Caldo verde

* Scroll down for the English version!

Já devo ter comentado aqui que tomo sopa o ano inteiro. Sopas e caldos são (normalmente) fáceis de fazer, deliciosos e completamente acolhedores. Eu não me importo de ter aquele momento de suadeira ao tomar sopa no verão. Ela vale à pena :-)

Esse prato é tradicional de Portugal e consta basicamente de batatas, couve e salsicha. Lembro da primeira vez que tomei, nos Estados Unidos. Eles usavam uma salsicha vegetariana maravilhosa que dava um sabor defumado à sopa. Simplesmente incrível! Na minha versão, dei uma modificada no modo de preparo e caprichei na “picância” (dá pra ver que me empolguei tanto na páprica, que o caldo ficou quase vermelho, ao invés de verde rs). Fácil e rápido de fazer e delicioso!

Ingredientes:

  • 4 batatas
  • 1 maço de couve
  • 2 linguiças ou salsichas vegetarianas (eu uso a linguiça da Goshen. recomendo ficar longe da Super Bom, que é super ruim rs. sério :-p)
  • Aproximadamente 3 xícaras de caldo de legumes ou água
  • 5 dentes alho
  • Páprica picante defumada – a gosto
  • Sal a gosto
  • 2 colheres de sopa de óleo

Pique os dentes de alho bem finos e frite com o óleo em uma panela média. Enquanto o alho doura, pique a linguiça em pedaços. Leve à panela com a páprica e refogue por uns 5 minutos.

Derrame o caldo de legumes ou a água na panela e deixe ferver. Enquanto isso, rale as batatas em uma mandolina (aquele ralador com uma lâmina só. as fatias ficam super finas). Coloque as batatas na panela e ajuste o sal. Assim que as batatas cozinharem, desligue o fogo.

Lave e corte as couves bem finas. Acrescente ao caldo somente na hora de servir. Prontinho!!

Essa receita serve 4 pessoas.

I probably mentioned here earlier that I eat soup all year long. Soups are (usually) easy to make, delicious and so comforting. I really don’t mind the heat waves when I venture in eating them during summer. They’re worth it :-)

Caldo verde, in particular, is traditional from Portugal. It literally means “green soup” and consists mainly from potatoes, collard greens and meat. I remember the first time I had it, in the US. The cook used a delicious vegetarian sausage that brought an amazing smoked flavor to the dish. Just incredible. On my version, I changed the method a bit and spiced things some more (you can see in the pictures that I used so much paprika that it turned out red instead of green!). It’s still easy and quick to make pretty darn tasty!

Ingredients:

  • 4 potatoes
  • 1 bunch of collard greens or kale
  • 2 vegetarian sausages
  • About 3 cups of vegetable stock or water
  • 5 cloves of garlic
  • Smoked paprika – to taste
  • Salt – to taste
  • 2 tablespoons of oil

Chop the garlic finely and fry it with the oil on a medium-sized pan. While the garlic cooks, chop the sausage into pieces. Cook it with the paprika for about 5 minutes.

Pour the vegetable stock or water into the pan and let it boil. Meanwhile, grate the potatoes using a mandoline. Add the potatoes to the soup and check the seasoning. As soon as the potatotes cook, turn the heat off.

Wash and cut the greens finely. Add them to the dish right before serving. Done!!

This recipe serves about 4 people.

Samosa com massa de arroz / Rice paper samosas

* Scroll down for the English version!

Eu amo comida indiana. Morei na Índia por 6 meses quando era bem novinha e desde então, cultivo essa paixão. Minha mãe conta que eu fugia das opções de comida ocidental e mesmo tendo só cinco anos, me deliciava com as especiarias e até com a pimenta. Isso explica muita coisa, não é? ;-)

Ao longo do tempo, fui aprendendo a usar alguns temperos. Apesar de achar os pratos que eu faço bem legais, tenho a plena consciência da minha ignorância. Muita gente passa anos estudando milhares de especiarias, as melhores combinações e a época do ano na qual usar qual tempero. Eu só sei jogar tudo na panela e achar uma delícia. Mas pra mim, está ótimo! Rs

Essa versão de samosa é incrível! Para quem não sabe, samosas são pasteis indianos feitos com uma massinha de trigo e recheados com batata, ervilha e especiarias. Hoje em dia eles são famosos no mundo inteiro e servidos como uma opção super bacana de lanche.

Como a minha preguiça é imensurável, nunca tenho paciência de fazer a massa. Costumo usar massa de rolinho primavera, dessa que já vem pronta e congelada. Mas vi essa opção na internet e adorei a ideia de usar massa de arroz. Não faço mais ideia de onde vi, mas a pessoa genial que criou, bolou uma forma de deixar os pasteis mais fáceis de fazer e mais leves. E ainda incrivelmente saborosos e crocantes. A massa de arroz pode ser encontrada em lojas orientais e é muito versátil. Costumo usar para fazer rolinho primavera fresco. Como a massa é redonda, eu ignorei o formato original triangular e fiz os pasteis meio retangulares.

Também inovei na ervilha. A receita tradicional usa ervilha em grãos, mas eu tinha ervilha chata em casa e quis experimentar. E funcionou super bem! Deixei o vegetal tenro, mas crocante e a textura fez toda a diferença no pastel. Delícia!

Ingredientes:

  • 2 batatas
  • 2 punhados de ervilha chata
  • 1 cebola
  • 1 colher de chá de garam masala
  • 1 colher de chá de grãos de mostarda
  • 1 colher de chá de grãos de cominho
  • Azeite
  • Sal a gosto
  • 8 folhas de massa de arroz
  • 1 xícara de água morna

Cozinhe as batatas na água. Assim que ficarem tenras, pique em cubos bem pequenos.

Lave e pique as ervilhas. Tome o cuidado de retirar toda a fibra dos cantinhos.

Descasque e pique a cebola bem pequena. Em uma frigideira, coloque um pouco de azeite e cozinhe a cebola com uma pitada de sal e a masala. Assim que a cebola estiver dourada, acrescente as batatas. Após alguns minutos, junte as ervilhas. Cozinhe até que estejam tenras, mas crocantes.

Em uma panela separada, coloque uma colher de sopa de azeite, as sementes de mostarda e de cominho. Fique com a tampa em mãos desde o início e tampe rapidamente, já que o calor faz os grãos de mostarda pularem igual pipoca! Desligue o fogo assim que o barulho parar. Junte as sementes com as batatas e ervilhas. Confira o tempero. Você vai perceber na hora o sabor incrível que o cominho e a mostarda trazem. É importante cozinha-los separadamente para que eles não queimem.

Deixe o recheio esfriar um pouco antes de começar a montar as samosas. Pegue uma folha de massa de arroz e mergulhe em um prato com água morna. Espere poucos segundos, até a massa ficar maleável.

Estique a massa em uma superfície limpa e coloque três colheres de recheio bem no meio. Junte as abas laterais no centro. Leve a parte perto de você para longe e role toda a samosa para frente, até selar a massa. Repita o procedimento com todo os pasteizinhos.

Aqueça uma frigideira antiaderente e coloque quantas samosas couberem. Deixe dourar cada um dos lados. Repita com todas as outras. Caso tenha, acompanhe com um chutney. Sirva quente!

Essa receita serve 2 a 4 pessoas.

I love Indian food. I lived in India for 6 months when I was young and since then, I’ve been cultivating the feeling. My mother tells me that I used to avoid western food and would feast on the delicious and spicy Indian dishes. That explains a lot, right? ;-)

With time, I learned how to use some of the spices. To be honest, even though I like the food that I make, I’m completely aware of my ignorance. Some people spend years studying spices, how to combine them and when best to use them. All I do is experiment, putting everything in the pot and guessing. Anyway, I do get nice results and I’m loving it!

This version of samosa is incredible. For those of you who don’t know, samosas are Indian pastries that are made with a wheat dough and stuffed with potatoes, peas and spices. Nowadays they are famous worldwide and are served as a fantastic snack.

As my laziness overpowers me most of the time, I never have the patience to make the dough. I usually use spring roll pastry, the kind that is ready made and frozen. But I found this option on the Internet and loved the idea of using rice paper wrappers. I have no idea where I first saw this, but the genius who created this made samosas easier and lighter. And still as delicious and crunchy! Rice paper can be found on oriental shops and is so versatile. I usually use it to make fresh spring rolls. As the wrappers are round, I ignored the original triangular shape of the pastries and made them into sort of squares.

I also innovated on the kind of pea that I used. The traditional recipe uses regular peas (the grain), but since I had snow peas, I decided to experiment. And it worked so well! I left it tender, but crunchy, which made all the difference when it came to texture. Delicious!

Ingredients:

  • 2 potatoes
  • 2 handfuls of snow peas
  • 1 onions
  • 1 teaspoon of garam masala
  • 1 teaspoon of mustard seeds
  • 1 teaspoon of cumin seeds
  • Olive oil
  • Salt to taste
  • 8 rice paper wrappers
  • 1 cup of warm water

Cook the potatoes on water. As soon as they are tender, chop them into small cubes.

Wash and chop the snow peas. Take care to remove all the fiber from the corners.

Peal and chop an onion into small pieces. On a frying pan, put some olive oil and cook the onion with a pinch of salt and the masala. As soon as the onion has turned golden, add the potatoes. After a few minutes, add the peas. Cook until they are tender, but still crunchy.

On a separate pot, put a tablespoon of olive oil and the mustard and cumin seeds. Have the lid of the pot ready and close right after adding the seeds, since the mustard pops like crazy. Turn the heat off as soon as the noise stops. Add the seeds to the potatoes and peas. Check the seasoning. You will notice at once the incredible flavor that the cumin and mustard bring. It’s important to cook them separately to avoid burning them.

Let the filling cool a bit before starting assembling the samosas. Get one rice paper wrapper and dip it on a plate with warm water. Wait a few seconds until the wrapper is soft.

Lay it on a clean surface and put 3 spoons of filling right in the middle. Fold the side corners to the center. Take the part that is closest to you to the center and roll the whole samosa forward, until the wrapper seals. Repeat this procedure with all the pastries.

Heat up a non-stick frying pan and put as many samosas as you can fit on it. Let each side toast until golden. Repeat this with all the others. In case you have some, serve with chutney. Eat them while still hot!

This recipe serves 2 to 4 people.

Batatas recheadas com gorgonzola / Blue cheese potato skins

* Scroll down for the English version!

Sabe aqueles dias em que você não tem paciência para cozinhar algo complicado? Aqueles momentos quando você quer um petisco bacana ou uma refeição rápida e simples…

Batata é sempre uma boa, desde que você tenha tempo. Esse prato é incrivelmente fácil e delicioso. E pode variar de entradinha – caso você use batatas pequenas – a uma refeição completa – se você usar batatas médias. Seja como for, é uma carta ótima para se ter na manga.

Adaptei a receita do Jamie para deixa-la ainda mais simples. Não tem erro!

Ingredientes:

  • 4 batatas médias (ou 12 pequenas)
  • 150g de gorgonzola
  • Azeite

Aqueça o forno a 200°C. Espalhe azeite nas batatas, faça alguns furinhos e coloque para assar em um tabuleiro por aproximadamente 1 hora, ou até ficarem tenras.

Retire do forno e com cuidado, parta as batatas ao meio (sem desligar o forno!). Com uma colher, retire o miolo das batatas, deixando uma camada de pelo menos 1cm junto da casca.

Misture esse miolo com o gorgonzola, misturando bem. Confira o tempero. Coloque o recheio nas batatas e leve ao forno novamente por 10 minutos.

Sirva ainda quente, com uma salada simples e mostarda.

Essa receita alimenta 2 a 4 pessoas.

There are days in which I have no patience to cook anything fancy. All I want is something nice to nibble on or a quick and simple meal. Do you feel the same?

Potatoes are always a good choice, as long as you have time. This dish is incredibly easy and delicious. And you can serve it as an appetizer – in case you’re using small potatoes – or as a complete meal – if you use medium potatoes. Whatever the case, it’s a great recipe to have up your sleeve.

I adapted the original from Jamie, to make it even simpler. There is simply no mistake to this!

Ingredients:

  • 4 medium potatoes (or 12 small)
  • 150g of blue cheese
  • Olive oil

Turn the oven on at 200°C. Spread some olive oil on the potatoes, make tiny holes on the skin and bake them for about 1 hour, or until tender.

Remove them from the oven and carefully cut them in half (leave the oven on!). With a spoon, remove the center of the potatoes, leaving a layer of about 1cm next to the skin.

Mix the scraped potato with the blue cheese. Check the seasoning and stuff the half potatoes with the mixture. Take them to the oven again for about 10 minutes.

Serve them still warm, with a simple salad and some mustard.

This recipe feeds 2 to 4 people.

Rösti de vegetais do Jamie / Jamie’s vegetable rösti

* Scroll down for the English version!

Já nem sei mais quantas receitas do Jamie Oliver eu postei no blog. Eu adoro aquele estilo bagunceiro e apaixonado de cozinhar e amo a simplicidade das receitas.

Rösti é coisa linda e eu já até publiquei outra receita antes. Mas essa é tão maravilhosa e um prato tão completo e balanceado (é uma refeição em si!), que eu não resisti o repeteco. E valeu à pena, ela é incrivelmente deliciosa! A combinação é incrível. Vegetais crocantes, ervilha docinha, espinafre fresco, ovo cremoso e queijo forte… Uma festa de sabores e texturas.

Mudei um pouco a quantidade dos ingredientes, porque achei que a parte da salada merecia uma atenção especial ;-)

Ingredientes:

  • 3 cenouras
  • 5 batatas
  • 4 ovos
  • 1 maço de espinafre
  • 500g de ervilha congelada
  • 1 colher de sopa de mostarda forte
  • 1 colher de chá de suco de limão (puro)
  • 100g de queijo feta
  • Azeite
  • Sal a gosto

Ligue o forno a 200°C. Unte uma forma média com azeite (a minha tinha aproximadamente 30cm por 20cm).

Lave e rale as cenouras e batatas. Coloque um pouco de sal e deixe descansar um pouco. Depois de alguns minutos, esprema os vegetais nas mãos, retirando a água. Vá colocando na forma, de forma a ocupar bem o fundo (confira o tempero antes de assar). Leve ao forno por aproximadamente 40’, até que a camada superior das batatas e cenouras fique crocante.

Ferva 3 copos de água e mergulhe as ervilhas. Deixe que aqueçam por 1 minuto e retire da água. Em uma vasilha, misture umas duas colheres de sopa de azeite, sal, suco de limão e a mostarda. Misture a ervilha e confira o tempero.

Lave o espinafre e separe as folhas boas (não recomendo usar os talos). Caso as folhas estejam grandes, corte em tiras. Junte com as ervilhas.

Cozinhe os ovos. O Jamie fez ovos pochê. Como ainda não aperfeiçoei a técnica, nem vou recomendar. É bem chatinho mesmo (detalhe para o ovo sem clara na foto! Rs). Acho que o melhor mesmo é fritar cada um e pronto.

Assim que a forma com os vegetais sair do forno, coloque as ervilhas e espinafre por cima, em montinhos. Espalhe os ovos e esfarele o queijo feta. Sirva imediatamente.

Essa receita alimenta 4 pessoas.


I don’t even know anymore how many recipes from Jamie Oliver I’ve posted on this blog. I love his messy and passionate style of cooking and also the simplicity of his recipes.

Rösti has a place in my heart. I’ve even published a recipe before. But this one is so amazing, the dish is so complete and balanced (it’s a meal on itself!), that I couldn’t resist repeating it. And it was worth it, it’s incredibly delicious! The combination of ingredients is incredible. Crunchy vegetables, sweet peas, fresh spinach, creamy eggs and strong cheese… A feast of flavors and textures.

I changed the amount of ingredients, because I thought the salad needed more attention ;-)

Ingredients:

  • 3 carrots
  • 5 potatoes
  • 4 eggs
  • 1 bunch of spinach
  • 500g of frozen peas
  • 1 tablespoon of strong mustard (I used whole grain)
  • 1 tablespoon of lime juice
  • 100g of feta cheese
  • Olive oil
  • Salt to taste

Turn the oven on at 200°C. Spread a little bit of olive oil on a medium sized baking tray (mine had about 30cm by 20cm).

Wash and grate the carrots and potatoes. Put a little bit of salt and let it rest for a while. After a few minutes, squeeze the vegetables in your hands, removing the water. Spread them in the tray, covering the bottom (check the seasoning before baking). Take it to the oven for about 40’, until the superior layer of potatoes and carrots is crunchy.

Boil 3 glasses of water and dip in the peas. Let them heat up for 1 minute and remove them from the water. On a bowl, mist two tablespoons of olive oil, some salt, lime juice and mustard. Mix in the peas and check the seasoning.

Wash the spinach and separate the good leaves (I didn’t use the stems). In case the leaves are too big, cut them into stripes. Stir in the bowl with the peas.

Cook the eggs. Jamie poaches them, but since I haven’t mastered the technique, I won’t even recommend doing it. It’s a bit tricky (see on the picture the yolk by itself? Shoot!). Next time I do this dish, I’ll just fry them. So that’s what I would tell you to do.

As soon as the vegetables are out of the oven, make little piles of peas and spinach on top. Scatter the eggs and crumble the feta. Serve immediately.

This recipe feeds about 4 people.

Batata assada recheada com queijo e alho poró / Baked potato topped with leek and cheese

* Scroll down for the English version!

Quem não ama batata? Grande, pequena, vermelha, branca, ela pode não ser o vegetal mais nutritivo, mas são tantas as formas de cozinhar, fritar, assar e todas tão deliciosas, que é difícil resistir. E servindo com outros ingredientes mais completos, dá pra fazer um cardápio saudável, sim!

Sempre brinco que batatas são dos ingredientes mais importantes na culinária da Alemanha.
Para quem é vegetariano, já foi até lá e tentou comer em restaurantes, sabe como o tubérculo está por toda parte. Talvez pelo amor que os alemães têm à carne, as batatas acabem sendo a principal opção sem mil salsichas. E como são boas…

Batata recheada é comfort food ao extremo. Com aquela casca crocante, o recheio cremoso e o centro macio e quentinho, comer uma delícia dessas é uma das experiências mais relaxantes e sedutoras que existe! Segue a minha versão :-)

Ingredientes:

  • 2 batatas grandes
  • 1 xícara de queijo muçarela (ou minas) ralado ou picado em cubinhos
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 4 colheres de sopa de requeijão cremoso ou cream cheese
  • 1 alho poró
  • Azeite
  • Sal a gosto

Ligue o forno a 200°C.

Lave as batatas e faça furinhos na casca. Passe azeite por toda a superfície e espalhe um pouco de sal.

Leve ao forno por aproximadamente 1h30. Não se preocupe em usar um tabuleiro. Os furinhos vão evitar que a batata exploda (sério!) e o calor uniforme vai assá-las mais rapidamente. A casca deverá estar crocante e o interior, bastante macio.

Enquanto as batatas assam, pique ou rale o queijo e prepare o alho poró. Retire as folhas mais duras e muito escuras. Lave bem, com as folhas para baixo, deixando cair bastante água e tirando toda a terra. Corte em fatias finas e leve ao fogo com um pouco de azeite e sal. Deixe cozinhar, mexendo sempre. Retire do fogo quando cada pedaço esteja tenro. Reserve.

Retire as batatas do fogo com cuidado e coloque-as em um tabuleiro. Parta cada uma no meio e retire parte do interior. Eu usei esse miolo para fazer outro prato.

Coloque um pouco de manteiga e uma colher de requeijão em cada metade. Cubra com o queijo e o alho poró.

Leve ao forno por mais 15 minutos, até que o queijo esteja derretido.

Sirva quente!

Essa receita serve 2 pessoas.

Who doesn’t love potatoes? Big, small, red, white, it may not be the most nutritious of vegetables, but there are so many ways to cook, fry and bake and they are all so delicious, that it’s hard to resist! And serving it with other more complete ingredients, you can make a healthy menu!
I always joke about how potatoes are some of the most important ingredients in German culinary. Vegetarians who have been in Germany and tried eating at restaurants, know that this tuber is everywhere. Perhaps because of their love for meat, potatoes end up being the main option of a meatless dish. And how awesome are they!
Baked stuffed potatoes are comfort food at its best. The crunchy crust, the creamy filling and soft and warm center make eating one of these a relaxing, indulging experience. Here goes my version :-)
Ingredients:
  • 2 big potatoes
  • 1 cup of mozzarella cheese – shredded or cut into cubes
  • 1 tablespoon of butter
  • 4 tablespoons of cream cheese
  • 1 leek
  • Olive oil
  • Salt to taste
Preheat the oven at 200°C.
Wash the potatoes and make little holes on the skin. Spread olive oil all around and a bit of salt.
Bake for about 90 minutes. You don’t have to use a tray. The holes will avoid the potato to explode (I mean it!) and the even heat will bake it more quickly. The peel will become crunchy and the middle, quite soft.
While the potatoes bake, chop or grate the cheese and prepare the leek. Remove the tougher, darker leaves. Wash well, with the leaves down, letting lots of water all around, to remove all the dirt. Chop into thin slices and cook on a skillet with a bit of olive oil and salt. Let it cook for a while, stirring often. Remove from the fire when each slice is soft. Set aside.
Take the potatoes out of the oven carefully and put them on a tray. Cut each of them in half and remove part of the flesh from the middle. I used this to make another dish.
Add a little butter and a spoon of cream cheese to each half. Cover with the mozzarella and the leek.
Bake for another 15 minutes, until the cheese has melted.
Serve hot!
This recipe serves 2 people.

Batatas ao molho masala e ovos fritos / Masala potatoes and fried eggs

* Scroll down for the English version!

Semana passada eu comecei uma dieta diferente. Meu objetivo é dar um alívio à minha digestão maneirando nas massas e grãos pesados. Muita gente se assusta, pensando no que sobra para comer. Pode parecer pouca coisa, mas quando eu parei para pensar, fiquei surpresa e bem feliz com a quantidade de comidas incríveis que podem ser feitas. Esse post é um exemplo disso. Comida simples, mas muito boa!

Adaptei a receita da Naturally Ella. Ela explica como um café da manhã caprichado e comido com calma faz diferença no dia-a-dia dela. Eu adoraria fazer isso ,mas como isso é impossível na minha rotina diária, ficou para o fim de semana. E como foi incrível começar o dia com esse prato! Comi como se fosse um brunch, já que eu acordei tarde. Em um almoço, eu serviria com folhas verdes como rúcula ou brócolis refogado. Maravilha!

Ingredientes:

  • 3 batatas
  • 2 ovos
  • 1 ½ colher de sopa de manteiga derretida (deixe fora da geladeira ou aqueça no micro-ondas por alguns segundos)
  • 2 colheres de chá de garam masala
  • 1 colher de chá de cominho em pó
  • 1 colher de chá de páprica picante defumada
  • 1 pitada de pimenta calabresa
  • 1 dente de alho amassado
  • Sal a gosto
  • 1 colher de sopa de óleo

Pique as batatas em pedaços pequenos. Eu, particularmente, não tenho paciência de deixar a batata cozinhar para sempre, então prefiro o tamanho menor.

Misture a manteiga e a masala, o cominho, a páprica e a pimenta calabresa. Esse é o seu molho masala.

Leve o alho amassado ao fogo em uma frigideira com o óleo. Deixe fritar alguns minutos e acrescente as batatas.

Após 2 minutos cozinhando, junte o molho. Misture bem, acrescente o sal e confira o tempero. Deixe cozinhar até as batatas ficarem tenras.

Empurre as batatas, deixando um espaço no meio e quebre os ovos. Tampe e deixe cozinhar até a gema atingir a consistência desejada. Sirva quente.

Essa receita serve uma a duas pessoas.

Last week I started a different diet. My goal is to give my digestive system a break, eating less pasta, pastry and grains. Lots of people get a little worried, thinking there’s nothing left to eat. It might not seem much, but when I stopped to think about it, I was surprised and pretty happy with the amount of amazing dishes that can be made. This post is an example of that. Simple, but great food!
I adapted the recipe from Naturally Ella. She explains how a nice breakfast eaten slowly and calmly makes a whole lot of difference in her daily life. I would love to to that, but since that’s impossible for me on week days, I had to do it on the weekend. And let me tell you, it was incredible to start the day with this dish! I ate it as a brunch, since I woke up late. As lunch, I would serve it with green leaves such as arugula or sautéed broccoli. Awesome!
Ingredients:
  • 3 potatoes
  • 2 eggs
  • 1 ½ tablespoons of melted butter (leave outside the fridge for a while or heat it up in the microwave for a few seconds)
  • 2 teaspoons of garam masala
  • 1 teaspoon of ground cumin
  • 1 teaspoon of smoked hot paprika
  • 1 pinch of red chili flakes
  • 1 clove of garlic – smashed
  • Salt to taste
  • 1 tablespoon of oil
Chop the potatoes into small pieces. I have no patience to wait for the potatoes to cook, so I really prefer the smaller size.
Mix the butter with the masala, cumin, paprika and chili flakes. This is your masala sauce.
Heat up a skillet and cook the garlic in oil for a few minutes. Add the potatoes and cook for about 2 minutes.
Add the sauce and stir. Season with salt and check the taste. Let the potatoes cook until soft.
Push them aside, leaving some space in the middle and break the eggs. Cover and let it cook until the yolk reaches the desired consistency. Serve hot.
This recipe serves one or two people.

Samosa assada / Baked samosa

* Scroll down for the English version!

Não lembro qual foi a primeira vez que eu comi uma samosa. Provavelmente na infância, nos seis meses em que morei na Índia com a minha família. A minha mãe era mais nova que eu sou hoje em dia, não tinha dinheiro, nem um marido para ajudar com a criação dos filhos. Mas pegou uns dólares emprestados, juntou as poucas roupas que tínhamos e levou a filha de cinco anos e o filho de três para morar na Índia por uns meses. Acho que nem é necessário dizer que isso mudou as nossas vidas. Nossa perspectiva em relação ao que é importante e o que é supérfluo, as diferentes relações entre as pessoas, a cultura riquíssima e milenar. Tudo isso transborda por cada parte do país e infiltrou por nossos poros desde cedo.

As memórias que eu tenho são muito fragmentadas, pois eu era muito nova. Uma das minhas lembranças mais nítidas foi de ter pulado em uma fonte com a minha saia rosa. Ela subiu com o pulo e ficou boiando, mas não me impediu de nadar com os cachorros. Lembro de brincar com amigos, de umas árvores gigantes, das milhares de joaninhas, da escolinha e lembro muito bem da comida. Minha mãe diz que eu adorava a comida apimentada. Recusava a adaptação ocidental e só queria as especiarias tradicionais de lá.

A samosa é tudo isso: tradicional, cheia de especiarias e carregada de nostalgia. Só o cheiro dos pasteizinhos é suficiente para transportar alguém até a Índia. Normalmente é servida com chutneys, uns molhos também bastante temperados.

Usei uma receita mais simples e me recusei a fazer a massa. Dá muito trabalho! É possível usar massa de pastel comum ou massa de rolinho primavera. Preferi também assar ao invés de fritar. Também não me preocupei com o formato, que não ficou muito tradicional. Melhor investir nos temperos, né?

Ingredientes:

  • 1 pacote de massa de pastel (o rolo comprido ou já cortado redondo – aprox 24 pasteis)
  • 4 batatas cozidas cortadas em cubinhos (elas devem estar bem macias, mas não desmanchando completamente)
  • 2 cebolas picadas bem pequenas
  • 1 lata de ervilha
  • 1 colher de chá de molho de pimenta (caso prefira usar uma pasta de pimenta ou a própria pimenta fresca, cozinhe com a cebola)
  • 1 colher de chá de coentro em pó
  • 1 pitada de sementes de cominho
  • 1 pitada de fenugreek
  • Suco de ½ limão
  • 1 pitada de garam masala
  • Sal a gosto
  • 2 gemas (opcional)
  • Gergelim (opcional)
  • Óleo

Pré-aqueça o forno a 180°C. Em uma frigideira, aqueça um pouco de óleo e jogue as sementes de cominho (usei algumas sementes de mostarda também). Cozinhe por um momento, até que elas comecem a pular. Rapidamente adicione as cebolas, evitando que o cominho queime. Cozinhe até que as cebolas estejam transparentes. Junte o coentro em pó e sal. Misture bem.

Adicione as batatas e as ervilhas e cozinhe por alguns minutos. Tire do fogo e junte a pimenta, a garam masala, o fenugreek e o suco de limão. Não se preocupe se não encontrar todos os temperos. O cominho, a masala e o coentro são os mais importantes.

Enquanto o recheio esfria, prepare o lugar onde vai montar os pasteis. Caso esteja usando a massa em rolo, abra uma parte e corte quadrados que serão dobrados ao meio. Caso use a massa redonda, espalhe algumas por uma superfície limpa. Misture as gemas com o gergelim (usei o preto) e um pouco de sal.

Coloque uma colher de sopa de recheio no centro de cada pedaço de massa. Molhe as bordas com água ou clara, para que o pastel fique bem fechado. Dobre e pressione, usando as mãos ou um garfo.

Junte os pasteis prontos em uma forma untada e pincele com a mistura de gemas. Asse por 25’ a 30’, até atingir uma cor dourada.

Sirva as samosas quentes, acompanhas de chutney (em breve eu escrevo um post!). Essa receita rende 24 pasteis.


I can’t remember when was the first time I had a samosa. It was probably in India, during the six months in which I lived there with my family. My mother was younger than I am nowadays, she had no money nor a husband to help raising her kids. But she borrowed some dollars, gathered the few clothes we had and took her 5 year-old daughter and 3 year-old son to live in India for some time. Needless to say, this experience changed our lives. Our point of view related to what is important and what is superfluous, the different relationships between people, the rich and old culture… All of this overflows around the country and we absorbed that from an early start.
The memories I have are very fragmented, since I was so young. One of my strongest recollections is of a time when I jumped in a fountain while wearing my pink skirt. It lifted with the water and floated, but it didn’t stop me from swimming with the dogs. I remember playing with friends, I remember the giant trees, the ladybugs, the school and the food. My mother says that I loved the spicy food. I would refuse the western adaptation and just wanted the local spices.
And the samosa is all that: traditional, full of spices and loaded with nostalgia. Even the smell of the little pastry is enough to transport someone to India. It is usually served with chutney, a sauce that also carries lots of spices.
I used a simple recipe and refused to make the dough. It is too much work. It’s possible to buy the dough ready to use. The spring roll dough also works here. Oh, and I made a baked version. I also didn’t worry about the shape either, which didn’t end up very traditional. But I’d rather invest on the spices, right? 
Ingredients:
  • 1 package of dough (sometimes it comes on a roll, but it may come already cut in pieces. I made 24 samosas)
  • 4 boiled potatoes cut into little cubes (they should be very soft, but not completely mashed)
  • 2 onions – chopped finely
  • 1 can of peas (if you use fresh ones, cook them for some time before adding the potatoes)
  • 1 teaspoon of chili sauce (in case you use chili paste or fresh chili, cook them with the onion)
  • 1 teaspoon of ground coriander
  • 1 pinch of cumin seeds
  • 1 pinch of methi seeds
  • Juice of ½ lime
  • 1 pinch of garam masala
  • Salt to taste
  • 2 egg yolks (optional)
  • Sesame seeds (optional)
  • Oil
Turn on the oven to 180°C.
In a frying pan, heat up some oil and add the cumin seeds (I also used some mustard seeds). Cook for a few seconds, until they start to pop. Quicky add the onions, avoiding the cumin to burn. Cook until the onions turn transparent. Mix in the coriander and some salt.
Add the potatoes and peas and cook for a few minutes. Remove from the heat and add the chili sauce, the garam masala, the methi seeds and lime juice. Don’t worry if you can’t find all the spices. The cumin, the masala and the coriander are the most important ones.
While the filling cools down, prepare your working station. In case you’re using the dough in a roll, open a sheet and cut the squares that will the folded in half. In case you use the round shaped dough, spread a few of them on a clean surface. Mix the egg yolks with the sesame seeds and some salt.
Put a tablespoon of filling on the center of each piece of dough. Moisten the edges with water or egg whites, so the pastry will close shut. Fold and make pressure using your hands or a fork.
Spread the samosas on a greased tray and brush the yolk mixture. Bake for 25’ to 30’ or until they turn a golden color.
Serve the samosas still hot, with chutney (I’ll make a post soon!). This recipe yields 24 samosas.

Nhoque ao forno / Gnocchi al forno

* Scroll down for English version!

Nhoque me lembra a minha infância… Como já mencionei algumas vezes, sou descendente de italianos, então os meus domingos eram passados na casa das minhas tias comendo massa :-) Depois de um passeio pelo parque andando nos pedalinhos ou uma visita infernal à feira de artesanato no centro (que criança gosta de fazer compras??), eu, minha mãe e irmão íamos sempre à casa das minhas tias esperar o almoço. Quando o prato principal era nhoque, isso significava que tínhamos uma tarefa: passar o garfo nas massinhas, para deixar aquelas reentrâncias e fazer espaço para o molho. Cada um de nós fazia sua parte e esperava ansiosamente ver cada nhoquezinho subir na água fervente. Sério, é muito mágico!

Vi essa receita do Gennaro Contaldo há algum tempo e gostei muito. Depois de suspirar e gemer vendo o vídeo algumas vezes, decidi botar a mão na massa e testar! Acho que nunca comi tanto. O nhoque na manteiga com sálvia já é divino. Na verdade, provei poucas coisas mais deliciosas na minha vida. Caso queiram algo um pouco menos pesado, parem por aí. Mas se vocês não estão preocupados com isso, invistam nos queijos. O Gennaro usa um queijo do norte da Itália chamado fontina. Como vocês podem imaginar, não encontrei. Procurei na internet dicas de como substituir e a melhor que eu achei mandou usar gruyere com parmesão, leite e umas gotas de vinagre. Segue então a receita com a minha adaptação. Aliás, não se preocupem com a quantidade nas fotos. Eu dobrei tudo! rs

Divirtam-se!

Ingredientes para o nhoque:

  • 1kg de batatas cozidas (use o microondas ou deixe ferver em água por aproximadamente 20’)
  • 1 pitada de sal
  • 1 pitada de pimenta do reino
  • 1 gema de ovo
  • 300g de farinha de trigo (mais um pouco de farinha para enrolar)

Ingredientes para o molho

  • 50g de manteiga
  • 3 ramos de sálvia
  • 100g de queijo gruyere ralado
  • 100g de queijo parmesão ralado
  • 100mL de creme de leite
  • 1 colher de chá de vinagre

Comece colocando uma panela grande com água e sal para ferver. Isso demora bastante e vai adiantar a sua vida. Deixe também o forno em temperatura alta.

Esprema as batatas. O Gennaro diz que é essencial usar aquele amassador com furinhos. Aliás, na receita ele conseguiu usar muito menos farinha que eu. Acho que as minhas batatas ficaram úmidas e precisei de mais farinha que o necessário. Então sugiro cozinhar as batatas no microondas. Espete com um garfo para saber se estão cozidas. Quanto menos farinha usar, melhor, então caso consiga formar a massa com menos do que eu sugeri, vá em frente!

Acrescente uma pitada de sal, outra de pimenta do reino e a gema do ovo. Junte a farinha aos poucos até que massa comece a desgrudar da superfície. Uma dica bacana pra saber se a consistência está boa é fazer uma bolinha e jogar na água fervente. Confira se ela vem à superfície e se gosto está bom.

Cubra uma superfície limpa com farinha e trabalhe em cima dela. Retire partes da massa e forme rolinhos de aproximadamente 2cm de diâmetro. Corte pedaços de uns 3cm. Caso queira, passe o garfo ou enrole até formar bolinhas.

Separe cada uma com farinha e plástico-filme, para que não grudem até a hora de cozinhar.

Em uma frigideira grande, derreta a manteiga e junte a sálvia. Em outro recipiente, junte o creme de leite, o vinagre e os queijos.

Leve os nhoques à água fervente até que subam à superfície. Isso acontece rapidamente, então esteja com uma escumadeira à mão para retirá-los. É melhor fazer isso por partes. Se você colocar tudo de uma vez na panela, eles vão começar a grudar.

Coloque os nhoques prontos na frigideira e mexa até dourar um pouco. Transfira a um pirex ou tabuleiro e alterne camadas de nhoque e o creme de queijo.

Leve ao forno até que o topo esteja dourado.

Essa receita serve 4 pessoas afortunadas!

Gnocchi reminds me of my childhood. I’ve mentioned before that part of my family is Italian, so my Sundays were spent at my aunts’ house eating pasta :-) After paddle boat ride or a horrible visit to a craft fair (who likes to go shopping when they’re kids??), me, my mum and brother would go to my aunts’ and wait for lunch. Whenever the main dish was gnocchi, that meant that we had a role: to roll the dumplings in the fork, making marks that would leave space for the sauce. Each of us would do our part and wait anxiously while each dumpling would go up in the boiling water. Seriously, it’s pure magic!
I watched this recipe by Gennaro Contaldo some time ago and really liked it. After some sighs and moans watching the video, I decided to go for it and give it a try. I think I never ate that much. The gnocchi in the butter with sage is already divine. I mean it, I think it’s one of the most delicious things I’ve ever tasted. So if you want something a little less heavy, you can stop on that part. But if you’re not worried about that, invest on the cheese. Gennaro uses a cheese from Northern Italy called fontina. I couldn’t find it, so I went online and looked for a replacement. The best tip I got told me to use gruyere with parmesan, milk and drops of vinegar. So here goes the recipe with a few changes. By the way, don’t worry about the amount of ingredients on the pictures. I doubled the recipe.
Have fun!
Ingredients for the gnocchi:
  • 1kg of cooked potatoes (use the microwave of boil for about 20’)
  • 1 pinch of salt
  • 1 pinch of pepper
  • 1 egg yolk
  • 300g of flour (and a little more for rolling the dough)
Ingredients for the sauce
  • 50g of butter
  • 3 springs of sage
  • 100g of grated gruyere cheese
  • 100g of grated parmesan cheese
  • 100mL of cream
  • 1 tea spoon of vinegar
Start by boiling water and salt in a big pan. This will take some time, so doing it in advance will make things faster. Also turn the oven on at a high temperature.
Squeeze the potatoes with a potato ricer. Gennaro says this is essential. By the way, in the original recipe he uses way less flour than I do. I think my potatoes got humid, so I needed some more. So I suggest that you use the microwave. Poke them with a fork to know if they’re cooked. The less flour you use, the better. So if you can use less than I did, go for it!
Mix with a pinch of salt, a pinch of pepper and the egg yolk. Add the flour little by little until the dough starts getting loose from the plate. A good tip to know if the consistency is ok is to make a little ball and put it in the boiling water. Check if it comes up to the surface and if the taste is good.
Cover a clean surface with flour and work on it. Remove parts of the dough and make rolls of about 2cm of diameter. Cut in pieces of about 3cm. If you want, slide the fork on each dumpling or roll them round. Spread them on cling wrap covered with flour, so they won’t stick until it’s time to cook.
In a big frying pan, melt the butter and add the sage. In a bowl, mix the cream, vinegar and cheese.
Take the gnocchi to the boiling water and remove them once they emerge. That happens quite fast, so have your skimmer ready to fish them out. Take your time to put the dumplings in the water. If you put all of them together, they’ll start to stick to each other.
Put the cooked gnocchi on the frying pan and mix until a bit golden. Transfer them to a tray and alternate layers of gnocchi and the cheese cream.
Take it to the oven and bake until the top is golden.
This recipe serves 4 blessed people!

Tortilha espanhola

Não lembro qual foi a primeira vez que comi uma tortilha espanhola. Só lembro da minha sensação de maravilhamento ao prová-la e da alegria de saber quão fácil é fazê-la. Pra quem nunca comeu, ela é basicamente uma omelete de batatas. Mas ao mesmo tempo, muito mais do que isso.. rs

Pesquisei bastante antes de fazer a minha primeira tortilha. Os ingredientes são muito simples, mesmo havendo muita discussão sobre o tipo de batatas, quanto tempo cozinhar e qual a melhor textura. Vai aí uma versão básica.

Ingredientes:

  • 4 batatas grandes
  • 1 cebola
  • 3 ovos (usei 4 pequenos)
  • óleo
  • sal e pimenta a gosto

Pique a cebola bem pequena e deixe dourar em uma frigideira. Pique as batatas em cubinhos ou fatias grossas e cozinhe com a cebola, o óleo, sal e pimenta até ficarem bem macias.

Bata os ovos com uma pitada de sal.

Junte a mistura de batata e cebolas aos ovos batidos. Esse é um detalhe com o qual vários cozinheiros concordam. É importante juntar tudo antes de voltar à frigideira. Fazer isso ao invés de jogar o ovo em cima da batata evita que ela vá direto ao fundo. Deixe descansar por 10′.

Volte com os ingredientes à frigideira para cozinhar até soltar do fundo.

Com a ajuda de um prato, vire a tortilha do outro lado e deixe terminar de cozinhar. Não exagere no tempo de cozimento, ela não deve ressecar.

É isso. Quanto ao queijo parmesão e o manjericão que estão nas fotos, eles são parte da minha blasfêmia. Qualquer espanhol diria que isso estraga a autenticidade do prato e talvez eles tenham razão. Mas como descendente de italiana, não resisto a esses ingredientes maravilhosos. Fique então à vontade para inventar, desde que aguente a fúria dos puritanos ;-)

Serve 4 pessoas.

Rösti de espinafre

Tenho uma memória da infância de um prato delicioso de batata com espinafre. Por anos guardei aquela recordação com nostalgia e saudades, sem ter a menor ideia do que se tratava, já que lá em casa ninguém se lembrava dele. Até que provei o rösti e voltei aos meus tenros anos imediatamente.

Esse prato suíço é absolutamente simples e maravilhoso. Há muita discussão sobre a extrema semelhança com o hash brown americano e sobre a forma de execução do rösti em si. Usar batatas cruas ou cozinhá-las primeiro? Usar ovos e farinha ou somente batata e manteiga? Descascar ou não as batatas? Assar ou fritar? Enfim, o prato tradicional é basicamente uma panqueca de batatas, mas em alguns casos ele vem acompanhado de espinafre, então resolvi misturar tudo. Encontrei algumas receitas e peguei o que gostei de cada uma.

Ingredientes:

  • 5 batatas médias
  • 1 espinafre lavado
  • 1 cebola picada
  • 1 ovo
  • 2 colheres de sopa de farinha
  • sal e alho amassado
  • óleo
  • 3 colheres de sopa de parmesão ralado
  • manteiga para untar

Aqueça o forno a 200°C. Ferva uma panela com água e cozinhe as batatas por uns 5′. Retire do fogo e deixe esfriar. Elas não estarão cozidas, mas vão começar a ficar tenras. Optei por deixar o resto pro forno e não descascar. Quanto menos trabalho, melhor!

Doure a cebola e o alho em um pouco de óleo. Uma coisa que me deixa um bem nervosa com pratos de espinafre é mastigar talos durinhos. Tenho um certo pavor. Do brócolis, uso até o fim, mas quando o negócio é espinafre, eu uso só as folhas e pico um pouquinho.

Acrescente o espinafre na cebola e deixe refogar.

Enquanto o espinafre esfria, rale as batatas em um ralador grosso ou use um processador de alimentos.

Acrescente um pouco de alho e sal, o ovo, o queijo e a farinha. Mexa bastante. Adicione o espinafre e misture. Unte uma forma e despeje a mistura. Cubra com um lasquinhas de parmesão.

Leve ao forno por aproximadamente 30′, até atingir uma cor dourada.

Ao invés de misturar tudo, existe a opção de alternar uma camada de batata, o espinafre e cobrir com o resto da batata. E claro, a alternativa de fritar, que é menos light. Nesse caso, esquente um pouco de óleo ou manteiga em uma frigideira e coloque a mistura toda ou pequenas panquecas de cada vez. A vantagem de usar pequenas porções é deixar a batata mais crocante. Deixe dourar de um lado e vire com cuidado. Olha que gracinha!

Serve 3 pessoas.