g of ricotta cheese
  • Juice of 1 lime or lemon
  • Salt to taste
  • 1 handful of chopped basil leaves
  • 50g of toasted pinoli (I used brazil nuts, which are cheaper around here. Chop and toast them before using)
  • Black pepper
Slice the zucchinis using a mandoline. The first few and last slices will be too short, you can separate them for another dish. You’re going to need long slices for this one. Make about 24 of them. Drizzle olive oil and vinegar on a clean surface and spread the slices on top, leaving them to marinate for about 20’.
Break the ricotta cheese and mix with the lime juice, salt, basil and nuts. Put one tablespoon of this mixture at the end of a zucchini slice and roll (I sealed each one with a toothpick). Repeat this with each slice and arrange the rolls on a plate. It looks nicer with the ricotta showing and the rolls standing up, but it’s not so easy to keep them straight. Lean each one on the next and drizzle with olive oil, sprinkle some ground pepper and that’s it! Have fun!
This recipe makes 24 rolls and serves about 8 people.

Salada de quinoa, couve e molho pesto / Quinoa, kale and pesto salad

* Scroll down for the English version!

Gosto de chamar essa coisinha linda de “salada deusa”. Sabe aquela receita fácil, deliciosa, super saudável e que fica pronta em poucos minutos? É ela! Claro que nada é perfeito e quinoa anda super caro. Mas vale à pena, sério. E serve como entrada ou prato principal, dependendo da sua fome.

Me inspirei no blog Cookie and Kate, que dá uma receita super bacana de salada de quinoa com um molho pesto todo diferente. Ela inclusive usa coentro. Como atualmente tenho meu próprio raminho de manjericão, achei melhor manter isso mais tradicional rs. Olha que gracinha!

manjericão

E a deusa…

la deusa

Ingredientes:

  • 1 xícara de quinoa
  • 2 folhas de couve
  • 1 punhado de castanhas (usei castanha-do-pará, mas fique à vontade para usar castanha-do-caju, amendoim, pinoli…)
  • suco de 1/2 limão
  • manjericão à gosto
  • alho amassado
  • sal a gosto
  • azeite

Cozinhe a quinoa em água fervente, com um pouco de sal. Vá provando para ver se chegou ao ponto, os grãos vão começar a soltar uma fibra que os envolve como um cinto! rsrs Eles vão continuar meio al dente, mas não estarão duros. A cor também muda, começam a ficar mais transparentes.

quinoa

Caso sobre um pouco de água na panela, drene-a toda a coloque a quinoa em uma vasilha. Para fazer o molho pesto, quebre as castanhas, pique o manjericão e misture com o alho, sal, suco do limão e azeite. Troquei o queijo parmesão pelo suco do limão, que deu um toque mais refrescante e leve à salada.

Lave e corte a couve. Costumo colocar crua mesmo, acho uma delícia na salada.

couve

Junte todos os ingredientes e confira o tempero. Regue com um fio de azeite. Não vejo problema em servir com a quinoa ainda morna. Em um dia frio, é até bem gostoso. Mas caso prefira, deixe na geladeira por uns 5′ antes de levar à mesa.

pronta

nham

Maravilhosa! Essa receita dá para duas pessoas, como prato principal.

I call this the “goddess salad”. It’s that kind of easy, delicious and healthy recipe that gets ready in just a few minutes. Sadly, quinoa is quite expensive in Brazil, but it’s so worth it! It’s great as an appetizer or main dish, depending on your hunger.

I inspired myself on Cookie and Kate and the awesome quinoa salad recipe. Kate uses coriander on her pesto sauce and it’s great! As I have my own little basil plant growing on my window, I kept the pesto more traditional. And it turned out pretty delicious!

Ingredients:

  • 1 cup of quinoa
  • 2 kale leaves
  • 1 handful of nuts (I used Brazil nuts, but feel free to use cashews, peanuts, pine nuts…)
  • Juice of ½ a lime
  • Basil (as many leaves as you want)
  • 1 clove of smashed garlic
  • Salt to taste
  • Drizzle of olive oil

Cook the quinoa on boiling water, with a little bit of salt. The grains will start to turn a little transparent when cooked. Try and see if they’re soft enough. There should still be a bite.

In case there’s water left, drain it and pour the quinoa in a bowl.

To make the pesto, chop the nuts and the basil and mix with the salt, garlic, lime juice and olive oil. I switched the parmesan cheese for the lime juice, which gave the salad a refreshing kick.

Wash and chop the kale. I usually add it raw, it tasted great in salad. The one we have in Brazil is much softer, but I suppose most types of kales would work.

Assemble all the ingredients and check the seasoning. Add some more olive oil.

I see no problem in serving while the quinoa is still warm. On a cool day, it’s actually quite nice. But in case you like it cold, leave the salad in the fridge for about 5 minutes before serving it.

Wonderful! This recipe serves 2 people as a main course.