Pasta de espinafre, masala e iogurte / Spinach, masala and yogurt dip

* Scroll down for the English version!

Desde que saí de casa e comecei a fazer minhas próprias festinhas, aprendi o valor de um patê ou pasta bem gostosa para ser servida como acompanhamento. Não é sempre que eu tenho vontade de passar horas na cozinha e é sempre bom ter uma receita deliciosa e fácil como alternativa. Além de satisfazer a fome e desejo dos amigos, posso curtir a festa sem me preocupar :-)

Essa pasta de espinafre é absolutamente incrível, exótica e viciante. A Mandy do Lady and Pups é a pessoa genial que transformou um creme de espinafre sem graça em um banquete de sabores. Eu mudei um pouco a combinação, porque não tinha todos os ingredientes. Mas ela continuou deliciosa!

A receita usa iogurte grego sem sabor. Eu sei que devo essa receita há tempos, me perdoem! Vou me organizar para fazer o post assim que possível, ok?

Ingredientes:

  • 1 maço de espinafre
  • 1 colher de sobremesa de óleo
  • ½ xícara de passas
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 1 cebola grande picada em cubinhos
  • 1 dente de alho amassado
  • 2 colheres de sopa de farinha de trigo
  • 1 ½ colher de chá de garam masala
  • 1 colher de chá de cominho em pó
  • 1 xícara de leite
  • ½ xícara de iogurte grego natural
  • Sal a gosto
  • Pimenta do reino a gosto
  • Pimenta calabresa

Deixe as passas em água quente por alguns minutos até incharem.

Separe e lave as folhas do espinafre (é melhor não usar os talos nessa receita. Caso queira utilizá-los depois, sugiro refogar e servir com arroz. Fica uma delícia!). Corte-as bem finas e leve-as à frigideira com o óleo e alho. Cozinhe rapidamente, até ficarem tenras. Deixe esfriar por alguns minutos e retire todo o líquido, apertando bem com as mãos (essa água também pode ser usada em outra receita).

A base da pasta é molho branco. Para fazê-lo, aqueça duas colheres de manteiga em uma panela até começar a borbulhar. Adicione a cebola e cozinhe até começar a dourar. Acrescente a farinha e mexa bem. Com o fogo baixo, vá adicionando o leite bem aos poucos, mexendo sempre. Isso é importante para evitar caroços. Assim que a mistura atingir a textura desejada, junte o sal, a pimenta, a garam masala e o cominho.

Remova as passas da água e adicione-as ao molho, junto com o espinafre. Confira o tempero e cozinhe mais até reduzir um pouco, caso a consistência esteja um tanto líquida.

Acrescente o iogurte grego e misture bem. Não deixe a pasta ferver depois de adicioná-lo. Misture a última colher de manteiga, polvilhe cominho e pimenta calabresa por cima. Sirva essa maravilha morna, com pães.

Essa receita serve 4 a 6 pessoas.

Since I left my family’s home and started making my own parties, I learned the value of a good dip or spread to be served as a side dish. Since I don’t always feel like spending hours in the kitchen, it’s a good idea to have a delicious and easy recipe to turn to. Besides satisfying my friends’ hunger, it leaves me free to enjoy the party :-)

This spinach dip is absolutely incredible, exotic and addictive. Mandy from Lady and Pups is the genius who turned old boring creamed spinach into a feast of flavor. I changed the combinations a bit, because I didn’t have all the ingredients. But it was still delicious!

The recipe uses Greek yogurt. I know I’ve promised you this recipe ages ago, so forgive me! I’ll make sure to organize myself to make the post as soon as possible, ok?

Ingredients:

  • 1 bunch of spinach (about 500g)
  • ½ tablespoon of oil
  • ½ cup of raisins
  • 3 tablespoons of butter
  • 1 large onion – diced
  • 1 garlic clove – smashed
  • 2 tablespoons of flour
  • 1 ½ teaspoon of garam masala
  • 1 teaspoon of ground cumin
  • 1 cup of milk
  • ½ cup of Greek yogurt
  • Salt to taste
  • Ground black pepper to taste
  • Chili flakes

Leave the raisins in hot water for a few minutes until they increase in volume a bit.

Separate and wash the spinach leaves (I wouldn’t use the stalks in this recipe. In case you want to use them later, I suggest stir-frying and serving them with rice. It’s great!). Cut the leaves finely and take them to a frying pan with the oil and garlic. Cook for a few minutes, until tender. Let them cool for a bit and remove all the liquid, squeezing with your hands (this water can also be used in another recipe).

The base of the dip is béchamel sauce. To make the sauce, heat up two tablespoons of butter in a pan, until bubbly. Add the onion and cook until it starts turning golden. Add the flour and mix well. At low heat, add the milk little by little, stirring non-stop. This is important to avoid lumpy sauce. As soon as the mixture reaches the desired texture, add the salt, pepper, garam masala e cumin.

Remove the raisins from the water and add them to the sauce, along with the spinach. Check the seasoning and cook until it reduces a little, in case the consistency is a bit too runny.

Add the Greek yogurt and mix well. Don’t let the mixture boil after you add it. Mix in the last tablespoon of butter, sprinkle some ground cumin and chili flakes on top. Serve warm, with bread.

This recipe serves 4 to 6 people.

Anúncios

Rösti de vegetais do Jamie / Jamie’s vegetable rösti

* Scroll down for the English version!

Já nem sei mais quantas receitas do Jamie Oliver eu postei no blog. Eu adoro aquele estilo bagunceiro e apaixonado de cozinhar e amo a simplicidade das receitas.

Rösti é coisa linda e eu já até publiquei outra receita antes. Mas essa é tão maravilhosa e um prato tão completo e balanceado (é uma refeição em si!), que eu não resisti o repeteco. E valeu à pena, ela é incrivelmente deliciosa! A combinação é incrível. Vegetais crocantes, ervilha docinha, espinafre fresco, ovo cremoso e queijo forte… Uma festa de sabores e texturas.

Mudei um pouco a quantidade dos ingredientes, porque achei que a parte da salada merecia uma atenção especial ;-)

Ingredientes:

  • 3 cenouras
  • 5 batatas
  • 4 ovos
  • 1 maço de espinafre
  • 500g de ervilha congelada
  • 1 colher de sopa de mostarda forte
  • 1 colher de chá de suco de limão (puro)
  • 100g de queijo feta
  • Azeite
  • Sal a gosto

Ligue o forno a 200°C. Unte uma forma média com azeite (a minha tinha aproximadamente 30cm por 20cm).

Lave e rale as cenouras e batatas. Coloque um pouco de sal e deixe descansar um pouco. Depois de alguns minutos, esprema os vegetais nas mãos, retirando a água. Vá colocando na forma, de forma a ocupar bem o fundo (confira o tempero antes de assar). Leve ao forno por aproximadamente 40’, até que a camada superior das batatas e cenouras fique crocante.

Ferva 3 copos de água e mergulhe as ervilhas. Deixe que aqueçam por 1 minuto e retire da água. Em uma vasilha, misture umas duas colheres de sopa de azeite, sal, suco de limão e a mostarda. Misture a ervilha e confira o tempero.

Lave o espinafre e separe as folhas boas (não recomendo usar os talos). Caso as folhas estejam grandes, corte em tiras. Junte com as ervilhas.

Cozinhe os ovos. O Jamie fez ovos pochê. Como ainda não aperfeiçoei a técnica, nem vou recomendar. É bem chatinho mesmo (detalhe para o ovo sem clara na foto! Rs). Acho que o melhor mesmo é fritar cada um e pronto.

Assim que a forma com os vegetais sair do forno, coloque as ervilhas e espinafre por cima, em montinhos. Espalhe os ovos e esfarele o queijo feta. Sirva imediatamente.

Essa receita alimenta 4 pessoas.


I don’t even know anymore how many recipes from Jamie Oliver I’ve posted on this blog. I love his messy and passionate style of cooking and also the simplicity of his recipes.

Rösti has a place in my heart. I’ve even published a recipe before. But this one is so amazing, the dish is so complete and balanced (it’s a meal on itself!), that I couldn’t resist repeating it. And it was worth it, it’s incredibly delicious! The combination of ingredients is incredible. Crunchy vegetables, sweet peas, fresh spinach, creamy eggs and strong cheese… A feast of flavors and textures.

I changed the amount of ingredients, because I thought the salad needed more attention ;-)

Ingredients:

  • 3 carrots
  • 5 potatoes
  • 4 eggs
  • 1 bunch of spinach
  • 500g of frozen peas
  • 1 tablespoon of strong mustard (I used whole grain)
  • 1 tablespoon of lime juice
  • 100g of feta cheese
  • Olive oil
  • Salt to taste

Turn the oven on at 200°C. Spread a little bit of olive oil on a medium sized baking tray (mine had about 30cm by 20cm).

Wash and grate the carrots and potatoes. Put a little bit of salt and let it rest for a while. After a few minutes, squeeze the vegetables in your hands, removing the water. Spread them in the tray, covering the bottom (check the seasoning before baking). Take it to the oven for about 40’, until the superior layer of potatoes and carrots is crunchy.

Boil 3 glasses of water and dip in the peas. Let them heat up for 1 minute and remove them from the water. On a bowl, mist two tablespoons of olive oil, some salt, lime juice and mustard. Mix in the peas and check the seasoning.

Wash the spinach and separate the good leaves (I didn’t use the stems). In case the leaves are too big, cut them into stripes. Stir in the bowl with the peas.

Cook the eggs. Jamie poaches them, but since I haven’t mastered the technique, I won’t even recommend doing it. It’s a bit tricky (see on the picture the yolk by itself? Shoot!). Next time I do this dish, I’ll just fry them. So that’s what I would tell you to do.

As soon as the vegetables are out of the oven, make little piles of peas and spinach on top. Scatter the eggs and crumble the feta. Serve immediately.

This recipe feeds about 4 people.

Molho de alcachofra e espinafre / Artichoke spinach dip

* Scroll down for the English version!

Vivo procurando receitas novas. Um dos meus passatempos favoritos é folhear livros de cozinha e pesquisar sites de receitas interessantes. Principalmente se elas vierem acompanhadas de fotos bem tiradas :-) Minha mãe disse que eu penso em comida o tempo todo. Ah, não é bem o tempo toooodo, mas uma parte bem razoável dele ;-)

Enfim, nas minhas buscas rotineiras, encontrei várias vezes receitas bem legais desse molho de alcachofra e espinafre. Ele é considerado um dos dips (esse tipo de molho em que você mergulha um biscoito e come) mais tradicionais e adorados. Não usamos alcachofras com tanta frequência no Brasil, o que é uma pena. Recentemente, fiz um post explicando como cozinhá-las, mas hoje mostro como usar a conserva pronta.

Esse molho é rápido, fácil e absolutamente maravilhoso! Pode ser servido com tortilhas, biscoitinhos, pão, legumes crus cortados em palitos ou o que você preferir. Olha que delícia!

Ingredientes:

  • 150g de cream cheese (leve ao microondas por 2′ em temperatura média para amolecer um pouco. Fica bem mais fácil de misturar com os outros ingredientes)
  • 1 colher de sopa cheia de maionese
  • 1 xícara de folhas de espinafre picadas
  • 200g gramas de corações de alcachofra em conserva picados em pedaços (usei um armazenado em azeite)
  • Alho e sal (aproximadamente 1 dente de alho amassado e sal a gosto)
  • ½ xícara de queijo parmesão ralado
  • 1 punhado de muçarela ralada

A maioria das receitas pedia sour cream. Até onde eu sei, não temos isso por aqui. Não usei, mas não senti falta. Ficou uma delícia! Seguem algumas fotos da preparação.

Pré-aqueça o forno a 180°C. Misture os ingredientes até formar uma massa relativamente homogênea. Espalhe um pouco de muçarela por cima. Certifique-se que você está usando um recipiente adequado para assar.

Leve ao forno por 30’ a 45’ ou até que o queijo esteja dourado. Sirva quente.

Essa receita serve 2 pessoas como refeição principal (sim, eu fiz isso rs) e umas 5 como aperitivo.

I’m always looking for new recipes. One of my favorite hobbies is to go through culinary books and searching for interesting recipes on websites and blogs. Specially if they come with a nice picture :-) My mum says that I think about food all the time. Well, not ALL the time, but a reasonable part of it ;-)
Anyway, during my daily research, I found some very nice recipes for this artichoke and spinach dip. It’s considered one of the most traditional and loved dips. We don’t use a lot of artichokes in Brazil, which is a pity. Recently I made a post explaining how to cook them, but today I’ll show how to use the one that comes in a jar.
This dip is quick, easy and absolutely wonderful! It can be served with crunchy tortillas, crackers, bread, vegetable sticks or whatever you prefer. 
Ingredients:
  • 150g of cream cheese (take it to the microwave for 2’ on a medium heat to soften it a bit. It makes it easier to mix with the other ingredients)
  • 1 full tablespoon of mayo
  • 1 cup of chopped spinach leaves
  • 200g of artichoke hearts chopped roughly (I used one that was soaked in olive oil)
  • Garlic and salt (approximately 1 clove of garlic – smashed – and salt to taste)
  • ½ cup of shredded parmesan cheese
  • 1 handful of shredded mozzarella cheese
Most recipes asked for a tablespoon of sour cream. I couldn’t find it, so I didn’t add. Feel free to use it, although I didn’t really miss anything. It was delicious!
Turn your oven to 180°C. Mix the ingredients until you make a somewhat smooth paste. Sprinkle some mozzarella cheese on top. Make sure you’re using a recipient that can go into the oven.
Bake for 30’ to 45’ or until the top is golden. Serve it hot.
This recipe serves 2 people as a main dish (yes, I did that lol) or about 5 as an appetizer.

Cuscuz com tomate seco e folhado de espinafre e cogumelo / Sundried tomato couscous and puff pastry with spinach and mushrooms

* Scroll down for English version!

Já mencionei várias vezes a minha paixão pelos programas e receitas do Jamie Oliver. Acho a coisa mais linda aquele cara meio sem jeito, de língua presa, disléxico, fazendo a maior bagunça na cozinha e mudando a forma como as pessoas vêem a comida. É de aquecer o coração :-)

Dia desses eu vi um episódio daquele programa de “15-minute meals” e gamei nos pratos. Ele fez um folhado de caranguejo servido com cuscuz e tomate seco. Parecia maravilhoso! Resolvi experimentar e, claro, fazer uma versão vegetariana ;-) Olha como ficou:

Algumas ressalvas. O Jamie usa massa filo, que é bem mais fina. Como não encontrei, usei massa folhada mesmo. Testei fazer na frigideira e no forno e os dois funcionaram. No forno, a massa fica mais aerada e fofa. Na frigideira, a massa dá uma torrada e fica mais macia por dentro. Testei também dois tipos de massa. Uma comprida, enrolada em um rolo e outra em um pacote, com pedaços de massa já cortados em retângulos. Gostei mais da segunda opção, mais fácil de manusear e rende mais.

Em relação ao cuscuz, mudei alguns ingredientes. Acho bem difícil achar o bulbo do funcho para vender, então achei melhor omitir mesmo. Fiz uma vez com manjericão e outra com hortelã. A hortelã realmente funciona melhor :-) Quanto à romã, acho que não vale à pena. A que eu encontrei foi cara e estava meio sem gosto, além de ser difícil de mastigar.

Ingredientes para o folhado:

  • 2 pacotes de massa folhada (cada um com 300g)
  • 1 maço de espinafre lavado e picado fininho (use apenas as folhas)
  • 1 pacote de 100g de shitake desidratado
  • azeite
  • sal e alho

Comece deixando o shitake de molho em água morna por 30′. Pique cada cogumelo em pedaços pequenos. Refogue com azeite, alho e sal por uns 10′.

Acrescente o espinafre e cozinhe até que ele mude de cor. É bem rápido.

Separe uma folha de massa e coloque um pouco de recheio no meio. Caso use a massa pequena, use umas duas colheres de sopa de recheio. Dobre a massa e aperte um pouco para fechar. Vede bem as pontas.

Nesse momento você pode escolher cozinhar na frigideira ou no forno. Na frigideira, é só deixar em fogo médio até dourar e virar. Se preferir assar, deixe a massa no forno a 200C até dourar.

Ingredientes para o cuscuz:

  • 2 xícaras de cuscuz
  • 4 xícaras de água fervente
  • 1/2 xícara de tomate seco
  • 3 ramos de hortelã
  • suco de 2 limões

Coloque o cuscuz em uma vasilha média e acrescente a água fervente. Bata o tomate seco em um processador ou liquidificador até virar um purê.

Junte na vasilha, misture bem e cubra. O cuscuz vai absorver o líquido e cozinhar sem precisar ir pra panela.

Quando isso acontecer, junte as folhas de hortelã (na foto usei manjericão) e o suco de limão. Confira o sal e misture bem.

Ingredientes para o molho:

  • 2 tomates
  • 1 pedaço de gengibre de aproximadamente 2 dedões (eu sei que a medida é bizarra, mas dá certo)
  • sal
  • suco de 1 limão

Esse molho é SENSACIONAL! Sério. Acabou rapidinho. Ele é forte, delicioso e super inusitado. Ao invés de picar o cozinhar o tomate, o Jamie ensina a ralar num ralo bem fino. A casca fica para trás e o resultado é o tomate em purê. Descasque e rale o gengibre, junte o limão e o sal.

Ele serve com iogurte natural. Eu fiz tzatziki, mas isso é matéria pra outro post, que por aqui já tem comida até! ;-) Divirtam-se!

Serve 5 pessoas.

 
 I have mentioned my passion with Jamie Oliver’s shows and recipes many times. I think it’s just adorable how that awkward dyslexic guy does all that mess in the kitchen and changes the way how people see food! It’s heart-warming!
One of these days I watched an episode of  “15-minute meals” and fell in love with the dishes. He made a crab meat brik served with couscous and sundried tomatoes. It looked and sounded wonderful! I decided to try it and of course, make a vegetarian version ;-)
I had some troubles, though. Jamie uses filo pastry, which I couldn’t find. All I had was puff pastry, so I tried using it and it worked. You get different results using a pan, like he does (they get crispy outside and soft inside) and baking them in the oven (they get fluffier). I used a small rectangle of pastry for each brik.
About the couscous, I couldn’t find fennel, so I had to omit that. I tried using basil instead of mint, but that wasn’t such a good idea. He also uses pomegranate seeds, but since they were not so good and too hard, I didn’t use them. Feel free to, it looks awesome!
Ingredients for the brik:
  • 2 packages of 300g of puff pastry (or do like Jamie does and use 4 large sheets of filo pastry from a 270g pack)
  • 1 bunch of spinach (washed and finely cut – use only the leaves)
  • 100g of dry shiitake mushrooms
  • Olive oil
  • Salt and smashed garlic
Leave the shiitake in warm water for about 30’. Slice the mushrooms and cook them with olive oil, salt and smashed garlic. Add the spinach and cook it for a while. 
Separate a pastry sheet and put a bit of filling in the middle (in case you use the small one, like I did, use 2 tablespoons). Fold the pastry and close the ends.
Now is the moment when you decide how to cook them. If you want the pan, keep the medium heat and turn the briks once they’re golden. If you prefer to use the oven, bake them until golden at about 200C.
Ingredients for the couscous:
  • 2 cups of couscous
  • 4 cups of boiling water
  • ½ cup of sundried tomato
  • 1 bunch of mint
  • Juice of 2 lemons
Put the couscous in a medium sized bowl and add the boiling water. Blitz the tomato to a purée and mix it with the couscous. Cover and let it absorb the liquid.
Once it’s cooked, add the mint and lemon juice. Check the salt and mix well.
Ingredients for the sauce:
  • 2 tomatoes
  • 2 pieces of ginger – thumb size
  • Salt
  • Juice of 1 lime
This sauce is AWESOME! I mean it! It was over just like that. It’s strong, delicious and unusual, because you don’t cut or cook the tomate. All you have to do is grate it until it kind of melts. The peel will come out and you can discard it. Grate the ginger, add the lime and salt.
Serve with yoghurt or tzatziki (I’ll have a post for that some other time). Enjoy!
This recipe serves 5 people.

Panqueca de espinafre e ricota

Essa panqueca sempre foi um prato comum na casa da minha mãe. Uma opção gostosa, leve e balanceada para quem quer uma dieta saudável. Claro que o recheio poder ser inventado à vontade. Vai a versão que fazemos por lá.

Ingredientes para a panqueca:

  • 1 ½ xícara de farinha de trigo
  • 1 xícara de leite
  • 2 ovos
  • 1 colheres de sopa de óleo
  • sal a gosto

Ingredientes para o recheio:

  • 1/2 ricota amassada
  • 1 espinafre picado e refogado com alho e sal
  • 1 pitada de lemon pepper (isso é coisa da minha cabeça, gosto de como transforma o sabor da ricota. Acha-se com certeza no Verde Mar ou no Mercado Central. É uma delícia!)
  • 1 pitada de sal

Achei várias receitas, cada uma com uma proporção diferente de farinha e leite. Para mim funcionou bem melhor colocar mais farinha que leite. Nada complexo, só bater todos os ingredientes da panqueca no liquidificador.

Cubra uma frigideira anti-aderente com um fiozinho de óleo e deixe esquentar um pouco. Derrame um pouco da massa (caso tenha uma concha grande, use como medida) e espalhe bem. Cuidado para não deixar a panqueca muito grossa. Espere dourar e vire do outro lado. Retire do fogo e reserve. Repita o procedimento até acabar com a massa.

Junte a ricota, o espinafre, o sal e o lemon pepper e misture bem. Coloque um pouco dessa mistura em uma panqueca, alinhando em uma beirada e enrole até o final.

Costumo servir com molho de tomate e/ou queijo parmesão ralado. Viu, facinho!

Serve 3 pessoas.

Rösti de espinafre

Tenho uma memória da infância de um prato delicioso de batata com espinafre. Por anos guardei aquela recordação com nostalgia e saudades, sem ter a menor ideia do que se tratava, já que lá em casa ninguém se lembrava dele. Até que provei o rösti e voltei aos meus tenros anos imediatamente.

Esse prato suíço é absolutamente simples e maravilhoso. Há muita discussão sobre a extrema semelhança com o hash brown americano e sobre a forma de execução do rösti em si. Usar batatas cruas ou cozinhá-las primeiro? Usar ovos e farinha ou somente batata e manteiga? Descascar ou não as batatas? Assar ou fritar? Enfim, o prato tradicional é basicamente uma panqueca de batatas, mas em alguns casos ele vem acompanhado de espinafre, então resolvi misturar tudo. Encontrei algumas receitas e peguei o que gostei de cada uma.

Ingredientes:

  • 5 batatas médias
  • 1 espinafre lavado
  • 1 cebola picada
  • 1 ovo
  • 2 colheres de sopa de farinha
  • sal e alho amassado
  • óleo
  • 3 colheres de sopa de parmesão ralado
  • manteiga para untar

Aqueça o forno a 200°C. Ferva uma panela com água e cozinhe as batatas por uns 5′. Retire do fogo e deixe esfriar. Elas não estarão cozidas, mas vão começar a ficar tenras. Optei por deixar o resto pro forno e não descascar. Quanto menos trabalho, melhor!

Doure a cebola e o alho em um pouco de óleo. Uma coisa que me deixa um bem nervosa com pratos de espinafre é mastigar talos durinhos. Tenho um certo pavor. Do brócolis, uso até o fim, mas quando o negócio é espinafre, eu uso só as folhas e pico um pouquinho.

Acrescente o espinafre na cebola e deixe refogar.

Enquanto o espinafre esfria, rale as batatas em um ralador grosso ou use um processador de alimentos.

Acrescente um pouco de alho e sal, o ovo, o queijo e a farinha. Mexa bastante. Adicione o espinafre e misture. Unte uma forma e despeje a mistura. Cubra com um lasquinhas de parmesão.

Leve ao forno por aproximadamente 30′, até atingir uma cor dourada.

Ao invés de misturar tudo, existe a opção de alternar uma camada de batata, o espinafre e cobrir com o resto da batata. E claro, a alternativa de fritar, que é menos light. Nesse caso, esquente um pouco de óleo ou manteiga em uma frigideira e coloque a mistura toda ou pequenas panquecas de cada vez. A vantagem de usar pequenas porções é deixar a batata mais crocante. Deixe dourar de um lado e vire com cuidado. Olha que gracinha!

Serve 3 pessoas.

Palak Paneer – Independência da Índia – parte I

No dia 15 de agosto é comemorada a independência da Índia. Passei um tempo por lá ainda muito nova, mas nunca superei a paixão. Sempre amei a cultura e especialmente a comida do país. Esse ano resolvemos comemorar a sua independência com um almoço indiano. Segue uma foto de tudo  pronto :-)

Esse será o primeiro post da série. Divirtam-se!

Comi o palak paneer pela primeira vez em um restaurante indiano aqui em BH e me apaixonei. Não sei como demorei tanto pra experimentar, gostando tanto de comida indiana como eu gosto. É muito simples de fazer, mas tem um detalhe. Ele consiste basicamente de um creme de espinafre e tomate com pedaços de queijo. A questão é que esse queijo não é encontrado por aqui. Já achei várias receitas e não me parece difícil de fazer, mas quem tem tempo e paciência? rs

Bom, já vi o paneer (pronuncia “panir”) substituído por ricota. Costumo usar queijo frescal também, que tem uma consistência parecida. Mas é só isso. O resto é manha!

Ingredientes:

  • 5 tomates picados
  • 1 espinafre
  • 1 queijo frescal ou ricota cortado em cubos
  • 1 cebola picada
  • garam masala a gosto
  • coentro em pó a gosto
  • sal a gosto

Caso use a ricota, vale à pena dar uma refogada com alho e sal e tentar dar uma douradinha nela. O frescal costuma derreter.

Frescal com páprica, só para ficar bonito!

Lave e pique o espinafre, removendo as partes mais duras. Refogue e bata no liquidificador. Reserve.

Refogue a cebola até dourar e acrescente os tomates e o sal. Deixe que eles cozinhem bem, até começarem a derreter.

Adicione a garam masala, o coentro e o espinafre e confira o tempero. Junte com o queijo. Misture bem. Deixe no fogo só por uns dois minutos, para manter a cor verde. Está pronto!

Algumas receitas levam outros temperos, como chili, cominho e alguns outros mais difíceis de encontrar. Adaptei ao que encontro no dia a dia, em uma versão bem básica, mas que funciona muito bem. É comum também adicionar leite ou  creme de leite ao final do cozimento. Eu não sinto a menor falta, então prefiro fazer uma versão mais light ;-)

Costuma vir acompanhado de arroz ou um pão indiano (a receita do chapati vem no próximo post).

Serve 4 pessoas.

Macarrão oriental com shitake e molho de laranja

O nome que eu usei não faz jus ao prato. É tão mais do que isso! Exótico, reconfortante e delicioso! Adaptei uma receita que encontrei de acordo com os ingredientes que consegui achar para comprar.

Ingredientes:

  • óleo de gergelim (encontrado em lojas de produtos orientais)
  • 1 cabeça de alho picada
  • 2 colheres de sopa de gengibre ralado
  • 2 xícaras de suco de laranja (de preferência, espremido na hora)
  • 4 colheres de sopa de shoyu
  • 2 colheres de sopa de pimenta em flocos (cuidado com isso, não precisa usar tudo. pode usar pimenta fresca, caso tenha. mas não use aqueles molhos de pimenta com vinagre!)
  • 4 colheres de sopa de gergelim
  • sal a gosto
  • 1 pacote de macarrão oriental (aquele usado para yakisoba)
  • 300g de ervilha chata lavada e cortada ao meio
  • 1 molho de espinafre picado fino
  • 1 pacote de 100g cogumelo shitake cortado em fatias (caso use o cogumelo seco, deixe em água morna por alguns minutos. e aproveite a água mais tarde em um risoto!). Usei um pouco de cogumelo paris também, pois acho que funghi nunca é demais!

Torre o gergelim em um frigideira até dourar, mexendo sempre. Reserve.

Aqueça o óleo de gergelim e acrescente o alho, gengibre e pimenta. Misture e deixe fritar por alguns segundos. Acrescente o suco de laranja e o shoyu e deixe ferver. Cozinhe até que o molho reduza de volume pela metade.

Cozinhe o macarrão enquanto o molho reduz e refogue os cogumelos e ervilhas em azeite e alho.

Junte os cogumelos e ervilhas ao molho de laranja e deixe cozinhar por alguns minutos. Acrescente o macarrão e o espinafre (cru mesmo) e mexa até que ele fique tenro.

Adapte a quantidade de pimenta à coragem de quem for comer. As duas colheres sugeridas são para os bem corajosos! Sirva salpicado com gergelim. Bom apetite!

Serve 8 pessoas.