Crepe de cogumelos com molho de mostarda / Mushroom crepe with mustard sauce

* Scroll down for the English version!

Crepes são a versão francesa da panqueca. De massa fina e recheio variado, são fáceis de fazer e mais ainda de agradar. Quer dizer, eles são fáceis de fazer para agradar uma pessoa. Sabe, eles são ótimos. Ah, vocês entenderam. Enfim, um dos meus restaurantes favoritos da cidade era uma creperia. Eles serviam crepes de vários sabores e tinham a opção de rodízio. Não vou entrar em detalhes sobre a quantidade que eu comia em uma só noite. Usem a imaginação ;-) Recheios maravilhosos de tomate seco, espinafre, queijo, palmito, alho poró e os doces, de chocolate, doce de leite… Era difícil escolher. Mais difícil ainda era parar de comer!

Para a minha infelicidade, o restaurante queimou. O jeito é fazer crepe em casa! Comi uma versão dessa receita em dos meus cafés favoritos e me apaixonei. Tentei reproduzir a receita e ficou bem parecido. A ideia de rechear o crepe com cogumelos não é nada nova, mas o molho de mostarda me pegou de surpresa. A acidez das sementes contrasta com o sabor suave do shimeji. Uma explosão de sabores sutis. Meu irmão achou a minha versão do molho um tanto agressiva, então vou amenizar um pouco na receita ;-)

Usei a massa de crepe do blog Half Baked Harvest, que é uma delícia!

Ingredientes para o crepe:

  • 2 ovos
  • ¾ xícara de leite
  • 1 xícara de farinha
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • ¼ colher de chá de sal
  • ½ xícara de água

Ingredientes para o recheio:

  • 600g de cogumelos shimeji (fiquem à vontade para usar outro tipo de cogumelo. O shimeji funciona bem, mas caso queira um sabor mais intenso, opte por shitake ou portobelo)
  • 1 cabeça de alho
  • 1 cebola
  • 200mL de creme de leite
  • 5 ramos de tomilho fresco (opcional)
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • 1 pitada de pimenta do reino
  • Sal a gosto
  • 100g de queijo parmesão ralado

Ingredientes para o molho:

  • 2 colheres de sopa de mostarda em conserva – em grãos (eu fiz a minha em casa, deixando 2 colheres de grãos de molho em 4 colheres de vinagre por um dia e batendo no liquidificador com 1 pitada de sal)
  • 150mL de creme de leite
  • 5 colheres de sopa do caldo do cogumelo
  • Sal a gosto

Comece pelos crepes, já que eles precisam ficar um tempo na geladeira. Derreta a manteiga em uma frigideira até começar a dourar. Tire do fogo imediatamente e reserve.

Bata os outros ingredientes em um liquidificador e adicione a manteiga. Leve a mistura à geladeira por aproximadamente meia hora.

Lave os cogumelos e separe-os da base. Pique os dentes de alho e a cebola bem pequenos e cozinhe com a manteiga. Junte os cogumelos e cozinhe por 5’. Confira o tempero. Acrescente o creme de leite e deixe cozinhar até reduzir.

Nesse momento, faça o molho, misturando a mostarda, o creme de leite e o sal. É importante provar e adaptar o sabor, já que a minha versão ficou bem forte e as quantidades são uma estimativa. Caso esteja muito forte, coloque mais creme de leite. Use parte do líquido que sairá do cogumelo. Confira o tempero e reserve.

Adicione o tomilho e a pimenta do reino ao recheio. Desligue quando a maior parte do líquido tiver evaporado.

Retire a massa de crepes da geladeira e prepare a sua frigideira. Para facilitar a sua vida, use uma antiaderente. Caso não tenha uma dessas em casa, unte com uma colher de chá de manteiga antes de fazer cada panqueca.

Com a frigideira já quente (deixe no fogão no fogo médio), derrame parte da massa. Essa hora é a mais complicada. Coloque mínimo possível, somente suficiente para cobrir o fundo. Vire a frigideira, fazendo um círculo, espalhando a massa até cobrir tudo. Não se desespere, é só treinar a agir com alguma agilidade. Cozinhe até o fundo começar a dourar e vire do outro lado.

Repita o procedimento com todas as panquecas. Eu fiz 6 com essa quantidade. Junte os crepes em um prato. É melhor deixá-los prontos e montar com o recheio depois.

Leve cada crepe à frigideira e adicione parte do recheio, espalhando por metade da massa. Polvilhe o queijo parmesão e dobre a outra metade por cima. Cozinhe dos dois lados por uns 2’, tomando cuidado para não queimar.

Sirva quente, com uma colherada do molho de mostarda.

Essa receita rende 6 porções.

Crepes are the French version of pancakes. They come in a thin dough, various fillings and are quite easy to make and even easier to please. To please someone, I mean. They are really nice, you see. Oh, you get it. Anyway, one of my favorite restaurants in the city was a crêperie. They used to serve crepes with several different fillings. There was this great feature that allowed you to pay a certain price and eat however many crepes you wanted. You could even choose the flavors. I won’t go into detail about how much I could eat on a night. Use your imagination ;-) Amazing crepes filled with sundried tomatoes, spinach, cheese, heart of palm, leeks and the sweet ones with chocolate, dulce de leche… Man, it was hard to choose. And even harder to stop eating!
To my utter disgrace, the restaurant burned down. I had no choice but to make crepes at home, of course! I had this one at my favorite Café and I fell in love with it. I tried to reproduce the recipe and it turned out quite similar. The idea of using mushrooms as a filling is not new, but the mustard sauce caught me off guard. The acidity of the seeds makes a lovely contrast with the shimeji mushrooms. An explosion of subtle flavors. My brother thought that my version of the sauce was a bit too aggressive (excuse me!), so I’ll give you a milder alternative ;-)
I used the crepe batter recipe from the blog Half Baked Harvest, which is just delicious!
Ingredients for the crepe:
  • 2 eggs
  • ¾ cup of milk
  • 1 cup of flour
  • 3 tablespoons of butter
  • ¼ teaspoon of salt
  • ½ cup of water
Ingredients for the filling:
  • 600g of shimeji mushrooms (feel free to use a different kind of mushrooms. The shimeji works quite well, but in case you’re looking for a more intense flavor, go for shiitake or portobello)
  • 1 garlic head
  • 1 onion
  • 200mL of cream
  • 5 springs of fresh thyme (optional)
  • 2 tablespoons of butter
  • 1 pinch of pepper
  • Salt to taste
  • 100g of grated parmesan cheese
Ingredients for the sauce:
  • 2 tablespoons of grainy mustard (I made mine at home, leaving 2 tablespoons of seeds to soak up in 4 tablespoons of vinegar for a day and grinding them on a blender with a pinch of salt)
  • 150mL of cream
  • 5 tablespoons of the mushroom liquid
  • Salt to taste
Start by making the crepes, since they need to rest for a while before cooking. Melt the butter on a fridge until it starts to turn golden. Remove from the fire immediately and set aside.
Mix the other ingredients using a blender and add the butter. Take the batter to the fridge and for about half an hour.
Wash the mushrooms and separate them at the base. Chop the garlic cloves and onion finely and cook them with the butter until golden. Add the mushrooms and cook for 5’. Check the seasoning. Add the cream and let it cook until it reduces.
That’s the moment to make the sauce, mixing the mustard, cream and salt. It’s important to taste it and adapt the flavor, since my version was a bit too strong and I am estimating the amounts for this one. In case it’s still too strong, add more cream. Use part of the liquid that will come out of the mushroom mixture. Check the seasoning and set aside.
Back to the filling, add the thyme and pepper. Turn the heat off when most of the liquid had evaporated.
Take the batter from the fridge and prepare your frying pan. Your life will be much easier if you use a nonstick pan, but if you don’t have one, use a teaspoon of butter to grease before you make each pancake.
When the pan is hot (keep it at medium heat), pour part of the batter. This is the tricky bit. Use as little as you can, just enough to cover the bottom. Turn the pan around in circles, spreading the batter until it covers everything. Don’t freak out, it’s just a matter of practice, getting a bit more of agility. Cook until the bottom starts turning golden and flip to cook the other side.
Repeat this procedure with all the pancakes. I made 6 with this amount. Pile the crepes on a plate. It’s better to have them ready and assemble with the filling afterwards.
Take each crepe to the frying pan and add part of the filling, spreading it over half of the pancake. Sprinkle some parmesan cheese on top and fold the other half on top. Cook both sides for about 2’, being careful not to let it burn.
Serve them hot, with a spoon of mustard sauce.
This recipe makes 6 portions.
Anúncios

Escondidinho de baroa, cogumelos e alho porró / Mushroom and leek Shepherd’s Pie

* Scroll down for the English version!

Trabalhei por um tempo em uma pousada na Inglaterra. A região onde eu morava era bem isolada, longe de tudo. Cabras, gado de altitude (lindo e peludíssimo, por sinal), montanhas, estradas cercadas por pedras… era tudo o que as redondezas tinham a oferecer. Não encontrei muito da cultura que tanto esperava achar, mas gostei muito da natureza em si.

Atrações naturais à parte, a nossa pousada era até adorável. A decoração era horrível, mas a construção em si era linda e a comida do chef suíço, maravilhosa! Foi a primeira vem em que ouvi falar em “shepherd’s pie”. Imaginei aquela torta exótica, cheia de carnes estranhas e massas complicadíssimas. Para a minha surpresa, o prato típico do Reino Unido era basicamente um escondidinho de carne ;-) Não sei se nós copiamos a ideia, mas como ele data do século XVIII, imagino que não inventamos primeiro.

Como a versão brasileira, o prato consiste em uma “torta” de carne coberta com purê de batata. Muita gente usa lentilhas ou cogumelo para substituir a carne. Resolvi inovar um pouco na mistura e no purê. E funcionou super bem!

Ingredientes:

  • 500 batata baroa
  • 2 colheres de sopa manteiga
  • 1 alho porró
  • 200g cogumelos paris
  • 200g cogumelos shitake
  • 1 colher de sopa de molho shoyu
  • Azeite
  • Sal

Ligue o forno a 200°C.

Cozinhe as baroas com um pouco de sal em uma panela de pressão por aproximadamente 30′ (você pode descascar antes ou tirar a casca depois de cozida, já que ela está quase derretida).

Amasse as batatas com um garfo ou usando um mixer, para evitar os caroços. Adicione a manteiga e misture bem. A textura muda completamente. Confira o tempero.

Corte o alho porró em fatias finas. Leve-os a uma frigideira com um pouco de azeite e sal até amolecer.

Pique os cogumelos em pedaços médios. Caso esteja usando cogumelos secos, deixe de molho em água morna por 30′ antes de usar. Junte os cogumelos ao alho porró e cozinhe por alguns minutos. Adicione o molho shoyu e o azeite.

Despeje os cogumelos em uma travessa. Espalhe o purê de baroa por cima e leve ao forno por 25′ a 30′.

Em teoria, o topo deveria dourar um pouco, mas isso não aconteceu no meu caso. Talvez seja uma propriedade da baroa, que fica mais cremosa. Ou é culpa do meu forno, que não é lá muito bom rs. Seja como for, não fez falta. Ficou bom demais!

Essa receita serve 2 pessoas.

I worked for some time at an Inn in England. The area where I lived was quite isolated, away from everything. Goats, highland cows (beautiful and super hairy, by the way), mountains, stone walls around the roads… this was pretty much all the region had to offer. I didn’t find all the culture that I thought I would, but I really enjoyed the nature all around.
Besides the natural attractions, our Inn was quite lovely. The décor was horrible, but the building itself was gorgeous and the food made by the Swiss chef was just amazing! This was the first time I heard of shepherd’s pie. I pictured in my mind that exotic pie, full of strange meat and really complicated dough. Such was my surprise when I learned that the typical British dish was basically the same of the Brazilian “escondidinho”. I don’t know if we copied the idea, but since the recipe dates from the XVIII century, I imagine that we didn’t really think of it first.
Just as the Brazilian version, the dish consists of a meat “pie” covered by mashed potatoes. Lots of people use lentils or mushrooms to replace the meat. I decided to innovate a bit on the filling and the mash itself. And it worked really well!
Ingredients:
  • 500 of arracacha (this is a root that is very common in Brazil. It is sweeter than a potato and looks like a yellow carrot. If you can’t find it – and you probably won’t, you can replace it by using 250g of common potatoes and 250g of sweet potatoes. Or you can use parsnip, which is supposed to be similar)
  • 2 tablespoons of butter
  • 1 leek
  • 200g button mushrooms
  • 200g shiitake mushrooms
  • 1 tablespoons of soy sauce
  • Olive oil
  • Salt
Preheat the oven at 200°C.
Cook the arracacha with a bit of salt using a pressure cooker for about 30’ (you can peel it before or just remove it after cooked, since it’ll be almost melting). Mash the roots with a fork or use a mixer, if you don’t like lumps. Add the butter and mix well. The texture changes completely! Check the seasoning.
Slice the leek finely. Cook it on a frying pan with a bit of olive oil and salt until it softens. Chop the mushrooms roughly. In case you’re using dry mushrooms, let them soak on warm water for 30’ before cooking. Put the mushrooms on the pan and cook a bit more. Add the soy sauce and the olive oil.
Pour the mushrooms on a tray. Spread the mash arracacha on top and take it to the oven for 25’ to 30’. In theory, the top should turn golden, but that didn’t happen in my case. Maybe it’s just about the arracacha, which gets really creamy. Or I can blame my oven which is really not the best. Whichever the reason, it doesn’t matter. It turned out pretty great!
This recipe serves 2 people.

Bolinho de ricota com molho de tomate e cogumelos / Ricotta fritter with tomato mushroom sauce

* Scroll down for the English version!

Continuando o post da semana passada, dessa vez a receita é do prato principal. Bolinhos de ricota macios por dentro e crocantes por fora, nadando em um molho de tomate, cogumelos e azeitonas pretas. Nu! Foi amor à primeira vista!

Ao contrário de algumas outras receitas de 15’ do Jamie Oliver, essa é realmente muito rápida e super fácil. A refeição inteira é muito simples e deliciosa!

Ingredientes para o molho:

  • 1 colher de sopa de azeite
  • 25g de cogumelos porcini secos (usei um mix de cogumelos selvagens)
  • 1 pimenta dedo de moça seca
  • 2 dentes de alho
  • 700g de passata (aquele vidro com tomate em purê)
  • 8 azeitonas pretas
  • ½ maço de manjericão fresco

Ingredientes para os bolinhos:

  • 1 ovo grande
  • 400g de ricota
  • 1 pitada de noz-moscada
  • 1 limão ou limão siciliano
  • 40g de queijo parmesão
  • 1 colher de sopa de farinha de trigo
  • Azeite

Deixe os cogumelos de molho em água fervente.

Quebre o ovo em uma vasilha e acrescente a ricota, despedaçando bem.

Junte a noz-moscada, as raspas do limão, o queijo parmesão, a farinha e mexa bem. Faça um bolinho usando as mãos ou uma colher e leve à frigideira com uma colher de azeite. Repita com os outros bolinhos (rende aproximadamente 8).

Mexa os bolinhos com cuidado, virando depois de alguns minutos. Deixe dourar dos dois lados.

Em uma panela, vire a colher de sopa de azeite, o alho amassado e a pimenta seca, partida em pedaços. Caso prefira, use outra pimenta ou páprica. Pique os cogumelos e misture com o alho. Adicione a água dos cogumelos e a passata à panela e tempere com sal e pimenta. Deixe ferver.

Pique as azeitonas e metade do manjericão e junte ao molho. Despeje-o em uma travessa e coloque os bolinhos já dourados por cima do molho. Espalhe as outras folhas de manjericão por cima. Sirva com pedaços de limão.

Olha que coisa linda!!

Essa receita serve 4 pessoas.

As a follow up to last week, this post brings the recipe of the main dish. Beautiful ricotta fritters, soft in the inside and crispy outside, swimming on a bed of tomato, mushrooms and black olives. Wow! It was love at first time!
As opposed to some others of Jamie Oliver’s 15 minute recipes, this one is quite quick and really easy. The whole meal is very simple and delicious!
Ingredients for the sauce:
  • 1 tablespoon of olive oil
  • 25g of dried porcini mushrooms (I used a mix of wild mushrooms)
  • 1 dried chili
  • 2 cloves of garlic
  • 700g of passata
  • 8 black olives
  • ½ bunch of fresh basil
Ingredients for the fritters:
  • 1 large egg
  • 400g of ricotta cheese
  • 1 pinch of nutmeg
  • 1 lemon (I used 1 lime)
  • 40g of parmesan cheese
  • 1 tablespoon of flour
  • Olive oil
Put the mushrooms in some boiling water.
Break the egg in a bowl and crumble the ricotta. Add the nutmeg, the lemon zest, the parmesan cheese, the flour and mix well. Make a little patty using your hands or a tablespoon and put it in a frying pan with some olive oil. Repeat the process, making about 8 fritters. Turn them carefully, after a few minutes. Let them get golden on both sides.
In a pan, put the oil, crush the garlic and crumble the dried chili. If you prefer, use paprika. Chop the mushrooms and mix with the garlic. Add the mushroom water and the passata do the pan and season with salt and pepper. Let it boil for some time.
Chop the olives and half the basil and add to the sauce. Pour it on a tray and arrange the fritters on top. Sprinkle the remaining basil leaves and serve with lemon wedges.
Look at such awesomeness!
This recipe serves 4 people.

Cuscuz com tomate seco e folhado de espinafre e cogumelo / Sundried tomato couscous and puff pastry with spinach and mushrooms

* Scroll down for English version!

Já mencionei várias vezes a minha paixão pelos programas e receitas do Jamie Oliver. Acho a coisa mais linda aquele cara meio sem jeito, de língua presa, disléxico, fazendo a maior bagunça na cozinha e mudando a forma como as pessoas vêem a comida. É de aquecer o coração :-)

Dia desses eu vi um episódio daquele programa de “15-minute meals” e gamei nos pratos. Ele fez um folhado de caranguejo servido com cuscuz e tomate seco. Parecia maravilhoso! Resolvi experimentar e, claro, fazer uma versão vegetariana ;-) Olha como ficou:

Algumas ressalvas. O Jamie usa massa filo, que é bem mais fina. Como não encontrei, usei massa folhada mesmo. Testei fazer na frigideira e no forno e os dois funcionaram. No forno, a massa fica mais aerada e fofa. Na frigideira, a massa dá uma torrada e fica mais macia por dentro. Testei também dois tipos de massa. Uma comprida, enrolada em um rolo e outra em um pacote, com pedaços de massa já cortados em retângulos. Gostei mais da segunda opção, mais fácil de manusear e rende mais.

Em relação ao cuscuz, mudei alguns ingredientes. Acho bem difícil achar o bulbo do funcho para vender, então achei melhor omitir mesmo. Fiz uma vez com manjericão e outra com hortelã. A hortelã realmente funciona melhor :-) Quanto à romã, acho que não vale à pena. A que eu encontrei foi cara e estava meio sem gosto, além de ser difícil de mastigar.

Ingredientes para o folhado:

  • 2 pacotes de massa folhada (cada um com 300g)
  • 1 maço de espinafre lavado e picado fininho (use apenas as folhas)
  • 1 pacote de 100g de shitake desidratado
  • azeite
  • sal e alho

Comece deixando o shitake de molho em água morna por 30′. Pique cada cogumelo em pedaços pequenos. Refogue com azeite, alho e sal por uns 10′.

Acrescente o espinafre e cozinhe até que ele mude de cor. É bem rápido.

Separe uma folha de massa e coloque um pouco de recheio no meio. Caso use a massa pequena, use umas duas colheres de sopa de recheio. Dobre a massa e aperte um pouco para fechar. Vede bem as pontas.

Nesse momento você pode escolher cozinhar na frigideira ou no forno. Na frigideira, é só deixar em fogo médio até dourar e virar. Se preferir assar, deixe a massa no forno a 200C até dourar.

Ingredientes para o cuscuz:

  • 2 xícaras de cuscuz
  • 4 xícaras de água fervente
  • 1/2 xícara de tomate seco
  • 3 ramos de hortelã
  • suco de 2 limões

Coloque o cuscuz em uma vasilha média e acrescente a água fervente. Bata o tomate seco em um processador ou liquidificador até virar um purê.

Junte na vasilha, misture bem e cubra. O cuscuz vai absorver o líquido e cozinhar sem precisar ir pra panela.

Quando isso acontecer, junte as folhas de hortelã (na foto usei manjericão) e o suco de limão. Confira o sal e misture bem.

Ingredientes para o molho:

  • 2 tomates
  • 1 pedaço de gengibre de aproximadamente 2 dedões (eu sei que a medida é bizarra, mas dá certo)
  • sal
  • suco de 1 limão

Esse molho é SENSACIONAL! Sério. Acabou rapidinho. Ele é forte, delicioso e super inusitado. Ao invés de picar o cozinhar o tomate, o Jamie ensina a ralar num ralo bem fino. A casca fica para trás e o resultado é o tomate em purê. Descasque e rale o gengibre, junte o limão e o sal.

Ele serve com iogurte natural. Eu fiz tzatziki, mas isso é matéria pra outro post, que por aqui já tem comida até! ;-) Divirtam-se!

Serve 5 pessoas.

 
 I have mentioned my passion with Jamie Oliver’s shows and recipes many times. I think it’s just adorable how that awkward dyslexic guy does all that mess in the kitchen and changes the way how people see food! It’s heart-warming!
One of these days I watched an episode of  “15-minute meals” and fell in love with the dishes. He made a crab meat brik served with couscous and sundried tomatoes. It looked and sounded wonderful! I decided to try it and of course, make a vegetarian version ;-)
I had some troubles, though. Jamie uses filo pastry, which I couldn’t find. All I had was puff pastry, so I tried using it and it worked. You get different results using a pan, like he does (they get crispy outside and soft inside) and baking them in the oven (they get fluffier). I used a small rectangle of pastry for each brik.
About the couscous, I couldn’t find fennel, so I had to omit that. I tried using basil instead of mint, but that wasn’t such a good idea. He also uses pomegranate seeds, but since they were not so good and too hard, I didn’t use them. Feel free to, it looks awesome!
Ingredients for the brik:
  • 2 packages of 300g of puff pastry (or do like Jamie does and use 4 large sheets of filo pastry from a 270g pack)
  • 1 bunch of spinach (washed and finely cut – use only the leaves)
  • 100g of dry shiitake mushrooms
  • Olive oil
  • Salt and smashed garlic
Leave the shiitake in warm water for about 30’. Slice the mushrooms and cook them with olive oil, salt and smashed garlic. Add the spinach and cook it for a while. 
Separate a pastry sheet and put a bit of filling in the middle (in case you use the small one, like I did, use 2 tablespoons). Fold the pastry and close the ends.
Now is the moment when you decide how to cook them. If you want the pan, keep the medium heat and turn the briks once they’re golden. If you prefer to use the oven, bake them until golden at about 200C.
Ingredients for the couscous:
  • 2 cups of couscous
  • 4 cups of boiling water
  • ½ cup of sundried tomato
  • 1 bunch of mint
  • Juice of 2 lemons
Put the couscous in a medium sized bowl and add the boiling water. Blitz the tomato to a purée and mix it with the couscous. Cover and let it absorb the liquid.
Once it’s cooked, add the mint and lemon juice. Check the salt and mix well.
Ingredients for the sauce:
  • 2 tomatoes
  • 2 pieces of ginger – thumb size
  • Salt
  • Juice of 1 lime
This sauce is AWESOME! I mean it! It was over just like that. It’s strong, delicious and unusual, because you don’t cut or cook the tomate. All you have to do is grate it until it kind of melts. The peel will come out and you can discard it. Grate the ginger, add the lime and salt.
Serve with yoghurt or tzatziki (I’ll have a post for that some other time). Enjoy!
This recipe serves 5 people.

Sete grãos ao leite de coco e shimeji

Dia desses eu estava pensando no tanto de blogs de culinária que leio e como cada pessoa dá seu toque às receitas que posta. Costumo alterar algumas coisas e facilitar outras, mas me deu vontade de criar algo diferente, gostoso e surpreendente. E foi o que saiu! Espero que gostem! :-)

Aliás, todas as fotos desse post foram tiradas pelo Luiz Ramos. Obrigada, tamarindo!

Ingredientes

  • 1 xícara de 7 grãos (caso prefira, use arroz integral ou quinoa)
  • 1 vidro de leite de coco
  • 1 pedaço de gengibre (de aproximadamente 2cm) ralado
  • 400g de shimeji
  • suco de 1 limão
  • tomilho fresco (usei uns 6 raminhos)
  • azeite
  • alho e sal

Em uma panela, coloque o gengibre, alho, sal, azeite e os 7 grãos. Deixe fritar por alguns segundos e acrescente o leite de coco. Complete com água (aproximadamente 3 xícaras) e deixe ferver. O pacote diz que fica pronto em 30′, mas comigo demorou um pouco mais que isso. Cozinhe até os grãos ficarem tenros.

Enquanto os grãos cozinham, passe uma água no shimeji e separe os talos até a base, sem descartar nada. Leve a uma frigideira quente com azeite, alho e sal e refogue por uns 10′. Acrescente o suco de limão (talvez precise de mais, fique à vontade para seguir o seu gosto!).

shimeji

shimeji

eu, sem jeito

Junte o shimeij com os grãos e o tomilho e sirva quente. E aí, curtiram? :-D

quase lá!

Nham!

pronto!

Essa receita serve umas 4 pessoas.

Conchiglioni com ricota, gorgonzola, shitake e molho branco

Conchiglioni é aquela massa em formato de conchas. Aquela grandona. O bacana dela é que dá para rechear sem ter o trabalho de fazer a massa toda. E você pode inventar o recheio, o molho, os complementos… :-)

Já fiz desse tipo, de ricota e cogumelos, mas já servi também de brie e damasco, que ficou uma delícia. Uma ótima opção para quem quer impressionar! Costumo ter um pacote dessa massa e um de funghi seco em casa para “emergências” rs. Olha que delícia!

Ingredientes:

  • 500g de conchiglioni
  • 1 1/2 ricota
  • 200g de shitake ou funghi chileno (usei 2 sacos de 100g de shitake seco)
  • 100g de gorgonzola
  • 250g de manteiga
  • 250g de farinha
  • 500 mL de leite
  • 1 pitada de noz moscada
  • 1 pitada de pimenta do reino
  • alho e sal
  • 1 xícara de parmesão ralado

Caso use o shitake ou o funghi seco, comece deixando em água quente por pelo menos 30′. Esfarele a ricota, junte com o gorgonzola e reserve. Retire a água dos cogumelos e guarde para usar no molho. Pique-os em fatias e refogue com alho e sal. Misture os queijos com o cogumelo. O recheio já está pronto!

Faça um molho bechamel começando com a manteiga e a farinha em uma panela em fogo baixo. Deixe a manteiga derreter e misture bem. Vá adicionando o leite aos poucos, mexendo sempre para não empelotar. Use também a água do cogumelo, que acrescenta bastante sabor :-) Deixe ferver para engrossar. Tempere com a noz moscada, a pimenta do reino, alho e sal.

Ligue o forno a 180°C.

Cozinhe a massa em água fervente até ficar al dente. Retire do fogo e jogue bastante água fria em cada concha, para evitar que elas grudem.

Recheie cada uma com a mistura de queijo e cogumelo.

Coloque as conchas em um pirex e cubra com o molho até tampar tudo.

Cubra com parmesão ralado e leve ao forno por aproximadamente 25′ ou até o molho borbulhar.

Pronto! Essa receita dá para umas 10 pessoas. Servi com salada e a já tradicional vagem com castanhas.

Nham!

Bruschetta de cogumelos

Aaaah, deliciosa, cremosa, suculenta, crocante, maravilhosa, magnífica bruschetta (brusqueta para os íntimos). A rainha dos aperitivos e dos comentários maliciosos pelo nome sugestivo. Com suas mil variedades de sabores, essa torradinha sapeca vem conquistando corações por onde passa. Vai a minha favorita, com os melhores amigos dos vegetarianos, esses funguinhos queridos!

Coloquei os cogumelos que encontrei em promoção no super mercado, mas fique à vontade para escolher os seus ;-)

Ingredientes:

  • 200g de shimeji
  • 200g de portobello
  • 1 cebola grande picada
  • 1 colher de copa de manteiga
  • 3 colheres de sopa de creme de leite
  • ervas de Provence a gosto
  • 1/2 taça de vinho (baratinho mesmo, o que você encontrar)
  • sal e alho a gosto
  • azeite
  • 1 baguete
  • 3 colheres de sopa de parmesão ralado
  • 2 colheres de sopa de alcaparras

Corte a baguete em fatias de aproximadamente 1 cm.

Limpe os cogumelos com um pincel, tirando qualquer sujeira. Caso queira lavá-los, deixe secar a água por completo. Se estiver usando cogumelos secos, deixe de molho em água morna por pelo menos 30′ e seque antes de usar. Doure a cebola em uma frigideira com um pouco de azeite. Pique os funguinhos em tiras e junte com a cebola, acrescentando alho e sal. Refogue por uns 5′.

Coloque o vinho e deixe cozinhar até secar.

Junte o creme de leite e misture bem. Lave as alcaparras para retirar o excesso de sal e junte aos cogumelos.

Cubra as fatias de pão com a mistura.

Polvilhe o parmesão ralado e leve ao forno pré-aquecido a 220°. Asse por aproximadamente 5′ ou até a bruschetta ficar crocante. Regue com azeite e sirva quente.

Serve 4 pessoas altruístas ;-)

Rolinho primavera fresco com shitake, rúcula e pistache

Comprei outro dia uma massa de arroz para rolinho primavera fresco. A diferença é que esse não vai ao fogo, fica bem mais saudável e light que o outro. A massa é bem estranha, transparente, tem uma textura de plástico e não tem gosto de nada! rsrs Mas usando um recheio bacana e um molho bem forte, fica uma delícia!

Vou tentar outras combinações para posts seguintes. A receita de hoje é uma adaptação de um dos meus blogs favoritos, o VeganYumYum, que tem pratos mais que inspiradores com fotos idem!

Ingredientes:

  • 20 folhas de massa de arroz (fácil de achar em lojas de produtos orientais)
  • 1 xícara de pistaches torrados e salgados
  • 1 maço de rúcula
  • 100g de shitake desidratado
  • shoyu
  • sal e alho
  • vinagre balsâmico
  • azeite

Esquente uma chaleira de água e deixe o shitake de molho por meia hora, até hidratar bem. Enquanto isso, lave bem a rúcula e pique os pistaches em pedaços pequenos. O pacote que comprei não veio com eles torrados, é bom verificar antes de usar. Se esse for o seu caso, passe-os rapidamente por uma frigideira com sal.

Retire o shitake da água (aperte para retirar o excesso), pique e refogue em uma frigideira com azeite, alho (esse é por minha conta, não vivo sem!), sal, vinagre balsâmico e shoyu a gosto. Reserve.

Ordene os ingredientes para facilitar a sua vida na hora de enrolar.

Aqueça um pouco de água em uma frigideira, até que fique morna. A massa de arroz é mergulhada na água por alguns segundos (aprox 5”), só até amolecer. Se ficar por muito tempo, vai começar a rasgar. Se ficar muito pouco, vai continuar dura e quebradiça. Vá tentando até pegar o jeito. O meu assistente/namorado fez certinho, ó!

Com a massa hidratada, comece a rechear os rolinhos com um pouco de shitake, rúcula e polvilhe com os pistaches.

A massa costuma vir redonda e para enrolar, junte as beiradas até o centro e enrole o topo por cima do recheio, até o fim. É simples, mas difícil de explicar. Essa figura que eu achei ajuda a entender mais claramente (o recheio vai no “x”).

Pronto!

Ingredientes para o molho:

  • suco de 1 limão
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 5 colheres de sopa de shoyu
  • 1 colher de sopa de pistache picado

Simples assim, só misturar tudo. Usei um shoyu mais espesso e doce, é uma boa ir medindo os ingredientes a gosto.

Agora é só mergulhar! :-D

Serve 6 pessoas.

Só pra dar água na boca, segue o prato completo, contando inclusive com a próxima receita, um curry tailandês. Nham!

Linguine com cogumelos, tomilho, parmesão e limão

Esse linguine é um achado. Super rápido e fácil e absolutamente indecente. A cara da Nigella Lawson, claro! Achei a receita no site dela, na categoria “express”, pra quem tem pressa ;-)

O segredo da originalidade é o limão. É ele quem “cozinha” o cogumelo (isso mesmo, ele não vai ao fogo!), dá um gosto especial e super refrescante ao prato.

Ingredientes:

  • 1 pacote de 1kg de linguine
  • 400g de cogumelos (usei paris e shimeji)
  • 2 limões
  • 200g de parmesão ralado
  • sal e alho
  • tomilho a gosto
  • azeite

Pique os cogumelos em fatias e junte com o azeite, o suco dos limões, sal, alho e tomilho. Misture bem e deixe marinar enquanto cozinha o macarrão.

Quando a massa estiver al dente, junte com a mistura de cogumelo, acrescente o queijo e mexa bem. Confira o tempero e sirva em seguida.

Serve 8 pessoas.

Almoço de Ação de Graças

Fiquei com vontade de comemorar Thanksgiving. O famoso almoço americano de Ação de Graças. Claro que tenho muito a que agradecer, mas também é uma boa desculpa pra experimentar comidas novas ;-)

Juntei amiga e namorado e fizemos uma torta de cogumelos (tirada daqui, ó), vagens ao alho e castanha-do-pará e um purê de baroa com molho de mexerica e limão siciliano. A sobremesa, de tão especial, vai gerar um guest post. A Maria inventou tudo, então a receita vem em breve, se ela ainda lembrar o que fez.. rs

Torta de cogumelos

Ingredientes para o recheio:

  • 50g de shitake desidratado
  • 400g de cogumelo portobello
  • 200g de cogumelo paris
  • 3 batatas
  • azeite
  • 5 cebolas pequenas fatiadas
  • 3 dentes de alho picados
  • 1 xícara de caldo de legumes
  • 1 copo de iogurte natural

Ingredientes para a massa:

  • 225g de farinha
  • 115g de manteiga
  • ¼ xícara de água

Deixe os cogumelos desidratados de molho em água quente por pelo menos 15′ (não jogue fora o líquido!). Cozinhe as batatas por 5′ e pique-as em cubos.

Aqueça o azeite em uma frigideira e acrescente as cebolas. Cozinhe por alguns minutos e junte o alho e os cogumelos em fatias grossas e as batatas. Depois de refogados, junte o caldo de legumes e deixe cozinhar em fogo baixo por 15′, até reduzir bem.

Desligue o fogo e acrescente o iogurte. Confira o tempero e reserve. Aqueça o forno a 180°C.

Agora mão na massa, literalmente! Pode até começar por ela, que precisa descansar mesmo… Misture a manteiga e a farinha até atingir a consistência de farelo de pão.

Adicione uma pitada de sal e vá acrescentando água aos poucos, até dar liga. Mexa bem. Faça uma bola, embale em plastico-filme e deixe na geladeira por 10′.

Unte uma forma de 35cm. Reserve.

Remova a massa da frigideira e corte em dois pedaços, um pouco maior que o outro. Abra em uma superfície limpa coberta com farinha e cubra a forma. Abra a outra parte da massa e reserve.

Despeje o recheio na forma.

Cubra com a massa. Junte as duas partes, selando a torta com os dedos ou com um garfo.

Fure ou faça um corte na parte de cima, para deixar o vapor sair. Pincele com gema de ovo para atingir um tom brilhante.

Asse por 25′ até que esteja dourada e borbulhante. Remova do forno e deixe descansar por alguns minutos antes de servir. Se aguentar esperar… ;-)

Vagens ao alho e castanha-do-pará

Ingredientes:

  • 500g de vagem
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • alho e sal a gosto
  • 100g de castanha-do-pará triturada

Já falei sobre essa vagem aqui algumas vezes. Nossa escolha favorita sempre que fazemos um prato que precisa de um acompanhamento de legumes. Usamos aquela vagem mais fina e escura, que costuma ser mais gostosa e macia.

Retire as pontinhas e o excesso de fibras. Em uma panela, derreta a manteiga com o alho e sal e acrescente as vagens e as castanhas. Cozinhe em fogo alto até começar a tostar. A vagem vai começar a ficar com pontinhos escuros torradinhos e deliciosos. Sirva quente.

Purê de baroa

Ingredientes:

  • 7 batatas-baroa
  • 1 pacote de creme de leite
  • alho e sal
  • manteiga

Cozinhe a batata-baroa em uma panela de pressão (medo!) por uns 15′ ou até ficarem macias. Amasse bem com um garfo ou uma escumadeira assim, ó.

Derreta a manteiga e o creme de leite em uma frigideira e acrescente a baroa. Misture bem e tempere a gosto.

Molho de mexerica e limão siciliano

Ingredientes:

  • 5 mexericas
  • raspa e suco de 1/2 limão siciliano
  • açúcar

Esse molho acompanha o prato todo. Fica bem gostoso com o purê.

Corte as mexericas “supreme” em uma panela, tirando as partes mais fibrosas. “Supreme” é aquele jeito de cortar a fruta deixando só a parte suculenta. O youtube tem vídeos tutoriais, procure algo como “how to supreme an orange”. Esprema junto com o restante do suco e acrescente o limão siciliano e um pouco de açúcar (não deixe ficar muito doce!). Deixe ferver até atingir uma consistência mais espessa. Sirva gelado.

Tudo pronto! Quer ver de novo?

Hhhhmmm… O almoço serve aproximadamente 10 pessoas.